Especial

Foto:

[Crítica] Dexter - 3ª Temporada

Duração: 50 Minutos
Nº de Episódios: 12 Episódios
Exibição: 2008
Emissora: Showtime

Não tenha medo, ele apenas quer matar.

Crítica:
(Spoilers Abaixo)

Então, vamos deixar as coisas no passado? Que tal uma temporada apenas pra relaxar? Curtir a esposa, jogar boliche com o pessoal do trabalho, cortar psicopatas em pedacinhos... Sabem? O de sempre. Quem sabe até adicionar outra coisa nessa mistura né? Porque a série tem que evoluir, de uma forma ou de outra. Porém, eles precisam acertar na evolução, não dá pra transformar o Neandertal numa baleia. Então, é com o coração partido que eu lhes apresento a temporada mais fraca de Dexter.

Quando eu digo “fraca”, eu quero realmente dizer “menos melhor”, ta? Só pra constar. Porque os fãs têm medo dessa palavra e ela realmente só deveria ser usada em casos mais graves. Bom, ao contrário das outras, não vamos ter um assassino principal pro Dexter enfrentar, ou, no caso da Season 2, ele mesmo sendo o foco. Com Dexter tendo certeza que ainda existe uma parte humana dentro de si que quer ficar com Rita e proteger sua irmã, ele acabou criando laços de amizade com Miguel Prado, um promotor de justiça que decide seguir os mesmos passos de Dexter quando o assassinato do irmão o revolta. O único problema é que foi Dexter quem matou seu irmão, e sua definição de justiça acaba dando de encontro com o código de Harry.

A temporada realmente é um pouco parada. No começo Dexter precisa apenas realizar suas missões rotineiras como fez nos últimos anos. Procurar assassinos, matá-los, jogá-los no oceano. Mas as coisas complicam quando, por engano, ele acaba matando o irmão de Miguel. É aí que tudo começa. Esqueceram a culpa por matar um inocente para aproximá-lo de Miguel cada vez mais. Uma amizade perigosa, considerando que eles tinham podres pra dar e vender, que poderiam levá-los a cadeira elétrica.

Aos poucos, Miguel foi deixando de lado toda aquela sede vingança e desespero pra vingar a morte de seu irmão pra se assumir como manipulador. Porque ficamos a temporada inteira vendo o desenrolar disso, como se ele fosse um amador e não soubesse o que fazia, quando na verdade, ele estava manipulando Dexter. Apesar das desavenças, apenas quando Dexter se recusou a matar uma advogada que a amizade decaiu. Porque matar alguém que defende pessoas que mataram, não é o mesmo que matar alguém que mata. É contra o código, e Dexter respeita o código acima de qualquer coisa.

Fora isso, ainda teve o caso do esfolador, mas não acho que pode ser considerado como assassino da temporada; Porque o foco nem foi nele, tanto é que só se tornou um problema para Dexter mais tarde. Enquanto isso, ficava ocupando o tempo da policia de Miami. Pra ser mais exato, da Detetive Debra Morgan. Depois da saída de Lundy ela embarcou em outro romance, com um cara que poderia ajudar a pegar o tal esfolador. Achei ele o assassino mais tosco da série né, porque mesmo que tenha dado trabalho, era um empregado flopado e pobre.

Essa também foi a temporada que deu início as aparições significativas de Harry. Ele aparecia na mente de Dexter nas outras temporadas, mas não era regularmente. Acho que existem muitas explicações pra isso, porém, na minha humilde opinião, acho que Dexter materializa a forma do pai ao seu lado e tudo o que ele faz ou fala é fruto de sua mente. Ele conhece tão bem o pai que saberia exatamente o que ele iria dizer se estivesse vendo o filho passar por todas aquelas situações. Tanto é que nada é revelado quando ele aparece, é apenas Dexter pensando, nenhuma de suas ações ultrapassam o que Dexter sabe e acredita.

O casamento de Rita e Dexter também se tornou muito importante, ainda mais depois que ela descobriu que estava grávida. Só não fiquei em choque porque já sabia disso, fui da geração que começou a acompanhar Dexter depois de vários anos. E realmente foi uma ótima ideia. Um serial killer com sentimentos, que protege a irmã caçula e agora tem um filho? Perceberam a ironia? Ainda mais quando ele é mais pai pros filhos da Rita que aquele criminoso que doou esperma e teve que ser despachado.

Acho que a temporada emplacou mesmo a partir do episódio 10, quando já estava declarada a guerra entre Dexter e Miguel. Gostei do episódio em que Dexter é capturado e todos pensam que foi pelo esfolador. Daí no episódio seguinte mostra que ele tinha apenas sido capturado pra sua despedida de solteiro organizada por ninguém mais, ninguém menos que Vince Masuka. Ta certo que depois o esfolador realmente o pegou e eles tiveram que acertar contas, tudo culpa do Miguel.

E o desfecho todo mundo sabe né. Dexter não pode ter uma amizade com alguém, porque ninguém aguentaria viver com seu segredo. Ainda mais Miguel, que era um monstro, e o usou pra justificar o que queria fazer há muito tempo. Foi o jeito matar o BFF antes que a situação tomasse proporções catastróficas. Tipo a verdadeira identidade de Dexter ser revelada e a casa cair.

A temporada não foi como as outras né, mas ta valendo. Não foi nada que me fizesse desistir da série, porque mesmo que eu quisesse, não dava. Então, vocês que pararam no meio do caminho, acho melhor continuarem. Porque as melhores temporadas de Dexter ainda estão por vir. Tem muito sangue ainda pra jorrar, é apenas o começo de uma era de justiça... Ou algo semelhante.

Comentário(s)
2 Comentário(s)

2 comentários:

  1. vanessa vasconcelos reznor17 de maio de 2012 22:39

    adoro a debra, a melhor personagem depois do dexter,pena que nem vi essa temporada inteira,depois verei com certeza............

    ResponderExcluir
  2. Ao contrário de você, achei essa temporada melhor que a anterior. (ainda nao vi a 4, 5 ou 6)

    ResponderExcluir