domingo, 3 de junho de 2012

[Crítica] Piratas Pirados!



Direção: Peter Lord & Jeff Newitt
Ano: 2012
País: EUA
Duração: 88 minutos
Título original: The Pirates! Band of Misfits

Crítica:

Prepare-se para uma nova geração de piratas.

Quem nunca delirou e riu horrores assistindo A Fuga das Galinhas, definitivamente não teve infância. Era um filme totalmente especial, produzido, aparentemente, com massinha de modelar. Foi um tremendo sucesso e conquistou milhares de fãs ao redor do mundo (inclusive a mim). Anos depois, surgiu Wallace & Gromit - A Batalha dos Vegetais, que não conseguiu emplacar o mesmo sucesso que o anterior. Agora, os criadores destes dois filmes retornam para mais uma tentativa, com Piratas Pirados!, usando a mesma técnica que os seus trabalhos anteriores. Será que eles têm um novo clássico nas mãos? Vamos ver.

A história segue o Capitão Pirata (sim, esse é o nome dele), que, apesar de não ter grandes conquistas, sonha em se tornar o "Pirata do Ano", que é uma comemoração para coroar o pirata mais corajoso e com mais ouro. Ao ver que os outros estão muito a sua frente, ele parte em busca de outros barcos no mar. Logo, ele encontra Darwin, que revela que seu "papagaio", na verdade, é um pássaro raríssimo, considerado em extinção. Agora, Darwin, Capitão Pirata e sua tripulação partem para a uma missão em Terra Seca, visando o prêmio em uma feira de cientistas. Para complicar a situação, a Rainha Victoria, que odeia piratas com toda a sua alma, está no local e não deixará nenhum pirata sair de suas terras... vivo.

Então, esse filme é divertido, mas não tem o mesmo espírito que A Fuga das Galinhas. Apesar de ser melhor do que Wallace & Gromit - A Batalha dos Vegetais, logo será esquecido. Não estou dizendo que é um filme ruim, mas tem alguns detalhes complicados em sua execução. Não sei tão divertido para as crianças, porque a história é muito complicada para elas. Por diversas vezes, os personagens falam coisas que elas não saberão o significado, fazendo com que as piadas só funcionem com os adultos. E, A Fuga das Galinhas, se tornou um clássico porque conseguia afetar todas as idades.

Um dos meus momentos preferidos, é quando o Capitão Pirata sai disposto a assaltar todos que ele vê pela frente, mas sempre se dá mal. Ele tenta assaltar um bando de escoteiros, fantasmas e, o mais engraçado deles, um navio cheio de leprosos. Foi muito engraçado quando o braço do personagem caiu, e este momento vocês podem ver no trailer abaixo. Além disso, também é legal quando os outros piratas vão se apresentando para os espectadores. O mais estiloso deles, é claro, é o que vem numa baleia. Eu mesmo fiquei de boca aberta, foi muito bom. E o melhor foi ver os dentes piscando!

Mas, uma vez em Terra Seca, a história dá uma caída. As coisas que acontecem não são tão engraçadas e eu achei o personagem do Darwin, um verdadeiro saco. Também não foi muito inteligente usar um personagem conhecido pelo grande público (quem não conhece o Charles Darwin?), e transformá-lo em um vilão em potencial. Pelo menos a verdadeira vilã, a Rainha Victoria, cumpre muito bem o seu papel. A mulher parece que está possuída, principalmente no final, onde o ódio está estampado por todo o seu rosto e aquela máscara de civilidade foi para o lixo.

Enfim, se vocês gostam de desenho, é uma boa pedida, mas não esperem muitas coisas. Não é um clássico, nunca será. Apesar disso, tem os seus momentos, como eu expliquei acima. Eu também queria destacar os animais, o macaco e o "papagaio", que têm um grande desempenho durante da história. OBS: O que aprendemos com este filme? Para ser um pirata de respeito, é preciso ter uma barba vistosa. Se você não tem, vai limpar o convés, marujo. Nota 8,0.

Trailer Dublado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários: