terça-feira, 1 de maio de 2012

[Crítica] American Pie - O Casamento

Direção: Jesse Dylan
Ano: 2003
País: EUA
Duração: 96 Minutos
Título original: American Wedding

Crítica:

Em 2001, American Pie ganhou uma sequencia que superou o original, indiscutivelmente. Porém, o melhor ainda estava por vir. A terceira parte – que originalmente fecharia a franquia – foi lançada em 2003, intitulada de American Pie: O Casamento, dando um desfecho a toda aquela história iniciada em 99. E parece que trocar a torta de maçã por um bolo de casamento não foi uma ideia tão ruim.

Tudo começa quando Jim percebe que seu relacionamento com Michelle precisa avançar para o próximo nível. Ele a pede em casamento, e juntos, começam a planejar o que deveria ser o dia mais feliz de suas vidas. Quando o retorno de Stifler e sua enorme vontade de participar de tudo acabam complicando as coisas, eles percebem que se casar, pode até ser mais difícil que perder a virgindade.

É o melhor da franquia, sem duvidas. American Pie nunca foi tão engraçado como em sua parte 3. O casamento – que terminaria de vez com todos aqueles vexames e aquela insegurança na vida jovem – acabou por ser o maior desastre de todos. E eu aqui pensando que não existiria mais constrangimento que fizesse Jim perder as esperanças. Não quero dar uma de locutor da sessão da tarde, mas esse povo se metia em cada roubada, viu?

Mas nada seria sem o Stifler. Seu comportamento estava bem mais insano – num nível doentio mesmo – comparado aos outros filmes, e isso atrapalhou em alguns momentos. Mas, no geral, ele foi a estrela do filme. Quando não estava dando uma de psicopata do sexo, estava naquela famosa briguinha com o Finch, que surgiu no fim do primeiro filme. Só que dessa vez, pelo amor de uma garota.

Uma pena mesmo foi deixar os outros personagens ao léu, como se não fossem importantes. Finch só ganhou mais credibilidade por estar disputando a irmã da noiva com Stifler, mas o Kevin, quase nem apareceu. Pior mesmo foi o Oz, que nem deu as caras. Não sei se ele teve algum desentendimento com os produtores ou atores,ou estava meio enrolado na época das filmagens. Mesmo assim, se ele tivesse participado do filme, seria apenas um coadjuvantezinho perto do Stifler, como todos os outros.

A essa altura, American Pie já tinha virado uma comédia romântica mesmo. Teve até as cenas clichês no final em que lições são dadas e o que estragou tudo será aquele que fará tudo dar certo depois. Uma pena que depois deste filme, tivemos que ver a história de outros personagens. Pra muitos, American Pie termina aqui. Nota 10,0. Isso mesmo, você não leu errado, 10 pra uma comédia romântica que ainda usa o sexo como entretenimento. Vai encarar?


Trailer Legendado:
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. vanessa vasconcelos reznor1 de maio de 2012 19:55

    legal tbm,mas o 1 e o 2 eu gosto ainda mais.

    ResponderExcluir
  2. Esse é o meu preferido da franquia

    ResponderExcluir