segunda-feira, 9 de julho de 2012

[Crítica] MIB - Homens de Preto


Direção: Barry Sonnenfeld
Ano: 1997
País: EUA
Duração: 98 minutos
Título original: Men in Black

Crítica:

Protegendo a Terra da escória do universo.

Vocês já foram conferir Homens de Preto 3 nos cinemas? Ainda não? Estão esperando o quê? E, claro, para homenagear este lançamento, nada melhor do que voltar no tempo, lá em 1997, e relembrar o primeiro filme da franquia. Será que podemos chamar de maratona? Acho que ainda não há filmes o suficiente, mas o Sr. Jones aprova. Enfim, coloquem os seus óculos pretos, porque estamos prestes a embarcar em uma nova jornada. Todos adoram maratonas. Todos.

A história gira em torno da existência de uma agência secreta do governo, MIB - Homens de Preto, que monitora os alienígenas que vivem na Terra e todo o tipo de assunto envolvendo ETs. Não demora muito para o equilíbrio ser quebrado, quando um alienígena-inseto chega ao nosso planeta, buscando algo que pode acabar com todo o planeta. Em paralelo a isso, o agente Kay está em busca de um novo parceiro e, o que ele conseguiu encontrar, pode ser um tanto quanto diferente dos requisitados. Juntos, eles terão que evitar a destruição do Planeta e garantir, aos seres humanos ignorantes, mais um dia.

Este filme é baseado em um HQ da Marvel (parece que ela está por todos os lugares, não é?!). Pessoalmente, esta história de misturar alienígenas com humor negro e ação, pode não ser inovadora, mas certamente caiu como uma luva neste filme. O roteiro soube trabalhar bem o gore com a comédia, trazendo uma história eficiente, com alguns elementos de terror embutidos no meio. Poderia imaginar facilmente esta, como uma história séria, beirando o suspense/terror. Seria divertido, mas não consigo mais imaginar Homens de Preto sem esse nível cretino de piadas. Vocês conseguem?

Mesmo assim, este filme ainda apresenta uma grande quantidade de mortes. Tudo bem que a maioria é alienígena, mas também não vamos discriminar, certo? Um dos pontos altos é o próprio vilão. Vincent D'Onofrio é um excelente ator e consegue fazer uns jeitos descontrolados de uma forma perfeita. Teve um momento que eu até pensei que havia um alien o vestindo como roupa mesmo, porque estava muito perfeito. E, claro, nada disso seria possível sem o grande trabalho de maquiagem da produção, que praticamente fez o ator se vestir de si mesmo (quão bizarro deve ser isso?).

E se o lado do mal tem um grande representante, o lado do bem tem DOIS. Isso mesmo, a dupla maravilha, formada por Kay e Jay. Eles estão excelentes juntos, têm uma química de dar inveja. É impressionante como o Tommy Lee Jones pode nos fazer rir sem nem ao menos mudar a expressão. E essa interação entre os dois atores é super importante, porque o Will Smith preenche totalmente o vazio que o personagem de Jones deveria deixar, fazendo com que o filme nunca seja cansativo.

Bem, apesar da história, em geral, ter milhões de possibilidades, não acho que eles pensaram em uma sequência. O roteirista criou uma história fechadinha, com um clima de despedida. Temos a substituição do Kay por uma mulher, seguindo os desenhos e HQs, eu creio. Mas, convenhamos, não existe Homens de Preto com o humor atípico do Jones, certo? Bem, então vamos voar para a sequência e saber exatamente o que aconteceu por aqui. É, pessoal, agora nós voamos de uma crítica para a outra. Tentem acompanhar.

Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Adoro esse filme,o Will é engraçadíssimo e a cara de "mal" do Tommy é engraçada,ainda bem que eles mudaram de idéia e continuaram essa ótima historia,e o Vincet D'Onofrio estava ótimo tbm.

    ResponderExcluir