sexta-feira, 10 de agosto de 2012

[Crítica] Continuum - 1x10: End Times (Season Finale)


Vomitei arco-íris com um pote de ouro no final.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Palmas lentas para Simom Barry, por favor. Obrigado. Agora sim, tem alguém aí que não gostou dessa finale? Porque eu achei excelente, mais até do que eu estava esperando. Sabe quando você é surpreendido pelo o que você assistiu? Então, foi isso que aconteceu. Esse final de temporada foi daqueles que samba na nossa cara e depois que termina, aponta e dá risada. Conseguiu me chocar, me emocionar, me chocar mais um pouco, me deixar curioso e o que eu mais gosto, me fez pensar. E muito. Bom, vou tentar controlar meus dedos, mas já prevejo uma daquelas reviews gigantescas que só eu faço. Já fiquem avisados, temos muito e um pouco mais, sobre o que falar...Mas antes de tudo: cadê a segunda temporada confirmada, produção?!

Acho que o título desse episódio poderia ter sido Teseu’s Time, porque o episódio girou todo entorno do Dia do Teseu, que nós tanto ouvimos falar no episódio passado. Resumidamente, esse dia é o grande marco do inicio da revolução contra as coorporações. E, convenhamos, não tem jeito melhor de causar impacto do que explodindo um prédio lotado de pessoas, não é verdade? Osama que o diga, que o Diabo o tenha, aliás. Então, vemos a corrida de Kiera pra descobrir qual dos prédios, na tentativa de impedir o atentado...Gente, mais uma vez eu senti falta de coisas ditas anteriormente, pelo que eu pude entender Kiera sabia que o atentado ocorrerria mas não lembrava qual era o prédio. Quer dizer, ela voltou pra 2012 e só nesse episódio, ela se lembrou da aula de história onde aprendeu que o inicio da revolução é nesse ano?! Pfvr, né?!

O ponto forte do episódio, foi inserir alguns personagens novos, mesmos que uns ainda sejam tão ocultos quanto o sujeito dessa oração: “Queremos Segunda Temporada”. O personagem que mais gostei foi com certeza Gardiner, até ele aparecer, os policiais atuais estavam servindo a pena como ajudantes da Kiera, ou seja, uns moscas mortas. Esse novo oficial questionou a existência da Seção 6, e só não descobriu a farsa toda, porque uma outra figura misteriosa e nova na série, Esher, criou uma confirmação da existência dessa seção.

E pra acompanhar essa locura toda, sério, ainda não sei como surgiu tempo pra tudo isso em um episódio só. Temos um personagem novo que também veio do futuro, Jason. Ficou muito mal explicada aquela história dele, principalmente, o final. De acordo o próprio, ele teria voltado pra 1992 (ou seja, são 20 anos vivendo num tempo que não é dele), mas pelo que vi, ele não deixa claro, se ele viajou no tempo antes, junto ou depois de Kiera. Graças a ele descobrimos que existem outros que também voltaram do futuro, uns tais de freelancers e Corsários. Jason, aparentou ser louco mesmo, mas pra mim algo não bateu na história .

Naquela hora que ele pede a tal peça pra Kiera, ele é especifico demais “Eu preciso de uma liga tal, assim, assim e assada, mas ela só vai ser inventada em 2034”, eu me perguntei, se ele não foi manipulado pra no final se fazer de doido, e mostrar uma máquina do tempo feita de sucata pra Kiera, impedindo ela de voltar pro futuro. #Cliffhangers. Gente, meus olhos marejaram nessa última cena, a atriz conseguiu passar tanta decepção e dor, praticamente só com o rosto. E a única vez que chorei assistindo alguma coisa foi Click.

Então, por achar que Jason tinha mesmo uma máquina do tempo de verdade – ainda suspeito que ele tenha – e ela ia voltar pra 2077, Kiera, usa seu traje pra ficar invisivél na frente do Gardiner. Ficou bem claro que ele viu, e eu acho que ele não vai esquecer disso tão facilmente. Será que ele vai começar a investigar/perseguir a Kiera? Bom, só sei que quero mais Corsários, freelancers, Jason, Esher e Gardiner na eventual segunda temporada.

