quarta-feira, 30 de maio de 2012

[Crítica] Grey's Anatomy - 2ª Temporada


Duração: 45 minutos
Nº de episódios: 27 episódios
Exibição: 2005
Emissora: ABC

Crítica:
O texto abaixo é editado e reescrito por Nefferson Ribeiro.

Cirurgiões são maníacos por controle. Com um bisturi em mãos, você se sente irrefreável. Não existe o medo, não existe a dor. Você se sente com 3 metros de altura e à prova de balas. E então você sai da sala de operações, e toda aquela perfeição, todo aquele lindo controle, caem por terra abaixo. (Meredith Grey)

Depois de uma temporada de estreia super curtinha, entendo que muitas pessoas possam se sentir intimidadas pelos vinte e sete episódios da segunda temporada. Esse número fora do normal é justificável porque os quatro primeiros eram, originalmente, da primeira temporada. O primeiro ano tinha uma encomenda de 13 episódios, mas a ABC decidiu que o nono funcionava melhor como uma Season Finale, empurrando os episódios restantes para o ano seguinte. Mas, convenhamos, a chegada da Dr. Addison Montgomery chocou a todos, e serviu muito bem ao seu propósito, não é verdade?

Já vou logo começar este texto com uma curiosidade sobre a primeira esposa do Shepherd. Originalmente, Addison só deveria participar de cinco episódios, mas rapidamente ganhou popularidade entre os fãs da série, e os roteiristas decidiram mantê-la por mais um tempo. Aliás, a personagem foi mesmo um sucesso absoluto. Além de participar da segunda e da terceira temporada, a personagem ainda ganhou sua própria série, chamada Private Practice. O spin-off sobreviveu por seis anos, e já foi finalizado. Muitos podem odiar essa mulher (como o próprio Mateus Bonez, que originalmente havia escrito esta crítica), mas todos têm que reconhecer o seu poder. Particularmente, eu a amo.

Para mim, essa é uma das melhores temporadas da série (e, quem sabe, a melhor). Esses vinte e sete episódios passaram muito mais rápido do que os dezessete da quarta temporada, por exemplo. Dramas fortes e válidos, dignos de colocar a temporada anterior no chinelo. Neste segundo ano, todos os personagens foram bem explorados, e receberam tramas dignas para serem desenvolvidas. Confesso que fiquei bastante dividido entre o triângulo amoroso formado pela Meredith, Shepherd e a Addison. Essa última, em especial, participou de algumas cenas bem tristes enquanto tentava fazer o seu casamento voltar a funcionar.

Apesar de todas essas situações maravilhosas, nenhuma se destacou como o plot da Izzie na reta final da temporada. A personagem acabou se apaixonando por um dos seus pacientes, o que terminou de uma forma muito trágica. Eu fiquei muito chocado com a conclusão dessa trama entre eles dois. Foi revoltante, de partir o coração. Ainda não estávamos preparados para a mão do inferno da Shonda, então fomos pegos completamente de surpresa. E a maior covardia é que todos, inclusive os espectadores, foram atingidos justamente quando haviam abaixado a guarda. Essa certamente é uma das melhores e mais bem sucedidas histórias de toda a série. Uma das minhas grandes favoritas.

E não é apenas foi que tenho essa opinião. Depois dessa temporada, Izzie se tornou uma das grandes sensações de toda a série. Uma das personagens favoritas da maioria dos fãs do programa. Até mesmo hoje, há pessoas torcendo para o seu retorno - já que ela foi uma das poucas personagens a sair da história e conseguir escapar com vida. É muito difícil que isso aconteça, ainda mais se considerarmos os desentendimentos dos bastidores. Voltarei a falar sobre isso na crítica da sexta temporada, mas confesso que, dentro do meu coração, também torço pelo seu retorno. Uma participação especial, talvez.

Outro evento bombante (com o perdão do trocadilho!) nesta temporada foi o homem-bomba, que abalou com todas as estruturas do hospital. Foi neste episódio que a Meredith passou a apresentar traços de uma suicida potencial, considerando que ela colocou a mão dentro da cavidade do peito de um grande e encostou na bomba. Esse plot também foi muito sensacional, e recebeu a mesma atenção e desenvolvimento especial por parte da Shonda quanto o plot da Izzie. O desfecho também foi surpreendente, mais uma vez, fazendo nosso mundo cair quando achamos que estamos seguros.

Enfim, temporada sensacional. Se há uma temporada que eu voltaria a assistir, certamente seria essa. Olho para os episódios atuais e fico depressivo, porque a série não é mais nem uma sombra do que já foi. Vale ressaltar ainda que Grey's Anatomy não começou como um fenômeno de audiência, e foi neste ano que a série conseguiu chamar a atenção do público (algo semelhante aconteceu com outra série da Shonda, Scandal). Mais do que justificável, não é mesmo? A série fez por merecer.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
3 Comentários

Comentário(s)

3 comentários:

  1. Putz, enganava minha mãe pra assistir nas madrugas do SBT HSUAHSSHUSHUSAHSUS'. Queria poder ver todas as temporadas né, mas vai demorar tipo uns 6 meses -qq

    ResponderExcluir
  2. Eu terminei essa temporada agora, e considero essa série a que eu mais gosto.

    ResponderExcluir
  3. Eu quero terminar todas as temporadas logo, mas fico com medo de acabar logo...

    ResponderExcluir