terça-feira, 23 de outubro de 2012

[Crítica] Emily Owens, M.D. - 1x01: Pilot (Series Premiere)

Você pode sair do colégio, mas o colégio não sai de você.


Review:
(Spoilers Abaixo)

Talvez tenham se tornado clichê as séries com temática médica. Temos Grey’s Anatomy, Private Practice, Animal Practice, Hart of Dixie – que não deixa de ser uma série médica, a pioneira ER, e agora Emily Owens. As comparações para quem acompanha essas séries são inevitáveis. Mas Emily Owens veio trazer um diferencial para esse tema. Ela trouxe o colegial para os corredores do hospital e transformou os médicos em verdadeiros adolescentes.

Como o próprio nome já diz, a série tem Emily, vulgo Poça, como protagonista. Uma adulta fracassada na época do colegial, e ainda fracassada, que virou médica e espera recomeçar sua vida e ser uma grande médica deixando a insegurança de vez no esquecimento. Mas a coisa não vai ser tão fácil assim.

Primeiro por que a rival vadia da ala oeste, Cassandra, eterno tormento de Emily no colégio também virou médica, e, por ironia do destino, começou o internato no mesmo hospital. Os reencontros são lindos, não é verdade? Gostei muito dessa personagem, ela é simplesmente a dissimulação e insolência em pessoa. Apronta nas caladas e depois vem fazer a Madalena arrependida.


Tem ainda o amigo gato e perfeito, Will, paixão platônica que nunca nota que a amiga Emily está com os quatro pneus e step arriados por ele. Quer dizer, não percebia. Num surto de coragem e determinação motivado por uma paciente, Emily foi lá abrir o coração para o amado. E, resposta clássica: gosto de você como amigo, não vamos estragar as coisas. É melhor ela começar a conquistar o coração do amigo se quiser-lo como namorado, a Cassandra já entrou na fila pro coração do rapaz. Coitada da Emily, ao menos ela começou a ter coragem para falar o que sente e não só conversar com a consciência.


A série conta ainda com a nova amiga lésbica de Emily, a Tyra, filha enrustida do diretor do hospital que promete ser a aliada da médica nessa nova trajetória. Tem ainda a atendente satânica Gina e o residente tudo-de-bom Micah. Aliás, o drama desse último promete ser o mais interessante da série e já simpatizei com ele. Está na cara também que ele e Emily ainda vão ter algo.


Como pano de fundo para tudo isso temos os casos médicos e o desenvolvimento de Emily como médica brilhante. Já no Piloto ela cuidou de dois casos e entrou na sala de cirurgia, coisa que só aconteceria daqui a uns bons anos.

Perceberam as semelhanças da série com o colégio? Tem a nerd fracassada, a amiga lésbica, o amigo gato, o outro amigo gato que ela não nota, a vadia poderosa, a professora que vai fazer da vida dela um inferno, mas que acredita no potencial dela e o diretor do hospital. Essa turma ainda vai criar muita confusão nos corredores desse hospital.

Não vou mentir e dizer que adorei a série de paixão e estou falling in love, mas, ela tem tudo para se desenvolver e criar situações engraçadas e dramáticas. É esperar para ver como tudo vai se desenrolar. Eu com certeza acompanharei a série. E vocês, o que acharam da estreia de Emily Owens?
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário