quinta-feira, 3 de maio de 2012

[Crítica] Touch - 1x05: Entanglement


Esse Jake não fala porque colocaram botox demais no seu rosto e ele não consegeu mexer a boca, né?
Review
(Spoilers Abaixo)
Tsc, tsc, tsc. O que dizer dessa série? Eu assisto o episódio e até gosto na hora, mas depois quando venho escrever percebo que a série não está me animando tanto. Falta alguma coisa, eu sei que até já tinha falado isso, mas é a verdade, falta alguma coisa pra Touch. Não sei explicar.
Essa semana, como eu já tinha visto nas promos, Jake ao invés de lidar com números, decidiu dar um padrão pro pai seguir.  Eu pensei que teria alguma coisa de diferente, mas foi a mesma coisa de sempre. Que decepção! Sem falar que tudo foi muito previsível e clichê demais. Desde a hora em que falaram que teria a tal reunião com os “analistas” do conselho tutelar, ficou óbvio que Martin ia se atolar seguindo os padrões e não ia comparecer na avaliação.
Agora, eu até tinha gostado dessa Clea nos dois primeiros episódios, depois transformaram a personagem numa chata. Ela já viu do que Jake é capaz e mesmo assim fica dando sermão o tempo todo em Martin. Desnecessário. Ela podia estar ajudando ao invés de ficar fazendo discursos prontos, durante 20 minutos do episódio.
Em contra partida, Arthur (o perito em padrões, que finalmente descobri o nome) decidiu não fazer discursos prontos, e foi mais ativo. Estava óbvio – menos pra mim – que ele também tinha o mesmo dom que Jake. E parece que ele é meio obcecado e fissurado por esse poder. Fiquei curioso pra saber o que ele aprontava enquanto ainda estava com o poder a flor da pele, e porque será que esse “dom” está voltando? Será que tem como fazer Jake “desligar” esse dom? Aposto que Martin logo, logo vai se questionar isso.
Mais uma vez, a trama paralela conseguiu ser mais interessante que a trama central. Nesse episódio, não tivemos a volta de nenhum personagem, mas os novos que entraram são extremamente interessantes. Mais do que nunca, todas as tramas paralelas se conectaram por estreitas ligações, desde o irmão da garota até a menina iraquiana que era rebelde. Isso ainda me deixa boquiaberto.
Já na trama central, vemos Martin correndo pra cima e pra baixo com uma mulher maluca que apontou uma arma pra ele, que estava em busca de vingança do homem que matou seu pai. #RevengeFeelings. No final, ele conseguiu resolver tudo. Chato. Mas pelo menos não teve Jake invadindo com extrema facilidade a casa das pessoas, enquanto mantém sua única expressão facial.
Episódio bom, mas como eu disse, faltou alguma coisa. Eu ainda não consigo me sentir empolgado com a série. Digamos que eu ainda não me sinto “tocado” o bastante. Mas vou continuar acompanhando, quem sabe no meio de tantos padrões, a gente consiga se conectar com a série.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Eu não estou empolgado com Awake! ~assovia~
    Parece até ironia, vc ama Awake, e eu amo Touch, e ambos não achamos a série do outro AQUELA COISA. AUSHUAHSUAHS
    Então, sem querer cobrar, o mes voou e eu nao vi as reviews de sherlock... kkkkk, pode demorar, melhor uma coisa bem feita doq mal feita u.u
    Só achei que tivesse esquecido...

    ResponderExcluir