sexta-feira, 29 de agosto de 2014

[Crítica] O Espetacular Homem-Aranha


Direção: Marc Webb
Ano: 2012
País: EUA
Duração: 136 minutos
Título original: The Amazing Spider-Man

Crítica:

A história não contada.

Eu gostava muito da franquia do Sam Raimi, então, assim como muitos, eu também torci o nariz para um possível reboot de Homem-Aranha. Apesar disso, as notícias a respeito da produção começaram a pipocar na internet e eu fui ficando cada vez mais atraído. Os produtores diziam querer fazer um filme mais sério e sombrio, e isso já me deixou mais interessado no projeto. Quando anunciaram que Emma Stone seria a protagonista feminina do filme, não teve como resistir. Sou fã dessa atriz desde o clássico instantâneo, A Mentira. Então, que venha a nova versão do cabeça de teia.

A história acompanha Peter Parker, que mora com seus tios, após a perda de seus pais. Depois de mexer em alguns documentos velhos no porão, Peter encontra as pesquisas de seu pai. Não demora muito para ele ir atrás de um cientista que visa misturar espécies para que, um dia, os humanos possam ter o dom de regenerar membros, assim como alguns répteis. Em uma dessas visitas, Peter entra em contato com aranhas geneticamente modificadas, e, é picado. Agora, com poderes espetaculares, Peter se transformará em Homem-Aranha, e deverá decidir lutar para proteger as pessoas, ou simplesmente sua vingança pessoal contra o cara que matou o seu avô.

Apesar da história não fugir muito do contexto do filme apresentado por Sam Raimi, este filme consegue ser diferente o suficiente para não ser desnecessário. Na verdade, eu me atrevo a dizer que ele é até bem melhor que o Homem-Aranha, de 2002. Grande parte disso, fica por conta da nova roupagem da história. São diferenças pequenas, mas que fazem toda a diferença. Uma das mais notáveis é a mudança no tom e clima do filme. Apesar de ainda ter o seu humor, as piadinhas não acontecem o tempo inteiro. A história está mais sombria, assim como as cenas, que se passam, a maioria, à noite.

Além disso, o Homem-Aranha passa por lutas muito mais realistas, com consequências reais. Enquanto o outro Peter raramente aparecia machucado, este novo, come o pão que o diabo amassou, sempre cheio de hematomas e machucados. Sinceramente, eu adorei este detalhe, porque dá um toque de realismo ainda maior ao filme. Sem contar que o Homem-Aranha é considerado um verdadeiro criminoso aqui, sendo perseguido, com direito a tiros dos policiais. E, acreditem, eles não estão apenas brincando ou satisfeitos por um mascarado fazer o seu trabalho. Os policiais também representam uma ameaça e, o líder deles, é justamente o pai da garota por quem Peter é apaixonado, Gwen Stacy.

E, por falar em paixão, devo dizer que este é o maior ponto positivo de todo o filme. O roteiro guardou boa parte da história para o desenvolvimento da história amorosa do casal. Uma das maiores sacadas - e o que direi a seguir pode ser considerado um spoiler, então, se não quiserem saber, pulem para o próximo parágrafo -, é que o Peter não esconde o segredo de sua identidade para a garota que ama. Ele conta a Gwen que é o Homem-Aranha antes mesmo da metade do filme, o que garante muitas cenas fofas entre os dois, já que não há aquela pressão do segredo. A química entre Stone e Garfield é visível, até porque, eles estão namorando oficialmente fora das telas, certo? Então não poderia ficar mais perfeito. Até mesmo as pessoas que odiaram o filme reconheceram que os dois juntos ficaram ótimos.

O final ainda nos instiga com um gostinho de quero mais. Eu, sinceramente, fiquei ansioso para acompanhar uma sequência - que só viria dois anos depois. E isso é um ótimo sinal. Também não posso deixar de comentar que uma das minhas críticas à trama da primeira versão foi levada em consideração. Este filme apresentou várias cenas na escola. Agora uma coisa que não mudou foi a interação e ajuda mútua entre o Homem-Aranha e a população. Foi lindo de acompanhar, no final, a cena dos guindastes. Enfim, curti muito essa nova versão do Homem-Aranha, e não me senti entediado acompanhando quase a mesma história novamente. Marc Webb deixou sua marca na nova franquia, tornando-a diferente e única.


Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
9 Comentários

Comentário(s)

9 comentários:

  1. eu vi o filme ontem e adorei.
    Ótima critica.
    o filme está no ponto,divertido,engraçado e diferente na medida certa

    ResponderExcluir
  2. De todas as criticas que eu li até agora, essa foi a única que me deixou animado pra ver o filme. Gostei de saber que é um filme mais sombrio e realista, vou conferir no cinema qualquer hora.

    ResponderExcluir
  3. Ainda acho que não superou o de 2002, mas é um filme muito bom para recomeçar a franquia, que venha mais...

    ResponderExcluir
  4. Assisti ontem e também gostei.

    O 3D eu achei muito bom nas cenas de ação e o final eu achei perfeito pra continuação (que pelo que eu li também vai ser uma trilogia). [PODE SER SPOILER]Quando vi aquele "homem misterioso" no fim me lembrei do Coringa do Batman, não sei porque.~

    ResponderExcluir
  5. Também concordo com você Nerfferson, o filme é perfeito. As cenas com o combate com a largatixa osada foram perfeitas. Com efeitos especiais ótimos, á parte do nitrogênio foi minha favorita *-*

    ResponderExcluir
  6. Mudaram todos os atores não sei porque, o filme é legal, mas é o primeiro de novo, ridiculo, eles contam tudo de novo, deveria ser Homem Aranha 4 e não o primeiro de novo.

    ResponderExcluir
  7. Eu achei bem melhor que o primeiro onde a Mary Jane só era pega em todos os filmes e só sabia gritar. Neste a Gwen até ataca o vilão. Adorei a parte dos diálogos e quando o Peter fala pro policial que fez 80% do trabalho dele. Achei legal o Peter dizer que não vai desistir de Gwen, pois as promessas que não pode cumprir são as melhores. A única coisas que não gostei foi que as teias sai de um equipamento.

    ResponderExcluir
  8. Para quem nada sabe de quadrinhos como Nefferson, pode ser um filme bom, mas se comparar com os quadrinhos a origem do herói em sí, certas cenas meio que incoerentes, eu achei um filme fraco e por sinal a história não contada, continua não contada...
    mas como um filme de ação longe de ser do ''Homem aranha'' foi legal de se ver.

    ResponderExcluir