domingo, 14 de outubro de 2012

[Crítica] Chernobyl


Direção: Bradley Parker
Ano: 2012
País: EUA
Duração: 86 minutos
Título original: Chernobyl Diaries

Crítica:

Sinta a radiação.

Uma das coisas que mais me chamou a atenção na produção deste filme, é que ele é baseado em uma tragédia real que ocorreu na Ucrânia, onde houve um terrível acidente nuclear, que é considerado o maior de todos em termos de radiação, conseguindo superar em 400 vezes a bomba lançada em Hiroshima. O enredo não gira em torno da tragédia, mas a usa como plano de fundo. Por este motivo, achei realmente surpreendente não terem apelado para o velho "Inspirado em uma história real", como os produtores gananciosos costumam evidenciar. Tirei isso como um bom sinal.

A história gira em torno de um grupo de turistas que decide fazer uma excursão radical, visitando uma cidade que foi abandonada as pressas nos arredores da fábrica de Chernobyl. Depois do responsável pela aventura encontrar alguns problemas com os guardas, ele decide partir para um caminho alternativo, visando não decepcionar o grupo de aventureiros. Porém, após a expedição, eles descobrem que a van foi danificada e não tem como eles saírem de lá. O desespero cresce a medida que eles percebem que não estão sozinhos e que a radiação pode matá-los caso fiquem expostos por muito tempo.

Eu acho muito interessante (e terrível, devo completar) toda essa história sobre o desastre em Chernobyl. Realmente uma das maiores fatalidades da humanidade, cujas consequências nos assombram até hoje. Gostaria que tivéssemos mais filmes falando sobre o assunto, porque é uma trama muito rica, principalmente para o gênero terror. É uma forma original de misturar ficção com algo que realmente aconteceu. Acho que o enredo estabelecido por este filme foi interessante. Não se aproveita da história real de forma apelativa, mas nos apresenta uma trama separada que nos enrique com diversas informações verídicas sobre a tragédia. Um dos pontos mais interessantes, é o fato das pessoas terem abandonado suas casas, suas coisas e nunca mais retornaram. Deixando apenas uma cidade fantasma, assombrada por recordações de uma vida interrompida.

Agora julgando o filme em si, sou obrigado a dizer que não é um dos melhores do ano. Apesar de ser interessante, não creio que o roteiro tenha escolhido a melhor forma para resolver o mistério apresentado. E as possibilidades poderiam ter sido infinitas, mas, ao invés disso, preferiram entregar algo muito parecido com Viagem Maldita. E, apesar de ser um filme normal, temos a sensação de que é um found footage disfarçado, porque realmente parece que tem alguém lá com os personagens segurando a câmera, que treme e os segue de uma forma mais crua, como se fosse uma testemunha onipresente. Além disso, temos algumas cenas em primeira pessoa, como a abertura, indicando que os filmes com a marca "Oren Peli" têm que apresentar algo no que o consagrou (para os esquecidos, estou falando de Atividade Paranormal).

O elenco é competente, mas a grande maioria é formada por rostos desconhecidos. Apenas dois nomes realmente se destacam, Ingrid Bolsø Berdal, que protagonizou Presos no Gelo 1 e 2, e Jesse McCartney, que era cantor, interprete de Beautiful Soul e Shake. Todos eles atuaram bem, mas eu fiquei um pouco decepcionado com as atitudes dos personagens. O desespero deveria atingir níveis radioativos (se me permitem o trocadilho), porque além de serem perseguidos e mortos um a um por um inimigo invisível, eles ainda têm que se preocupar com a contaminação. Outro elemento que poderia ter sido melhor utilizado são os animais. É interessante ver que até os animais sofreram mutações, incluindo os peixes e ursos, queria ter visto mais disso.

O final fecha o filme de uma maneira óbvia, mas não necessariamente ruim. No balanço geral, eu recomendo. Me diverti assistindo, temos algumas cenas muito boas e tensas. Se você ainda não assistiu ao trailer, é melhor nem conferir, porque entrega alguns dos melhores momentos do longa. Para aqueles que quiserem saber mais sobre a terrível tragédia de Chernobyl, basta assistir este incrível documentário do Discovery Channel. E, como curiosidade, devo citar um desastre parecido aqui no Brasil, mais especificamente em Goiás, onde diversas pessoas foram contaminadas com radiação. O caso ficou conhecido como Césio 137. Quem quiser assistir, basta clicar AQUI. É surpreendente ver como existem vários casos parecidos, inclusive em nosso próprio país. Por isso é recomendável assistir a este filme, nem que seja pela história de fundo em si.


Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
3 Comentários

Comentário(s)

3 comentários:

  1. vanessa vasconcelos reznor14 de outubro de 2012 23:02

    será? hahaha brincadeira,vou assistir,vazou na net faz tempo,mas nem dei muita bola,espero não me decepcionar.

    ResponderExcluir
  2. Oi porque vocês não fazem uma crítica sobre o filme "Viagem Maldita" e a continuação "O Retorno Dos Malditos", adoro esses filmes!! e sobre Presos No Gelo 3: Fritt Vilt III????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por enquanto não há planos para a franquia Viagem Maldita, mas um especial com a franquia antiga e nova pode acontecer no futuro. Presos no Gelo 3 já foi criticado, assim como os dois anteriores da franquia.
      - http://meumundo-alternativo.blogspot.com.br/2011/03/critica-presos-no-gelo-3.html

      Excluir