quarta-feira, 30 de maio de 2012

[Crítica] A Perseguição


Direção: Joe Carnahan
Ano: 2011
País: EUA
Duração: 117 minutos
Título original: The Grey

Crítica:

Nesse dia, é viver ou morrer.

Eu sei que várias pessoas adoram aqueles filmes de animais assassinos, geralmente modificados geneticamente (O Ataque das Víboras) ou por forças da natureza (Anaconda 2: A Caçada Pela Orquídea Sangrenta). Mas, não podemos esquecer que, as crias da natureza, podem ser cruéis sem qualquer tipo de habilidade especial. Este é o caso de A Perseguição, que invoca, mais uma vez, o confronto entre homens e feras. É claro que sempre vem na nossa cabeça o fato do homem ser o animal mais perigoso que se possa existir, mas, no ambiente errado, ele pode ser uma presa fácil. Muito fácil.

A história segue um grupo de trabalhadores de uma estação de perfuração de poços de petróleo, em seu último dia de trabalho. Todos estão felizes para voltar à suas casas, mas no durante a viagem, o avião sofre uma pane a acaba caindo no meio do nada. A mercê de um frio infernal (!), os sobreviventes do acidente começam a explorar a área, procurando mantimentos. Mas, o frio não é a única coisa que pode matar naquela região... Uma alcatéia de lobos selvagens não está disposta a deixar estranhos invadirem seu território e fará de tudo para eliminar os invasores. Agora é lutar ou morrer!

Um fato interessante destes tipos de filmes, é que eles sempre usam da capacidade perversa do ser humano para mostrar que eles podem vencer a tudo, porque são os mais cruéis. Isso não acontece neste filme, pelo menos não de forma direta. O fato do ambiente a sua volta privilegia os lobos. Isso se torna uma coisa interessante, porque, não importa quão cruel seja o ser humano, eles estavam em desvantagem. E os lobos não são retratados com os "vilões". Os próprios personagens narram o que está acontecendo, principalmente o protagonista. Eles invadiram a área do bando e, por isso, estavam sendo caçados. É uma proposta simples e interessante.

E, por falar nos lobos, eles são muito bem feitos. Por diversas vezes, temos o uso de CGI, lobos de verdade (é claro), e aqueles lobos de mentira, principalmente no momento em que a câmera foca na fuça deles. E tem momentos em que esses três são combinados em cena, dando uma aparência perfeita e ameaçadora para os lobos. Além disso, devo destacar os ataques, que, na maioria das vezes, acontecem quando o espectador menos espera. Queria poder ter visto mais violência, a câmera se afastou muito e, tudo o que conseguimos ver, são os danos no corpo da vítima.

Dentre os personagens, apenas o protagonista, interpretado por Liam Neeson, é marcante. Eu não lembro do nome ou rosto de nenhum dos outros. Talvez seja porque eles estavam completamente agasalhados e é sempre difícil distinguir personagens assim. Mas, isso não importa, porque Neeson é o centro do roteiro. É ele quem conhece os inimigos ao seu redor, é ele quem sabe o que fazer. Apesar disso, eu achei alguns flashbacks desnecessários. Não foram todos, mas, alguns deles não precisavam ter aparecido. Mesmo assim, eu adorei esse ambiente depressivo que o diretor impôs. Principalmente no começo, onde a miséria está espalhada por todos os cantos.

Enfim, se tem uma coisa que eu não gostei, foi o final. Parece que cortam o terceiro ato do filme. Onde está o embate final? Eu teria gostado muito de ver. Sinceramente, não gostei da forma como acabou. Se bem que, existe uma cena (curtíssima!) após os créditos, onde cada pessoa pode tirar suas próprias conclusões. Não está claro o desfecho, então cada um tem a liberdade de pensar o que quiser. Bem, o filme peca em algumas coisas, mas achei divertido, na medida do possível. Quem gosta de filmes de animais assassinos, vai se divertir. Nota 8,0.

Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
3 Comentários

Comentário(s)

3 comentários:

  1. Eu gosto de filmes de animais assassinos,e pelo trailer junto com a sua crítica fiquei com vontade de assistir,além do mais adoro os filmes do Liam Neeson.

    ResponderExcluir
  2. Muito chato o filme. Esperava mais ação

    ResponderExcluir
  3. caro amigo Nefferson Ribeiro,concordo em genero numero e grau com voce, sua critica foi boa e gostei que voce tenha prestado atenção na cena depois dos creditos,gostei do final porque se mostrasse luta seria um final comum ,quanto ao filme em si,liam esta com muita sorte (ou então bom gosto)de escolher bom roteiros ,nesta pessima fase dos filmes de hollywood,onde não se consegue bons roteiros,este aqui é um filme nota 7 a 8 e vale a pena ser assistido sim.

    ResponderExcluir