sexta-feira, 20 de abril de 2012

[Crítica] Gossip Girl - 5x20: Salon of the Dead

 
Teste de DNA para provar que o filho é teu, HÁ!

Review:
(Spoilers Abaixo)

Mais um episódio pra coleção dos “dignos da temporada”. Bombástico pode até definir, mas acho que ainda é pouco. Apesar, de muito do que foi revelado, já ter sido descoberto há muito tempo, né? Caiu na previsibilidade, mas conseguiu se manter firme, e até me animou pro pouquinho que falta pra gente se despedir dessa temporada.

A primeira, e mais importante coisa que precisava ser comentada, é sobre o segredo de Chuck, que todo mundo sabia que não era muito bem um segredo. Pra quem quase não apareceu no episódio, ele praticamente ganhou um final só pra ele, quando começou o show da verdade, como sempre acontece. Diana era sua verdadeira mãe, e foi ela quem doou o sangue que salvou sua vida. Não, não teve nada haver com a promessa milagrosa (Viu, Blair?).

Não era nada demais, até porque, muita gente tinha começado a cogitar essa possibilidade quando Diana encontrou uma foto nas coisas do Bart e deu um fim.  Porém, a maneira com que tudo foi descoberto foi interessante. Lola tentou provar o episódio inteiro que Serena era a Gossip Girl e não percebeu que poderia machucar mais pessoas com suas ações. Acho que ela acordou um dia e pensou “Hoje vou brincar de Upper East Side, essa vida de atriz flopada anda tão tediosa”. Porque ela é mesmo uma amadora, e além de ter ido contra a Serena, ainda se meteu do que não era de sua conta.

Só resta saber qual é o verdadeiro segredo de Diana, porque no final, ficou claro que ela ser a mãe de Chuck era apenas o começo de uma lista enorme de podres. Afinal, ela nem precisou ir pro programa do Ratinho fazer teste de DNA, uma amadora do Upper East Side contou o que ela não tinha coragem de contar, fez todo seu trabalho, agora ela só precisa se preocupar com o segredo mór. Quem ai arrisca um palpite? To achando que ela é o amante do Crô, sério.

Enquanto Lola comprava sua passagem pra fora da série – que eu espero ser apenas de ida -, Blair e Dan tiveram que sentir na pele como suas classes sociais podiam afeitar seu relacionamento. Essa foi a parte inútil do episódio né? A festa lá pegando mais fogo que Valesca Popuzuda em abstinência sexual de 3 meses, e os outros dois lá reclamando sobre como é difícil namorar alguém tão diferente. E nem deu em nada, no fim teve até festa do pijama, beijinho de boa noite, ou seja, os dois apareceram só pra ninguém dizer que foram esquecidos agora que são felizes.

Quanto a Lily e Rufus, outra dose de chatice pré-menopausa que não chega a lugar nenhum a não ser a reconciliação, mesmo que ela tarde. Foi-se o tempo em que os personagens mais velhos faziam alguma coisa nessa série, né? A ultima vez que vi a Lily sendo importante foi na quarta temporada, quando por causa dela, um homem inocente foi parar na cadeia e a vida da filha sofreu um reboliço por causa de uma vingança. Não quero que eles saiam da série, nem pensar nisso, ninguém quer mais um fantasma vagando por aí, já basta o espírito da roqueira Jenny Humphrey e da Vanessa da Mata que Satã as tenha. Só quero que eles deem um bom motivo pro personagem ficar. Porque por favor né? Os caras trabalham com Gossip Girl, não é difícil agradar os fãs se eles deram um jeito de fazer a gente assistir até aqui.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. esse episódio foi muito bom pqp!!
    saudade da Ivy.
    quero lola out tbm!!
    ¬¬'

    ResponderExcluir