terça-feira, 3 de julho de 2012

[Crítica] Saving Hope - 1x04: The Fight


Makes me work a little bit harder… so thanks for makin me a fighter ♪ (Christina Aguilera - Fighter)

Review:
(Spoilers Abaixo)

Lute. Saving Hope levou a sério o significado da palavra essa semana e nos trouxe um episódio digno de destaque. E a luta também veio na audiência. Para quem, assim como eu, achou que a audiência continuaria caindo pode comemorar, essa semana passamos dos 3 milhões de expectadores, voltando à audiência que a série vinha sustentando nos dois primeiros episódios. Expostos esses fatos, vamos à luta, ou melhor, ao episódio.

Como era de se esperar, os casos médicos e por conseqüência toda a história do episódio dessa semana focaram na luta. Luta a favor da vida, contra os próprios demônios e medos. Eu simplesmente adorei, por que o episódio foi me surpreendendo a todo instante. Eu já sabia que a coisa ia esquentar pela promo dele. Tiroteio no hospital! Muito esperto para animar as coisas na série, e o modo como isso trilhou toda a história, bem, não poderia ser melhor.

As histórias dessa semana envolveram todos os médicos, com exceção da Dana, e, para minha surpresa, o Dr. Shahir, o neurocirurgião, fez uma revelação que eu não esperava. Nossa doutora guerreira Alex continua mostrando que está disposta a continuar a fazer tudo para acordar Charlie, ela está fazendo turnos extras no hospital, e foi exatamente esse turno extra que acabou colocando ela no meio do tiroteio do hospital, mas calma, ela não foi atingida.

Vamos então ao que desencadeou toda a bagunça no hospital. Tudo começou com um jovem que foi esfaqueado numa briga e acabou ficando em coma. E onde ele foi parar? No lugar entre esse e o outro mundo, com Charlie. Mas aí no lado de cá os amigos dele foram se vingar do cara que o esfaqueou e estava lá no hospital. Foi tiro pra todo lado, que acabou atingindo uma paciente.

Enquanto isso, os outros médicos estavam na festa de aniversário do Dr. Shahir, e foi aí que eu estranhei sabe. Ele nunca teve tanto destaque na série, só para fazer exames e consultas no Charlie. A festa rolando e ele todo incomodado com a situação, foi aí a grande revelação. Ele é gay, e já namora há um ano e meio, também não gosta de aglomerações e festas cheias de drag queens. Uma pequena pausa nessa hora pra me recuperar da notícia. Eu achei super legal, não me lembro de doutores (não doutoras) gays em outra série, e o Shahir, mulçumano e gay foi muito inesperado e inteligente. Saving Hope acaba de ganhar mais pontos comigo.

No outro lado, Alex cuidava de um jogador de hóquei que era uma verdadeira bomba relógio, com três aneurismas que podiam se romper a qualquer momento, mas que se recusava a fazer os exames por que sabia que a carreira seria arruinada. Como era de se esperar, um aneurisma rompeu e ele foi levado às pressas para a cirurgia com o Dr. Shahir. E foi o fim da carreira dele. Mas claro que ele não aceitou isso de boa, e coube a Alex dar um sacode nas idéias dele e acordá-lo pra realidade. Eu não jogaria minha vida e uma mulher que me ama a troco demais quinze minutos de fama sabendo que poderia morrer a qualquer instante, é muito egoísmo, fiquei feliz de ele perceber isso.

Já o Dr. Joel, Gavin e a Dra. Maggie também tiveram seus momentos, Gavin ainda correndo atrás da Maggie e ela atrás do Joel, eu torço pelo Gavin, afinal, não gosto do Joel. Ele é muito arrogante e insiste em fazer cirurgias impossíveis só para mostrar que é o melhor, e mais uma vez Alex estava lá para dar um corretivo nele e impedir que ele, quem sabe, matasse a paciente que foi atingida no tiroteio.

E para finalizar, o meu personagem favorito, o Charlie. Essa semana a série trouxe uma questão interessante. Até que ponto o espírito de alguém interfere na recuperação da pessoa? Até que ponto a luta do outro lado ajuda? Bem, o cara que chegou esfaqueado ao hospital ficou em coma, parecia não ter volta. Mas, do outro lado o espírito dele lutava para voltar, e para a surpresa de todos no hospital ele acordou. Foi aí que Charlie percebeu que havia parado de lutar. Nesse episódio ele desenvolveu pneumonia, estava com febre, mas depois de ver o empenho do carinha em lutar ele também lutou, e a febre baixou. Milagre? Não, eu chamo de luta.

Para fechar esse episódio maravilhoso, ainda tivemos um pequeno contato entre Alex e o espírito de Charlie. Será que foi apenas coisa da cabeça dela? Cansaço acumulado? Bem, não sei, mas a imagem dele chamando por ela foi emocionante, eu amo esses dois e quero que eles fiquem juntos, nada de arrumar caso pra Alex. Enfim, a crítica foi um pouco extensa essa semana, mas é que fiquei muito animado com o episódio, e feliz da audiência ter subido. Saving Hope tem futuro, e espero que cada vez mais reconheçam a ótima série que ela é. Até o próximo episódio.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Eu estava começando a achar que só eu gostava dessa série.

    ResponderExcluir