Especial

Foto:

[Crítica] Battleship - A Batalha dos Mares



Direção: Peter Berg
Ano: 2012
País: EUA
Duração: 131 minutos
Título original: Battleship

Crítica:

A batalha pela Terra começa pelo mar.

Sabe o que eu odeio? Essa gente que adora falar mal de filme sem nem ter estreado. Eu fico me perguntando como elas podem comentar sobre algo que não viram? Será que elas têm bola de cristão? Fizeram pacto com o demônio da encruzilhada (só os fãs de Supernatural irão pegar essa)? Enfim, é justamente isso o que aconteceu com Battleship - A Batalha dos Mares. Antes mesmo de dar as caras no cinema, a internet estava lotada de comentários pejorativos. Mas isso não abalou a minha fé no filme, porque eu sabia EXATAMENTE o que esperar.

No filme, após descobrirem um Planeta com ambiente parecido com o da Terra, o governo decide mandar ondas eletromagnéticos (ou seja lá o que for) através de um satélite, na esperança que eles consigam uma resposta. Não demora muito para cinco naves entrarem na atmosfera Terrestre, quatro delas, caindo em pelo Pacífico. Agora, cabe aos oficiais da marinha darem conta desta ameaça, antes que os alienígenas se comuniquem com seu Planeta Natal e mande reforços.

Muitos acusam este filme de não ter uma história boa, mas eu não concordo. As pessoas que vão para o cinema, estão cientes de que não estão diante de nenhum clássico. É apenas um filme pipoca, com bastante ação e efeitos visuais de última geração, para nos entreter em um show de pirotecnomania, correria e fight contra aliens. Posso até dizer que a estrutura é simplesmente a mesma para este tipo de filme. Primeiro chega a ameaça. Logo em seguida, ela mostra todo o seu poder, fazendo parecer impossível um contra-ataque. Depois, os humanos aprendem a lidar e começam a colocar a cabeça para funcionar, na mesma medida que a ameaça vai ficando menos... Letal. E, no fim, humanos vencem aliens. Ou vocês queriam que todos nós morrêssemos?

E, é claro que haverá comparações com Transformers. Para falar a verdade, se ocultássemos alguns pontos da história e acrescentássemos pequenos detalhes, este filme poderia funcionar muito bem como um novo capítulo da franquia dos carros-robôs. Uma das ameaças mais legais e que mais me lembrou a franquia Transformers, foi justamente aquelas bolas que ficam girando e destruindo tudo no caminho. Todas as cenas que elas apareceram, eu fiquei sem fôlego. Destaco o momento em que os helicópteros são destruídos, logo no começo da invasão. Aquele momento em câmera lenta, onde a "bola" revela que tem uma "arma secreta", foi bem legal.

Eu não posso deixar de comentar a participação da Rihanna. Sou grande fã da música dela e estava ansioso pela sua estréia nos cinemas. Achei que foi tudo muito digno! Ela segurou as pontas e não fez feio. É uma das protagonistas do filme e conseguiu se sair muito bom, interpretando uma personagem durona, que não tem medo da briga. Eu diria até que ela roubou a cena, porque não simpatizei muito com o protagonista, que se mostrou muito infantil no começo do filme. Quem fez meus olhos brilharem, foi o ator Alexander Skarsgård (Sob o Domínio do Medo), que estava ótimo, mas não teve muito destaque.

Enfim, haters gonna hate! Poderia ter sido muito melhor, é claro. Eu senti falta de uma violência, de mais mortes e um tom mais sério. Mas morri de rir quando a terceira idade chegou para salvar o rabo da humanidade. Mesmo assim, eu sabia que tudo aconteceria exatamente deste jeito, porque, mesmo não gostando de comparar, este filme segue exatamente o mesmo molde que Transformers. Eu recomendo, me diverti bastante assistindo. Por favor, eu sei que vários odiaram, mas lembrem-se que cada um tem a sua opinião e todos têm o direito de dá-la, mas o respeito é sempre necessário. Nota 8,5.

Trailer Legendado:

Comentário(s)
3 Comentário(s)

3 comentários:

  1. Estou esperando sair um release com qualidade melhor, só tem CAM até agora

    ResponderExcluir
  2. vanessa vasconcelos reznor18 de maio de 2012 21:03

    bola de cristão? hahahahahahahahaha,gostei dessa,tá inspirado em meu velho? mas até que me deu vontade de assistir essa trasheira,mais por causa dos atores mesmo,principalmente pelo vampiro eric ,aquele lindo.a rihanna eu até gosto,mais sou mais do rock mesmo,e se for pra preferir uma cantora pop eu prefiro a katie perry ou a adele.

    ResponderExcluir
  3. Acho muito errado em todos reviews quando você fala (ou deixa entender) que o enredo não é importante, e que cenas de ação descerebrada são suficientes pra um filme valer a pena. Claro que isso é questão de gosto, e tem hora que a gente precisa assistir um filme retardado pra relaxar a mente, mas pra tudo tem limite. Não assisti esse filme ainda, mas estou bastante curioso com o mesmo, mas o mínimo que espero é de um mote, uma conexão pessoal com algum personagem pra que eu me interesse pelo filme.

    A trilogia de Michael Bay não tem graça pelo simples fato de nenhum personagem morrer nos filmes, apesar das explosões ignorantes que destroem metade de uma cidade (e que com certeza, milhares morreram mas nada é mostrado).

    Espero que esse filme não seja assim. Que tenha no mínimo uma sensação de perigo para alguns personagens importantes, e que para tal tenham sido bem desenvolvidos. Caso contrário, estarei diante de mais um Sessão da Tarde. Diverte, mas prefiro esperar pra assistir em casa.

    ResponderExcluir