sexta-feira, 1 de junho de 2012

[Crítica] Intrusos


Direção: Juan Carlos Fresnadillo
Ano: 2011
País: EUA / UK / Espanha
Duração: 100 minutos
Título original: Intruders

» Será distribuído pela Universal, direto em DVD, com o título Intrusos. Foi traduzido literalmente, mas seria bom que a distribuidora tivesse optado por uma derivação do título, uma vez que há outro filme com o mesmo nome.

Crítica:

O pesadelo é real.

Detesto quando os produtores tentam vender um projeto como se ele fosse puro terror e, quando vamos assistir alucinadamente, descobrimos que não passa de um suspense dramático bem cretino e sem graça. É como esta revolta que eu me deparo com Intruders, um filme que não cumpre o que promete. Ao contrário do que todo o material de divulgação tenta nos passar, não se trata de um filme de terror. Agora, é difícil saber se houve uma tentativa de nos fazer sentir medo, porque não acredito que eles tentaram. Mas, vamos à crítica em si, para podermos entender um pouco melhor.

A história segue a jovem Mia, que depois de encontrar uma carta antiga escondida no buraco de uma árvore (!), começa a ser atormentada por uma figura estranha e sem rosto, que planeja usar o rosto dela como se fosse o seu próprio. Em paralelo a isso, um menino e sua mãe, são atormentados pelo menos ser estranho que a menina. Com o crescer do medo das crianças, o Sem-Rosto vai ganhando força e poder para completar seus objetivos. Agora, os pais dos garotos atormentados, terão que arranjar uma solução, antes que seja tarde demais.

Esta foi uma das maiores decepções que eu sofri este ano. Tinha tudo para ser interessante. Tanto a premissa de um ser sem rosto tentando face alheia, já é assustadora. Além disso, é curioso ver que o mesmo evento pode estar acontecendo em mais de um lugar. Assim, duas famílias lutam e tentam proteger os seus filhos de maneiras diferentes... E isso não quer dizer que alguma delas irão conseguir salvar seus filhos de um mal superior, que não pode ser visto pelos outros e domina suas mentes.

Uma saída inteligente para o filme, seria usar muitas sequências de pesadelos. Existe um momento no final, quando Mia entra no mundo do Sem-Rosto e galhos crescem por todos os lados, que é realmente divertida de se ver. Mas tudo acaba rápido demais e nada mais acontece. Seria melhor que o Sem-Rosto atormentasse as crianças dentro de seus sonhos, porque ficar aparecendo no escuro e saindo dos armários não está com nada. Seria muito mais eficiente e aterrorizante, ver como é viver em seu mundo, uma vez que a protagonista deixa claro que o Sem-Rosto quer levá-la para lá.

O desfecho do filme, que deveria trazer momentos mais eletrizantes de pura correria e desespero, é a coisa mais broxante que eu já vi em anos. Além do filme não sair do lugar comum, o roteiro tenta uma reviravolta manjada, que eu já temia desde que tinha visto o trailer. E, claro, o pior acabou acontecendo. Foi ridículo, porque, além de nos decepcionar, desconstrói tudo o que vimos em mais de uma hora de projeção. É como se tivéssemos sido enganados. Eu não gostei nenhum um pouco.

Não temos nenhuma cena envolvente ou nenhuma assombração que valha a pena assistir este filme. Sinceramente, eu perdi o meu tempo, achando que veria uma coisa e me deparando com outra completamente diferente. Quem quiser assistir, vá em frente. Mas não esperem muito do final, porque não está de acordo com nossas expectativas. Para não dizer que o filme é ruim como um todo, os efeitos visuais são aceitáveis. Apenas. Boa sorte para quem quiser ver. Tenho certeza que alguns irão até gostar. Nota 4,5.

Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
11 Comentários

Comentário(s)

11 comentários:

  1. Ainda bem que você postou uma crítica desse filme, queria ver sua opinião. Enfim não gostei do film, perda de tempo

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei do começo, mas o final é broxante mesmo

    ResponderExcluir
  3. Comigo acontece um fato curioso e engraçado:quando vc faz uma crítica positiva me dá vontade de assistir o filme,mas se é uma crítica negativa me dá MUITA vontade de assistir :D.



    PS:Depois que eu assistir "Intrusos",volto e comento o que eu achei sobre ele.

    ResponderExcluir
  4. Éh um filme lento, porem éh interessante eh tem um ideia original.

    Oh final eu achei clichê, porem foi bem emocionante.

    EU discordo de muitas criticas deste BLOG, por exemplo, Piratas do caribe, navegando em águas misteriosas foi disparado oh pior da série, sem os atrativos que fizeram sucesso nos seus antecessores, como batalha de navios, Orlando Bloom eh Keira kKightley, sem emoção, menos aventura, só cego ou fanático pela série não percebeu isso.
    EU acho algumas criticas desse BLOG ridículas, repugnante eh sem oh menor nexo, éh oh caso de Piratas do Caribe, Conan, oh remake eh por ai vai...

    ResponderExcluir
  5. um verdadeiro lixo. um filme idiota. mas tem gente que gosta de lixo e de coisa idiota. entao, bom proveito.

    ResponderExcluir
  6. criei altas expectativas, mas acabei sem entender direito o final . se alguem puder me explica por favor . Obrigada !

    ResponderExcluir
  7. O final do filme eh lixao ¬¬
    Bela critica amigo, agora antes de assistir venho aki dah uma vista de olhos nas materias :D

    ResponderExcluir
  8. ser imparcial é a melhor maneira de se fazer uma crítica, mesmo o filme sendo de má qualidade.

    ResponderExcluir
  9. o filme não é ruim ... É PÉSSIMO!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  10. O filme até faz sentido no final apesar do final ser uma bosta e muitos ficarem sem entender. Eu entendi assim: as histórias não são paralelas, ou seja, o menino pequeno que vive na Espanha é o pai da Mia. Tanto que no final do filme ele pergunta pra mãe o porque dela não ter contado a verdade. O que eu entendi do filme e que ele passa uma mensagem no final, em que os pais fazem de tudo pra salvar os filhos...
    Bom, isso aí que eu entendi!

    ResponderExcluir
  11. Eu gostei do filme, claro que se você prestar atenção ele da a ideia que o Sem Rosto ou Cara Oca é o fantasma do pai do Joan que foi preso sem conhece-lo direito. E então ele achou que o ser que entrou em sua casa era um monstro. E depois ele realmente virou um monstro após sua morte, enterado no cimento. Então ele passou a atormentar o filho até o garoto esconder a história que ele escrevia sobre esse monstro e ele desaparecer. Depois a Mia encontrou a história e o monstro retornou até o John(a saber o Joan) saber a história toda e contar para a Mia(a saber a filha dele) e o espirito do pai de Joan ser liberto da prisão de sua alma... Bem foi isso que eu entendi ou então só era um problema psicológico. E esse é o segundo filme que tem algo que me lembra Slender Man(o outro é Constantine pois tem uma cena na qual aparece um papel com um simbulo que se parece com um simbulo que aparece nos papeis do jogo).

    ResponderExcluir