sexta-feira, 23 de novembro de 2012

[Crítica] Dead Before Dawn 3D


Direção: April Mullen
Ano: 2012
País: Canada
Duração: 85 minutos
Título original: Dead Before Dawn 3D

Crítica:

Metade zumbi. Metade demônio. Completamente Zemonio!

Mais um filme que mistura comédia e terror apresentando zumbis em uma trama engraçada e envolvente? Bem, pelo menos essa era tentativa. Mas antes que eu possa começar a enumerar os defeitos dessa produção, que não consegue alcançar nossa expectativa, vamos falar sobre o 3D. Obviamente eu não assisti a esta produção em terceira dimensão. Não havia nem legendas em português. A grande questão é que o 3D está mesmo completamente desvalorizado. Hoje em dia, qualquer produção barata de fundo de garagem coloca um "3D" no título, mas chegar aos cinemas que é difícil. Este filme é o perfeito exemplo disso, porque definitivamente não chegará nem perto das telonas, se é que vai chegar por aqui.

A história gira em torno de Casper, um garoto que tem uma queda por uma das garotas mais populares da escola, que, por sua vez, namora com um idiota. Tentando ajudar o seu avô, ele fica cuidando de sua loja de antiguidades, mas não demora muito para seus amigos e outros jovens cheguem no local, quebrem um objeto e sejam amaldiçoados. Agora, todas as pessoas com que os amaldiçoados trocarem olhares se matarão e voltarão a vida como seres das trevas. Metade zumbis. Metade demônios. Porém, completamente ZEMONS (!). A única chance do grupo de escapar desta terrível maldição, é completando um elaborado (?) ritual antes do amanhecer.

Particularmente, toda essa ideia trash misturando zumbis com demônios me atraiu bastante. É como se Evil Dead encontrasse com Madrugada dos Mortos. Infelizmente, esse detalhe do roteiro não traz nenhum diferencial a não ser a propaganda em torno de algo supostamente original. Produções de terror cômicas podem ser um verdadeiro tiro no pé, pois é muito fácil ultrapassar a linha de cada gênero, produzindo uma catástrofe cinematográfica. E, adivinhem? É exatamente isso que acontece por aqui. Um filme tão pode que poderia facilmente passar na Sessão da Tarde.

Já esperava um certo grau de palhaçada, até porque, vendo o trailer, você percebe que não é um filme para se levar a sério. Poderia ser uma experiência divertida se a diretora não tivesse esquecido de todo o gore e mortes sangrentas, que é fundamental em um filme de zumbi. O roteiro também poderia ter explorado as diversas formas de suicídio. Poucos foram mostrados e sem qualquer tipo de impacto. Fica claro no decorrer do filme que o orçamento foi curtíssimo e a diretora não soube contornar esse problema. Ao invés de nos apresentar cenas sangrentas e trash, ela opta por nos mostrar mais uma rodada de palhaçada. E eu devo dizer, isso realmente cansa.

Dentre os personagens, praticamente nenhum chama a nossa atenção, sendo que poderão morrer a qualquer momento que os espectadores pouco irão se importar. Se algum deles merece algum destaque, é a loira burra e superficial. Apesar de ser surreal, ela é quem entrega algumas das cenas mais engraçadas de todo o filme. Simplesmente rouba a cena em suas loucuras ou os momentos em que tenta seduzir, seja com armas de batalhas (em câmera lenta, claro) ou com os próprios Zemons. Christopher Lloyd também faz uma ponta, como o avô do protagonista. Depois de participar desse filme e da bomba Piranha 2, ele definitivamente se mostra em final de carreira. Uma pena!

Um dos poucos pontos positivos fica por conta da caracterização dos Zemons. Gostei da pele cinza e olhos negros. Sem contar as veias em destaque. Pelo menos a maquiagem dos transformados está ótima. Destaque para a cena em que uma zemon se contorce em um campo de futebol americano, onde vários outros mortos estão prestes a levantar. É uma das melhores do filme. Enfim, eu esperava muito mais. Mas se vocês estão procurando por uma palhaçada sem limites e sem compromisso de história ou roteiro, assistam tranquilos. Mas se vocês quiserem o mínimo de inteligência, pode desistir agora. Tem alguns detalhes que realmente insultam nossa inteligência (Se o objeto da caveira era mortal e liberava uma maldição, porque era mantido em destaque na vitrine da loja?).


Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. vanessa vasconcelos reznor23 de novembro de 2012 23:59

    esse eu passo,valeu por avisar :(

    ResponderExcluir
  2. aparte da caeira é uma é realmente certa ... mais eu achei o filme muito bom na minha opiniao apezar de nao ser bom se vc qr assistir um fime de terror mais é muito bom o filme

    ResponderExcluir