sábado, 14 de julho de 2012

[Crítica] Saving Hope - 1x06: The Great Randall

“Conheço uma liberdade, que é a liberdade da mente” - Antoine de Saint-Exupery


Review:
(Spoilers Abaixo)

Prontos para libertar suas mentes? Siga-me, eu vos desafio a esquecer o que chamam de realidade. Levarei-lhes a um mundo onde vampiros existem, a hipnose cura a dor e vozes aterrorizam sua mente. Meio dramático não é? Mas foi exatamente onde Saving Hope me levou essa semana, e após o ponto final, é onde levarei vocês.

Já perceberam como todos os episódios e casos médicos já abordados em Saving Hope sempre remetem às questões da mente? Um dos casos médicos dessa semana, por exemplo. O paciente chegou com um vergalhão enfiado na barriga, duas costelas fraturas e zero de dor!? Após a cirurgia: zero de dor somado à amnésia. E, shazan, eu vos apresento O Grande Randall, o hipnótico que deixou nosso paciente assim, feliz da vida com um vergalhão na barriga e sem memória.

Era óbvio que ele teria grande destaque, o nome dele está no título do episódio! E não poderia ser melhor. Eu quase pulei da cadeira quando ele estava lá na recepção esperando a Alex, o espírito do Charlie passa por ele, e, na maior, ele fala: – Bonito terno. Era tudo que eu queria! Alguém para ajudar Charlie a se comunicar com Alex, e nesse momento minha cabeça fervilhou de possibilidades. Nunca acreditei muito em hipnose, a Alex também não. Mas ver ela, Charlie e o Grande Randall conversando foi de fato emocionante, tive de segurar as lágrimas, foi de longe o melhor momento do episódio para mim.

Não muito longe, em outro núcleo, outras histórias se desenvolviam. Como sempre centradas em Maggie, Joel e Gavin. A piriguete que atende por Maggie está cansada de ter apenas sexo com o Dr. Joel, e resolveu dar um ultimato no garanhão. E quem ele foi procurar para desabafar? Claro que a única pessoa naquele hospital que o conhece bem, a Alex. Foi um momento interessante, e apesar de com certeza ter algo mal resolvido entre esses dois eu espero que a relação não passe de bons amigos, não sei, mas não rola química, ele deve continuar correndo atrás da Maggie que apesar de ter dado o pé na bunda dele quando foi pedida em namoro merece-o.

Já o Dr. Gavin mostrou mais uma vez por que eu gosto tanto do personagem. Ele não foi menos que brilhante ao lidar com o caso da menina com vozes que aterrorizavam a mente dela. E não sei se estou louco, mas eu acho que ainda vai sair uma história, pequena eu espero, desse caso. Também fiquei me questionando quanto a se ele deve ficar com a Maggie. Não sei, mas é um personagem tão bom que por enquanto deixa ele como está.

Ah, faltou o vampiro do episódio. Bem, não foi exatamente um vampiro, e ele era o cara que estava hipnotizado e não sentia dor. Alex conseguiu descobrir a porfiria, doença que o incomodava há anos.


Finalizando esse episódio emocionante tivemos o flashback que eu simplesmente amo das memórias de Charlie e Alex. O que o desencadeou dessa vez foi a possível gravidez que Alex pensava ter no início do episódio, que para minha tristeza não aconteceu. E foi mais uma lembrança que me tirou sorrisos bobos. É por isso que eu não consigo imaginar ela com outro personagem, esses flashes de memória só provam o quanto ela e Charlie são perfeitos e devem ficar juntos. Fé, ele vai voltar.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário