quarta-feira, 4 de julho de 2012

[Crítica] Dallas - 1x04: The Last Hurrah

So take a dirty Picture for me, take a dirty Picture.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Mãe, quando eu crescer eu quero ser um grande homem e entrar na briga pelo SouthFork, por favor. Ou qualquer outra coisa que me faça ficar bem perto desse Game of Gados que ainda vai acabar em morte. Não, o novelão ainda não ficou chato, e se continuar me deixando com a cara na BR vai viver tanto quanto sua irmã mais velha.

Uma das coisas que eu mais gosto na série é que ela não perde tempo enrolando. Aconteceu tanta coisa nesses últimos episódios que é difícil acreditar que ainda possa sobrar drama pra série se sustentar até a Season Finale. Pra se ter uma ideia, a venda do SouthFork já está quase finalizada e as chances de nada dar certo pro J.R são quase nulas. Porque este foi o tipo do episódio em que ele manipulou o povo todo, conseguiu aliados e traiu seus comparsas. Nada demais pro cara que aprendeu a dar a Elza no jardim de infância né?

Seu plano era incriminar o filho do... Qual o nome mesmo? Bom, vamos chamá-lo apenas de chantagista, porque o nome realmente não importa. Seu filho era um drogado que já tinha duas passagens pela policia, e na terceira, seria preso de verdade por muitos anos. Incriminá-lo era o único jeito de concluir a venda do SouthFork sem dar um tostão para o chantagista, e é exatamente aí que a pilantra entra.

Um fato é que se fosse um filme pornô, Rebecca teria sido feita de objeto sexual pelo John Ross fácil, fácil. Negou até o ultimo instante que não tinha enviado aquele email, mas teve que se prestar a serviços extra curriculares pra manter o segredo. Eu sinceramente acho que essa atriz não sabe interpretar direito e confunde náusea gástrica com dúvidas na expressão facial. Porque ela não consegue convencer nem como boazinha, nem como vilã, e faz uma cara de sofrimento como se fosse a vítima mór quando tem um cara com câncer no outro corredor achando que a vida é daora. Essa sim merece uma surra do irmão pra aprender a ter foco.

E realmente, no final ficou provado que ela não serve pra nada. Marta teve que entrar na jogada pra poder dar tudo certo e o episódio acaba com ela tentando dizer algo ao Christopher sobre o email. Se ela vai dizer a verdade? Claro que não, ela não pode perdê-lo, mas que vai inventar uma boa mentira contra o John Ross, isso ela vai. Mas bem que ela podia confessar tudo, arrumar as malas e ir embora, porque eu não aguento mais ver o casal Celena separado e brigando e cheios de ciúmes. Tiveram uma cena triste só porque Elena começou um novo negócio com o John e o Christopher estava cheio de ciúmes. Por Deus, o que custava ela rasgar aquele cheque e pular no colo dele? Dane-se o matrimônio, porque é muito bom ser vida loca.

Quanto ao video que Marta gravou dela e John fazendo sexo, acho que está bem mais perto de vazar na internet. J.R deu um jeito de fazer Marta acreditar que John não a amava para colocá-la do seu lado e excluir o filho, ou então não poderia ficar com o SouthFork só pra ele. Nossa, essa parte foi muito cretina, o velho só pode ser um dos cavaleiros do apocalipse. Não é possível, lhe falta humanidade no interior e também no exterior por ter essa aparência de patriarca alienígena. Espero que ele faça mais das suas antes que a idade chegue e ele não possa mais levantar. Nada que um calcitran B12 não resolva, pergunta só pro Oscar Niemeyer.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário