terça-feira, 17 de julho de 2012

[Crítica] Homem de Ferro 2


Direção: Jon Favreau
Ano: 2010
País: EUA
Duração: 124 minutos
Título original: Iron Man 2

Crítica:

Depois de um excelente primeiro filme, mostrando um herói completamente fora dos padrões, uma história de amor incompleta e milhões de histórias possíveis, havia mesmo alguma desculpa para não fazer uma sequência? Bem, pelo visto não. Uma vez que a segunda parte da franquia foi lançada dois anos depois do original, mostrando que os produtores não perdem mesmo tempo. E, por falar em não perder tempo, as notícias sobre a produção do Homem de Ferro 3 está lotando a internet e até imagens conceituais já foram lançadas oficialmente. Pelo visto, o homem de ferro nunca terá descanso, e eu agradeço por isso.

A história volta a seguir Tony Stark, que, depois dos eventos do primeiro filme, começa a sofrer uma pressão por parte do governo, que quer tomar sua armadura, para que ela possa ser usada para o bem do país. A idéia é que Stark divida sua tecnologia com os militares, para que os EUA não dependa de um único homem. Ele consegue manter seus projetos longe das garras do governo, mas, um novo inimigo está prestes a surgir. Com homem, com dois chicotes elétricos mortais está em busca de vingança. Mas vingança pelo o quê? É isso o que Stark terá que descobrir, ao mesmo tempo em que tenta salvar o seu país e as pessoas que ama.

Logo depois de vi o original, eu fiquei muito empolgado pela idéia de uma sequência. Como já é de costume (pelo menos para mim), o primeiro filme foi apenas uma pequena prova do que estaria por vir. Isso aconteceu com esta franquia também. Todos os elementos que fizeram sucesso no original, estão presentes nesta segunda parte, só que bem mais desenvolvidos. A ação corre solta e o roteiro ainda leva o "2" do título muito a sério, nos apresentando dois homens de ferro. Não podemos esquecer dos outros elementos, é claro, que merecem todo o destaque.

Na primeira crítica, eu falei bastante sobre o relacionamento entre o Tony e a Pepper. Adoro quando um roteiro de super-herói dá destaque a mocinha, porque eu sempre considero os pares românticos dos heróis, quase tão importantes quanto eles. Porque são elas que lhe dão forças para vencer quando estão perdendo. E o roteiro não me decepcionou, desenvolvendo ainda mais o relacionamento dos dois. Apesar de ter gostado de não ter tido uma resolução no primeiro filme, eu ficaria desapontado se os roteiristas ainda deixassem a conclusão desse romance para outra sequência. O timing foi perfeito!

Agora, eu quero dedicar um parágrafo a uma das minhas heroínas favoritas, que quebrou tudo em Os Vingadores. Sim, eu estou falando da Viúva Negra, interpreta pela maravilhosa Scarlett Johansson. Além da atriz ser extremamente carismática, a sua personagem ainda apresenta um estilo mortal e único de luta. A sequência onde ela tem a chance de demonstra suas habilidades é simplesmente PEFEITA. Esperei praticamente o filme inteiro por aquele momento e fiquei de queixo caído. E devo dizer que o confronto entre o Stark e os outros homens de ferro, controlados pelo vilão, foi muito legal também.

Para aqueles que não viram ou simplesmente não repararam, este filme tem uma ligação direta com Os Vingadores. E não é só por causa da Viúva Negra. Nick Fury (interpretado por Samuel L. Jackson) também aparece, falando sobre um projeto ultra secreto. E, de acordo com os boatos e informações vazadas até o momento, parece que o Homem de Ferro 3 irá preparar caminho para Os Vingadores 2. Eu estou ansiosamente esperando por ambas as sequências. Merecemos mais filmes de heróis. Merecemos mais Tony Stark. E eu mereço mais Scarlett Johansson, me deixem.

Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. A Viuva Negra infelizmente não vai ta no Homem de Ferro 3, a propria atriz disso isso.

    ResponderExcluir