segunda-feira, 8 de outubro de 2012

[Crítica] Hunted - 1x01: Mort (Series Premiere)


"Nunca faça de uma agente, uma inimiga" #Dicona

Review:
(Spoilers Abaixo)

Quem está preparado pra mais uma estréia dessa Fall? Eu o/

"Nikita, é você?!" Foi exatamente isso que eu pensei quando li a sinopse dessa série, espiã que tem problemas com a agência em que trabalha? Parece bastante com a trama da CW, mas sendo honesto, Nikita é perfeita. E Hunted, apesar de ótima e promissora, ainda não está com essa perfeição toda. Mas apesar do meu pensamento, as séries acabam não sendo tão parecidas quanto aparentam, o jeito de contar a história é totalmente diferente, afinal, estou comparando uma obra da CW com uma da parceira entre a BBC (muito amor) e a Cinemax. 

A história da série gira entorno da Samantha (interpretada pela excelentíssima Melissa George) que é uma espiã super competente que não mede esforços pra atingir seus objetivos. Logo no começo já somos apresentados as habilidades e inteligência da personagem. Até aí tudo bem, a questão é que ela acaba sofrendo uma tentativa de assassinato, e desconfia da própria agência em que trabalha como mandante do seu homicídio, sem saber em quem confiar, ela volta a trabalhar pra poder descobrir o mistério por trás da tentativa de assassinato. Deu pra entender? Sou péssimo com sinopses e títulos, sou desastroso, eu diria. E se você não viu o episódio ainda, pule o próximo parágrafo.


O começo do episódio já é uma sambada total na cara, aliás, o episódio é formado por reviravoltas sucessivas. Somos apresentados a Samantha de um jeito bem criativo, os roteiristas começam fingindo mostrar a vida pessoal dela, e quando eu menos esperava, descobrimos que tudo se tratava de uma missão. Essa é uma ótima sequência com poucas falas - muito poucas mesmo - mas assistindo, você nem sente falta, porque o clima fala por si só.

Durante os primeiros trinta minutos do episódio quase não temos fala, mas Melissa George consegue segurar as pontas muito bem. Esse primeiro momento é dela, adorei o clima que o roteiro criou. Em meio a cenas do exílio e treinamento de Sam somos apresentados ao primeiro flashback - virou modinha - e aparentemente, a personagem tem um trauma misterioso envolvendo a mãe. Posso dizer que amo esses clichês usados em série de espionagem?!

Pra terminar, ainda temos uma revelação bombástica, que com certeza eu não estava esperando, ainda estou em dúvidas se o que ela deixa a entender que aconteceu, realmente, aconteceu. Afinal, o interesse amoroso dela ainda é um dos nossos principais suspeitos pela tentativa de assassinato dela.



Já de volta a agência, toda montada no recalque, ela já é mandada pra primeira missão: investigar um homem - pfvr, não lembro nomes - que está envolvido com atos ilícitos e criminosos. Pra isso ela se aproxima do filho e do neto desse homem, nem preciso dizer que o jeito que ela dá pra se aproximar da família, que já é toda montada na segurança, é a-mah-zing. Vale a pena guardar na memória caso um dia você se torne um espião. Ou não, né? Você quem sabe.

O importante é que agora ela está infiltrada na mansão desse homem, já instalou câmeras pra todo lado, e principalmente, ela está ficando cada vez mais próxima da criança. Pra fechar com um mistério, o homem que está envolvido com a tentativa de assassinato dela, assume a identidade de outra pessoa e se infiltra na mansão também. E o melhor de tudo, a série mostrou que não vai ser uma procedural.

Pra fechar, tenho que ressaltar mais três pontos positivos da série: a fotografia é impecável  e olha que eu só falo sobre esses detalhes técnicos quando são dignos; os atores (e os personagens também) são excelentes, apesar da maioria serem rostos desconhecidos pra mim; e a série me fez pensar muito, então, prestem bastante atenção pra entenderem o que está acontecendo, uma piscada você já pode perder algum momento crucial que vai fazer diferença no futuro.

E então? Quem vai acompanhar essa loucura de só oito episódios comigo?
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
3 Comentários

Comentário(s)

3 comentários:

  1. Faz Nikita parecer uma aventura no parquinho.
    Muito boa essa série, Melissa George está incrível.

    ResponderExcluir
  2. Nikita é ótima, mas é outra dessas séries que eu acho superestimadas. Eu gosto, mas não é essa "coca-cola" toda. Talvez porque eu prefira seriados com temas sobrenaturais (mas também depende do dia, sou muito bipolar: alguns dias acho uma série boa, e dias depois ela não é a "mesma" ou ao contrario, acho qe ninguém entendeu, mas...)

    Enfim, Gostei bastante de Hunted, mas eu achei a 1ª metade do episódio melhor que a 2ª, todo aquele clima que foi criado foi fod*, e depois (pelo menos pra mim) perdeu um pouco o "ritmo", sei lá, não sei explicar direito.

    P.S: Evito criar expectativas, mas foi difícil com Hunted... Já estou esperando uma série estilo Homeland rsrs

    ResponderExcluir
  3. Amei esse epis de Hunted gente oq foi aquela morte falsa dela. Ai eu fiquei tipo WTF, como é q chamaram uma ambulancia tão rapido? Mas depois entendi tudo e ja tou apaixonada. Sempre coloco mtas expectativas nas séries q assisto e ainda ñ me decepcionei, quer dizer tirando HOD q me decepcionou, mas vou voltar a assistir de novo.

    ResponderExcluir