quinta-feira, 13 de setembro de 2012

[Crítica] Saving Hope - 1x12: Ride Hard or Go Home

Eu piro, tu piras, ele pira, nós piramos, vós pirais, eles piram... TODOS PIRA

Review:
(Spoilers Abaixo)

Por favor, me passa um belo coquetel de bromazepam, diazepam, lexotan, lorazepam e todos os demais pans, por que meu coração e sistema nervoso ainda não estão totalmente recuperados do último episódio de Saving Hope. Mas antes de comentar sobre essa perfeição em forma de série, tenho de falar sobre algo chato. Infelizmente a NBC retirou Saving Hope da grade dela e o episódio doze foi exibido pela internet. O mesmo acontecerá com a Season Finale. Mas calma, o CTV, canal canadense, vai continuar exibindo-a. Inclusive a segunda temporada que já está encomendada com treze episódios.

Dito isso, vamos mais uma vez ao Zion Hope. Se semana passada o hospital testou o sistema imunológico dos nossos médicos, essa ele resolveu testar o quanto cada um confiava nos seus instintos e arriscava neles. E como resultado, cada médico deu novos caminhos à própria história.

Primeiro tivemos Joel, que ainda enfrenta as consequências de ter salvado o braço de um paciente contra a vontade dele. Na boa? Me dá uma serra elétrica que eu resolvo isso rapidinho. O fato é que graças a essa boa ação dele o hospital está sofrendo um processo e a Dana resolveu cortar as asas dele quanto às decisões médicas. Quase que ironicamente chega uma paciente ao hospital que depois de muito persuadir o Joel a confiar nos instintos dele conseguiu fazer uma cirurgia de risco e acabou ficando paraplégica. 


Resultado? Dana ficou uma fera com ele. Mas a história não acabou aí. Junte ao fato dele ser reprimido à história com a Alex, que deu outro “chega pra lá” nele. Nosso doutor parece não aguentar mais, e para a tristeza das fãs, ele resolveu pedir demissão do hospital. Mas é claro que ele não vai sair assim tão fácil, não é? Aguardem. Com certeza teremos uma intervenção. Será da Alex, da Dana ou da própria Maggie? So excited.

Outro que teve de confiar, e arriscar, nos próprios instintos foi o Gavin, que depois do Charlie é o médico mais perfeito da série. O menino certinho não é tão certinho assim afinal das contas. Nessa semana, indo contra várias regras do hospital ele deu o telefone pessoal a um paciente, saiu no horário do plantão e entrou na casa de um paciente, tudo para ajudar um casal de idosos. Achei muito linda a preocupação dele com o casal, ele é um médico que realmente se importa com os pacientes e quer ajudá-los.


Inusitado foi a transformação da Maggie, que o apoiou nisso tudo e até foi com ele à casa dos idosos. Parece que ela finalmente está mudando, e, como eu temia, foi se insinuar pro Gavin. Ok, ainda vou precisar de um tempo para engolir isso e o beijo que eles deram. É uma pena, pois o Gavin é apaixonado por ela, e por mais que ele dissesse que não, o sentimento não acabou. Só espero que ele consiga melhorar esse jeito dela e que ela não o magoe, porque se isso acontecer serei obrigado a escrever o nome dela no meu death note.

Mas o melhor do episódio mesmo, o que deixou meu coração e sistema nervoso em desalinho foi a história de Alex e Charlie. Confiando nos próprios instintos, Alex convenceu Shahir a tentar uma medida desesperada e estimular o cérebro do Charlie com eletrodos. Uma jogada arriscada, já que o procedimento ainda é experimental. Esses estímulos mais uma vez revelaram o passado do nosso médico favorito, e devo confessar que mais uma vez partiu meu coração. Depois de presenciar a morte dos pais e ficar um ano sem falar uma palavra ele foi meio que rejeitado pelo tio. Imagina o trauma que isso causou nele?

Ainda relutante, mas indo em frente com a insistência da Alex, Shahir explorou mais o cérebro do Charlie, e esse foi o ponto crítico, ou ele danificava o cérebro do Charlie ou trazia ele de volta. Mais crítico ainda foi o Charlie do outro lado, que a essa hora já estava livre e pronto pra voltar, só precisava escolher o lado certo. A voz da amada, ou o caminho pro céu com o policial suicida. [?]

E, para alegria de todos aqueles que torciam pelo retorno dele, ele acordou. Todos grita, todos chora, todos emociona. Tive de engolir o grito na madrugada para não acordar o pessoal em casa, mas a felicidade de ver aqueles lindos olhos verdes abrindo não teve preço.


Agora, pela promo da próxima semana, é recuperação e finalmente casamento, dessa vez sem terno. Espero que a Season Finale me emocione tanto quanto o episódio doze. Será que Charlie continuará vendo os espíritos? O casamento vai realmente acontecer? E os outros médicos? Respostas ainda nessa semana, não percam.

Promo: 1x13 - Pink Clouds (Season Finale):
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
6 Comentários

Comentário(s)

6 comentários:

  1. Eu me enquadro na conjugação do verbo pirar! hahaaha Esse episódio foi muito digno, meldels. Preciso do próximo para ontem ;P

    Gostei da crítica *-*

    ResponderExcluir
  2. Cadê Animal Practice ?

    ResponderExcluir
  3. Laira: precisamos, pensando em procurar ele pra baixar sem a legenda mesmo haha

    Anônimo: Animal Practice foi só um pre-air, a série ainda vai estreiar oficialmente e teremos a crítica aqui :D

    ResponderExcluir
  4. Cara o seu blog e muito legal e de conteudo e o mais importante me diz aí como fazer um blog tão bom quanto o seu.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo: obrigado pelo elogio :D então, o blog na verdade é do Nefferson, ele que tem a fórmula de um blog tão bom, mas vem principalmente de uma equipe comprometida com as melhores séries e em fazer boas reviews. Volte sempre :D

    ResponderExcluir
  6. Sério? Jurava q o Blog era do João kkkkkkk Equipe otima para criticas.
    Amei esse episódio, e acho q tou começando a gostar da Maggie, so é incrivel o quanto ela gosta das pessoas rápido.

    ResponderExcluir