quarta-feira, 25 de julho de 2012

[Crítica] Judas Kiss


Direção: J.T. Tepnapa
Ano: 2011
País: EUA
Duração: 94 minutos
Título original: Judas Kiss

Crítica:

Se você tivesse uma segunda chance, você a aproveitaria?

É muito encontrar um bom filme com temática homossexual. Poucos são os que se salvam, em um mar de produções descuidadas, com um péssimo roteiro e atuações. Mas, quem tem forças para procurar, acaba se deparando com ótimas produções, como o excelente De Repente, Califórnia, que é injustamente desconhecida pelo grande público. Hoje eu lhes apresento mais um bom título do gênero. Só fico triste por filmes bons assim, não terem o mesmo reconhecimento que outros não tão bons do mesmo estilo (Do Começo ao Fim mandou 'oi').

A história desse filme gira em torno de um promissor estudante de cinema, Danny, que está concorrente em um importante festival, com seu polêmico filme, chamado Judas Kiss. Ele é um dos grandes favoritos para vencer, mas certos desafios ficarão em seu caminho. Não demora muito para surgir Zach, um dos jurados, que parece saber mais sobre Danny do que qualquer outra pessoa poderia achar possível, pegar em seu pé e se tornar um obstáculo em seu caminho. Mas o que ele não sabe, é que o destino trabalha de formas misteriosas, a fim de reparar os erros do passado. Em paralelo a isso, Zach terá que escolher o que fazer de sua vida e em quem confiar, porque apenas um estará ao seu lado por toda a vida...

Apesar desse ser um filme gay, é inteligente do roteiro tratar disso como uma subtrama. Não há destaque, nem alarde por causa da opção sexual do garoto. Muito pelo contrário, ele não é questionado e nem mantém isso sob os holofotes, fazendo tudo acontecer de uma forma natural, sem preconceitos ou taboos. E este detalhe é curioso, porque, geralmente, nesses filmes do gênero, não há como deixar de evidenciar a homossexualidade. Não estou falando que outros filmes que fazem isso são ruins, muito pelo contrário. Só estou comentando que eu achei interessante poder acompanhar isso de outro ponto.

Dentre os atores, destaco Sean Paul Lockhart (Chillerama), mais conhecido como Brent Corrigan, na indústria pornográfica gay. É interessante ver um ex-ator pornô tentando fazer filmes "normais". E ele até que interpreta bem, com um bom personagem. Os outros também não ficam para trás, como o próprio protagonista, Richard Harmon, que segura muito bem o seu personagem. De resto, só merece destaque mesmo, o Charlie David, já que o resto não passa de elenco de apoio. Pelo menos esse grupo de atores faz a trama funcionar de maneira natural. Esperava algo bem abaixo disso.

E o mais interessante, como havia dito, é a presença de uma história mais "complexa" do que nos outros filmes do gênero. Aqui, nós temos a constante batalha do protagonista contra si mesmo, tentando provar o seu valor no meio de um mercado acirrado. E ainda temos toda uma reviravolta, que não é difícil adivinhar, mas que acaba nos surpreendendo em algum ponto. É como se o filme desse várias voltas. É provável que a maioria não seja pego pela primeira, mas certamente será pego desprevenido nas outras. Os efeitos visuais são bons o suficiente para que funcione dentro da trama. Não temos muito o uso de CGI, mas as poucas cenas que há, são aceitáveis.

Para aqueles que querem saber sobre a pegação entre os garotos, devo dizer que acontece regularmente durante todo o filme. Mas para aqueles que gostam de assistir algo mais "ousado", vai se decepcionar. Não temos garotos pelados, e quase nenhuma cena de sexo, onde não se mostra nada. Eu prefiro assim, um milhão de vezes, porque mantém um mistério e dignidade. Afinal, não é só porque há um ex-ator pornô gay entre os atores, que ele terá que andar pelado em todas as cenas. E, não se empolguem também, afinal, Lockhart é um dos personagens mais "puros" da trama, então mal o verá sem camisa. Enfim, esse filme é recomendado para aqueles que gostam do gênero e querem assistir um filme com uma história um tanto diferente. Eu recomendo!

Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Gostei do filme,achei interessante e como você recomenda vou conferir :D

    ResponderExcluir