segunda-feira, 12 de março de 2012

[Crítica] Smash - 1x05: Let's Be Bad


Plantando a semente da insegurança.

Crítica:
(Spoilers Abaixo)

Primeiro, quero dizer que a Ivy tem o seu team, pessoal. Eu pensei que todos eram a favor da Karen, assim como eu, até porque, o Team Ivy não havia se pronunciado até a crítica da semana passada, então, eu pensei que ela era uma forever alone sem fãs. Mesmo assim, eu acho que o Team Karen é bem maior e mais forte, não é mesmo? Ainda mais depois dessa semana, que continua mostrando uma Ivy nojentinha. Confesso que pego bastante no pé dela, mas é que eu não aguento aquele jeito de piranha seduzente dela. E é por isso que eu gosto tanto da Karen, ela traduziu esta apatia que eu tenho pela loira e colocou na tela.

É engraçado que ela disse tudo o que eu estava pensando. Esse negócio de entrar em cena toda "sexy", com caras e bocas, é tão artificial quanto uma boneca inflável. O único momento que eu vi um pouco da verdadeira Ivy, foi quando ela chorou na frente de todos. Essa foi a única cena deste episódio que deu para sentir pena e se sensibilizar com o caso dela, porque nas outras vezes, ela faz questão de ser fraca e continuar com aquele jeito de piranha artificial que eu e a Karen detestamos. Desculpe, Team Ivy, mas eu ainda não conseguir entender a personagem.

E já que eu estou esculhambando com a Ivy, vamos continuar neste tópico, porque eu acho muito digno. Cadê o amor próprio dela? Derek a humilhou o episódio inteiro e, no fim, ela vai bêbada e montada no álcool para tirar satisfações. Resultado? Transa fácil. É claro que o Derek só vai desprezar ela. Ele pode tê-la a hora que quiser e nem precisa mais fingir ser agradável. E, neste ponto, a personagem é mais uma vez... Fraca. O primeiro passo para a melhora dela, seria parar de transar com o Derek e se dar o valor.

Eu entendo porque a Ivy tratou a Karen mal, até porque, ela estava desestabilizada, mas precisa ser tão bitch? Gente assim tem que tomar na cara até aprender. E foi por pouco que ela não perde a sanidade esta semana. Quase que a insegurança a fez se tornar uma droga. Não a culpo neste caso, porque quando o Derek pediu para a Karen cantar e ensiná-la como se faz... Foi muito, muito humilhante. Karen, por sua vez, trabalhou o seu lado devassa e até fez dancinha sexy na frente do espelho. Além disso, ela praticou com um político. Que empiranhamento é esse que o papel da Marilyn tem sobre essas garotas?

Quanto ao caso complicado da Julia e seu ex-amante por quem ela ainda é apaixonada, rendeu boas cenas esta semana. Eu realmente acho que eles dois combinam e, temos que admitir, que o marido da Julia tem tanta presença quanto um vaso de flores falsos de 1,99. Mas foi interessante ver que ele tem uma relação legal com o filho maconheiro da Julia. Além disso, tivemos um final bombástico, onde o garoto assiste os dois se beijando. Mas é muita burrice, né? Ela está pedindo para que todos descubram. Beijar amante na porta de casa? Não existe vizinho fofoqueiro naquela vizinhança? Bem, mas tenho que concordar que a serenata foi romântico.

Dentre outras coisas a se destacar, não entendi porque o Tom e o seu peguete comemoraram o sexo ruim. Isso não é motivo para chorar? Ellis deu uma mexidinha no computador da Eileen. Será que ele está armando alguma coisa? Não confuso e nem gosto dele. Ainda bem que quase não apareceu essa semana. Enfim, parece que o circo vai pegar fogo na próxima semana e eu quero muitas músicas, apresentações, verdades vindo a tona e mais Karen, porque ela quase não tem cantado.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário