quinta-feira, 26 de julho de 2012

[Crítica] Dallas - 1x07: Collateral Damage

Apenas morta.

Review:
(Spoilers Abaixo)

John Ross, John Ross, onde você foi se meter, moleque? Agora além de precisar de muito feijão com arroz pra chegar aos pés do pai, parece que também vai precisar de um bom advogado. Ponto pro Team Christopher, de qualquer jeito, e pra todos aqueles que torceram pra não haver penetração.

E em pensar que tudo começou como se não tivesse hora pra terminar. John Ross mais uma vez comendo o pão que Bobby amassou e sem o pai pra ajudar na digestão. Mal JR sabe que enquanto ele ta dando uma de novinho e passando as férias no Nordeste o filho ta lá pagando pelos crimes que queria cometer. Nada que não tínhamos visto na semana passada, né? Mas dessa vez, a coisa ficou tão séria que só um milagre divino pra intervir. Ou como o os ricos estão acostumados, um belo de um suborno.

Eu sinceramente pensei que a Marta Psycho renderia mais loucuras antes de partir dessa com Lúcifer na carruagem de Sinhá Moça. Porque uma mulher louca de ciúmes que ameaça matar todo mundo se não tiver seu grande amor ao seu lado é exatamente o que toda novela precisa. Mas ela nem começou a brincar de Heloísa e já tinha ido pro saco, gente, e o único lado bom de tudo isso foi que a cena conseguiu ser impactante a níveis The Vampire Diaries.

Assim, o tiro saiu pela culatra e ao invés de se livrar de um problema, John Ross acabou criando outro. Minutos antes dos capangas do Senhor Cano jogarem ela da sacada do prédio ao estilo Revenge, o bode expiatório tinha acabado de sair de seu apartamento com uma cicatriz devido a briga, que insisto em dizer que vai ser uma das provas contra ele num possível julgamento. Afinal, por que todos estão atacando o John Ross? Não custa muito deixá-lo penetrar e ser feliz, de repente ele virou uma Quinn Fabray e só recebe sofrimento por cima de sofrimento. Espero que ele dê a volta por cima e se torne o todo poderoso, porque acho que é isso mesmo que vai acontecer. Estamos cada vez mais perto de uma realidade em que John Ross tem até o próprio pai em suas mãos, e quem vai ficar feliz somos nós. Principalmente eu que virei a casaca e agora sou Team John Ross porque não aguento olhar pra cara do Christopher sem sentir náuseas.

Fora toda essa história, restam apenas mais duas tramas. O mistério que envolve a depressão de Ann, que deu um grande salto e várias pistas, porém nenhuma certeza. E o caso Rebecca, que foi o drama dos mocinhos no episódio todo e poderia ser resolvido simplesmente escrevendo uma carta pro programa do ratinho. Eu sinceramente não sei porque a série insiste em focar tanto nos protagonistas antigos, sendo que a série está sendo refeita agora pra nova geração e me desculpem, mas são personagens tão desinteressantes que nos dão vontade de dormir na cadeira. Por isso a gravidez de Rebecca chamou mais atenção, e convenhamos, foi bem mais importante.

Houve a revelação que já esperávamos, sobre ela estar grávida de gêmeos, e toda aquela negação do Christopher quanto a admitir que engravidou uma golpista. É meu filho, vocês ricos pensam que a primeira vagina disposta e ouvir seus problemas merece casar, depois tirar ela da sua vida porque era uma golpista não adianta nada quando você já fecundou com gosto. Realmente não sei até onde isso vai chegar, talvez ela perca os bebês, ou morra e deixe os filhos pro marido criar, não sei, só sei que aquele irmão dela tem que trazer a bunda de volta pra Dallas AGORA porque eu não vou deixar o caso que ele deveria ter com a Ann se perder no meio do golpe. Quero adultério, e quero agora, Ran!
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. Verdade, dão muito ideia pros personagens antigos, descartando boas tramas que poderiam ser aprofundadas, nos novos.E convenhamos, a trama envolvendo a perfuração já enjoou.

    ResponderExcluir
  2. Suspeito que Ann seja mãe biológica de Rebecca.

    ResponderExcluir