Voltando a história central, durante todo o episódio vemos a arquitetação do plano de Kagame. Ele confia Sonya, e dá a mesmas algumas missões secretas. E claro que aquele Francis (?) não gosta da idéia. Depois que Kagame morre explodindo o prédio verdadeiro, descobrimos que aquele também era o dia de seu aniversário. Ou seja, enquanto o Kagame estava morrendo, ele estava nascendo ao mesmo tempo. Eu acho que a série quis passar aquela ideia de que um mesmo corpo não pode ocupar um mesmo tempo/espaço. Bom, como Kagame mandou Sonya assumir o cargo de líder da Liber8, ela pega e muito gentilmente, dá um tiro no Francis. Já pode fazer um tutorial de “Como eliminar personagens que não queremos na segunda temporada”.

(Abrir um parêntese só pra dizer quão boas foram as cenas do Alec2012 enfrentando o Kagame)


Já nessa reta final do episódio é que temos as reviravoltas/descobertas BOMBÁSTICAS, primeiro de tudo: Julian, no futuro, ficará conhecido como Teseu, e ele e Kagame não são a mesma pessoa, como estava muito óbvio, ao menos, pra mim. Na verdade Julian/Teseu é o mentor do Sr.Kagado, foi ele quem influenciou o mesmo a seguir na carreirra de revolucionário/homem-bomba/viajante do tempo. Em segundo: Alec2077 está por trás de tudo que está acontecendo. Gente, eu sei que nós já tínhamos deduzido isso há um tempo, mas quando vimos isso realmente acontecendo, o choque é inevitavél. E no final, o Alec2012 ainda lê o arquivo “Leia-me” e revela pra Kiera “Eu sou o responsavél por você está aqui...” #CliffhangersPart2

E só pra finalizar, nesse episódio, vimos que Kiera “dormiu” mesmo com Kellog. Mas aparentemente foi só pra conseguir a peça da Bola do Tempo...Pra mim, errarram nisso, foi como se houvesse uma quebra no caratér da personagem. E no final, a protagonista aparece fugindo com ele no barco.

Resumindo, Kiera não conseguiu impedir a explosão do prédio. Ou seja, o marco inicial pra revolução aconteceu. Isso quer dizer que não importa o que eles façam o futuro já está moldado? Mas se for assim, os personagens vão ficar presos num ciclo temporal, onde tudo acontece de novo e de novo até alguém se tocar?! Tudo está meio nebuloso pra mim ainda, não sabemos qual teoria de viagem temporal está sendo abordada na série, tivemos várias respostas, várias perguntas, uma segunda temporada não confirmada oficialmente pelo canal. Em outras palavras, estamos naquelas. Qualquer novidade eu posto em outras críticas pra vocês.

Foi ótimo acompanhar Continuum com vocês, gente. Desculpem pelo tamanho da review, mas acreditem se quiserem, foi a menor que eu fiz. Nos vemos em Grimm e nos últimos episódio de The Glee Project.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Tá, eu gostei do episódio e admito que tenha pegado meio pesado nos comentários do 2x08, mas é que eu odeio quando uma série pode fazer bons episódio como esse fica "enrolando" em procedurais.

    Uma coisa que eu fiquei com dúvida, que nem sei se é uma dúvida, é se foi o Kagame que explodiu o prédio pela primeira vez no "Dia do Teseu", aí ele volta em 2077 depois que nasceu e vai de volta se matar, como se fosse um "ciclo". Alguém entendeu o que eu quis dizer? '-'

    E eu realmente espero que se Continuum for renovada, que seja pra apenas 10 episódios, porque se for pra 22 vai ter muita enrolação.

    Apesar de Continuum ter se provado uma boa série, não acho ela espetacular/fantastica/maravilhosa/melhor série que já vi.

    Sério que vc quase chorou com aquela cena? Achei isso super óbvio do carinha-que-esqueci-o-nome não ter a máquina do tempo. E se ele não retornar a série ou derem a explicação que ele é louco, vai ser um grande furo, pois como ele sabia tanto do futuro?

    P.S: ~ansioso pelo retorno de Grimm~

    ResponderExcluir