terça-feira, 7 de agosto de 2012

[Crítica] Distúrbio




Direção: Jon Wright
Ano: 2009
País: UK
Duração: 87 minutos
Título original: Tormented

Crítica:

Uma nova classe de terror.

As pessoas vivem dizendo que o gênero terror está desgastado, ou seja, trazendo pouquíssimas idéias do o cinema atual. A questão é que isso é verdade. Quando uma boa idéia surge, vários outros produtores ambiciosos tentam embarcar na novidade para conseguir um "pedaço" do sucesso. Recentemente, um grande exemplo disso, é a popularização do subgênero found footage, que acabou sendo banalizado em meio a tantas produções mal feitas e sem graça. Ironicamente, alguns ainda têm coragem de olhar para trás e nos trazer uma nova variação daquilo que já achávamos degradado. Neste caso, voltamos ao tradicional slasher.

A história desse filme gira em torno de um grupo de adolescentes fúteis, que se vêem em uma situação mortal depois de um garoto de sua escola morre. Até aí, tudo bem. Mas acontece que o garoto morto sofria bullying do grupo e era alvo dos mais diversos tipos de humilhação. Como tudo o que vai, volta, os adolescentes são perseguidos pelo espírito do garoto, que não vai descansar até que cada um deles pague com suas vidas, por ele ter tirado a dele. Agora, os que ainda estão vivos têm que parar de olhar para os seus próprios umbigos e se unir, para escapar de um mal que pode estar em todos os lugares.

Como vocês podem perceber, esta é uma história simples. Não está querendo revolucionar o gênero e nos surpreender com grandes reviravoltas. Não há nenhum tipo de pretensão, a não ser divertir o espectador com mortes divertidas, de personagens cretinos e metidos, fazendo-nos torcer ainda mais para que o vilão acabe com cada um deles. Sucesso no passado, os slashers existem exatamente para isso: a diversão. O roteiro deu uma pequena inovada, e, ao invés de nos fazer assistir um vilão mascarado, nos faz acompanhar um fantasma com o rosto muito bem definido. Um slasher sobrenatural, onde as vítimas não têm a opção de simplesmente "correr".

Além disso, o roteiro também abrange um tema que adquiriu grande popularização por parte da população e mídia, o bullying. Em outros filmes deste mesmo estilo, somos obrigados a tolerar a santificação de adolescentes burros e malvados, que se vêem metidos em algum tipo de problema mortal. Neste filme, não somos obrigados a torcer para eles. Na verdade, o roteiro tenta banalizá-los ao máximo, tornando-os muito mais reais do que muitos adolescentes retratados em outros filmes. O ser humano é cruel, mas se tratando de adolescentes em grupo, pode multiplicar esta crueldade por dois. E, apesar de você ver como eles são cretinos e malvados, dá para se identificar com eles, porque, em algum momento, você já terá feito algo tão ardiloso quanto eles. Eu sei disso, porque eu já o fiz.

E, apesar de ser retratado como uma mistura de comédia com terror, eu não enxerguei isso. A "comédia" presente no filme, está nos diálogos ácidos de humor negro dos personagens. Também vemos este mesmo "humor negro" em diversas mortes ao longo da produção. Mas nunca vemos uma comédia, realmente. Por falar nas mortes, elas são violentas e estão acima dos outros filmes de terror que têm sido lançados ultimamente. Tudo muito bem feito, com o mínimo de CGI possível (só em algumas cenas, mas é bem feito). Tudo feito como a velha escola do horror fazia, com efeitos práticos e maquiagem.

Para quem pensa que não há como vencer aquele que já está morto, está muito enganado. Sempre há uma chance de sobreviver, mas nem sempre os personagens a aceitam. Aliás, o desfecho é muito bom. Apesar de ser previsível, principalmente pelo fato do filme começar com uma cena do fim, ele não decepciona, mostrando que, no final, as pessoas morrem por causa de suas próprias burrices. E devo destacar a cena final, depois dos créditos. Não percam! Ah, nem preciso dizer que eu recomendo, certo? Muito bem, então. Assistam, porque vale a pena, mas não espere uma história profunda. É apenas diversão!


Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Assisti esse filme antes de você Nefferson,tbm gostei muito,eles merecerem morrer e a cena dos créditos finais foi ótima mostrando que ninguém pode escapar de uma vingança mortal,eu tbm recomendo.


    PS:Queria indicar o filme The Final,tem o mesmo tema de bullying e vingança,é muito bom.

    ResponderExcluir