Especial

Foto:

[Crítica] O Vingador do Futuro (1990)


Direção: Paul Verhoeven
Ano: 1990
País: EUA
Duração: 113 minutos
Título original: Total Recall

Crítica:

Prepare-se para a viagem da sua vida.


Geralmente, eu sempre sou a favor de remakes, e, por diversos vezes, os acho superiores aos originais. É claro que isso não é uma regra. Nem todos os filmes, eu vejo que têm uma necessidade de serem refeitos. Talvez, apenas aqueles que não sejam excelentes, mas, se forem, qual o sentido de refazer? Como um exemplo perfeito para esta questão, temos O Vingador do Futuro. Considerado por muitos, inclusive por mim, um verdadeiro clássico, não havia sentido refazê-lo. Eu até assisti-lo recentemente, ele poder comparar melhor o remake vs. original, e mais uma vez, foi comprovado o quanto este filme estava a frente de seu tempo.

A história segue um homem trabalhador com uma vida comum e uma esposa bonita, chamado Douglas Quaid. Atormentado por sonhos envolvendo Marte e uma mulher desconhecida, Quaid vai até a Recall, uma empresa que trabalha com implante de lembranças. Não demora muito para a sua vida se transformar em uma perseguição alucinante, quando ele descobre não ser quem é, não podendo confiar em ninguém. Sem suas memórias verdadeiras, ele percebe que toda a sua vida foi uma mentira e terá que correr atrás da verdade, então que alguém o mate. Logo, fica claro que as respostas que procura estão em Marte, então ele terá que ir até lá, para desvendar um segredo sombrio que pode selar o destino de todos.

Mais de vinte anos depois, e o filme permanece atual. É realmente impressionante. Os efeitos visuais usados não são nada, se comparados com os de atualmente, porém, são suficientemente bons. É interessante acompanhar um futuro, com diversas novidades tecnológicas, como a própria Recall, que implanta memórias de viagens maravilhosas, que cidadãos comuns nunca poderiam pagar. Além disso, temos outros diversos momentos interessantes, que aparecem rapidamente, mas que são curiosos, como a facilidade para trocar a cor das unhas e até mesmo os disfarces, completamente renovados pela tecnologia. E, claro, robôs dirigem os táxis agora. Este momento rende algumas cenas bem trash.

E por falar em trash, fico feliz em dizer que esta é a palavra que define todo o filme. Temos sangue exagerado em todas as mortes, cenas loucas - como quando o protagonista usa a fantasia de uma mulher gorda -, e muita ação. Destaco a personagem da Sharon Stone, Lori, que é tão linda quanto mortal. Ela simplesmente rouba a cena da mocinha do filme, e somos gratos por presenciar uma briga entre as duas. Arnold Schwarzenegger dispensa comentários. Sempre que aparece em cenas, eu tenho pena de seus inimigos. Ele estava com tudo naquela época, totalmente forte e gigante. Corram para as colinas!

Na segunda metade do filme, temos a oportunidade de ver um pouco mais de Marte. Temos alguns mutantes e híbridos. Além disso, o tirano do lugar tem o poder da população ao controlar o ar das pessoas. Deste núcleo, destaco duas coisas: o jeito que os protagonistas ficam ao entrar em contato com a atmosfera de marte - que é completamente LOUCO e super legal -, e a prostituta anã, que atira bastante e mata horrores. Senti falta dela no remake, foi uma ótima participação no original. E nem preciso comentar dos personagens mais do que trash, como os mutantes e a prostituta de três peitos, né?

E além do terceiro ato ser de tirar o fôlego, ainda somos brindados com um duplo twister carpado no final. Temos umas duas reviravoltas bombantes, mas a segunda é muito mais empolgante. Aposto que ninguém esperava por aquela revelação. E o pior, eu já havia visto este filme várias vezes, mas nem lembrava que tinha esta reviravolta no final. Fui pego de surpresa, depois de ter assistido mais de cinco vezes o mesmo filme. Se isso não é cinema fantástico, eu não sei mais o que é. Enfim, muito superior ao remake, imbatível. Merece ser visto de novo, e de novo, e de novo... PS. Destaque para Sharon Stone lutando de roupinha de malhar.



Trailer:

Comentário(s)
4 Comentário(s)

4 comentários:

  1. vanessa vasconcelos reznor30 de agosto de 2012 21:00

    queria ter visto esse filme,quem sabe qualquer dia desses pode passar na tv,vou esperar.

    ResponderExcluir
  2. pra que esperar ver na tv sendo que tem o filme completo no youtube?! http://www.youtube.com/watch?v=JGw5ioNigFM

    ResponderExcluir
  3. Falou e e disse, clássico é clássico. O Exterminador do Futuro não deve nada ao remake, ao contrário, dá um banho neste remake desnecessario, que pelo jeito, tinha mais pretensões de reafirmar a carreira do péssimo Colin Farrell.

    Ricardo Tenório Rodrigues

    ResponderExcluir
  4. Filme único!! Deixa no chinelo o remake...assisti no cinema numca esquecerei época de ouro dos filmes de acao ...sdd dos anos 90..PS mas gostaria que refizessem o filme INIMIGO MEU ....

    ResponderExcluir