segunda-feira, 5 de março de 2012

[Crítica] Smash - 1x04: The Cost of Art



Quando ser a estrela, não é o suficiente.

Crítica:
(Spoilers Abaixo)

Antes de começar a criticar, vamos falar de coisa boa? Não, não é isso o que vocês estão pensando. Pára, gente! Também não é isso... SIM! É isso! Vamos falar de audiência. A estréia foi muito boa e, como já era esperando, a audiência caiu nos episódios seguintes, o que é normal. Parece que finalmente estabilizou e a série continua com bons números, então, eu sei que é cedo para dizer, podemos ter mais uma temporada, se a série continuar neste ritmo, é claro.

Outra coisa que eu quero falar, são sobre os boatos e notícias que a série vem recebendo esta semana. Todos devem saber que a Uma Thurman foi escalada para participar de alguns episódios, certo? Então, os produtores queriam que ela se tornasse uma personagem fixa do elenco. Seu papel teria tanta importância, que ela receberia o papel de Marilyn no final da temporada. Sim, Ivy e a Karen iriam ficar com a cara na poeira. Particularmente, eu teria adorado. Mas, voltando ao assunto, isso não irá acontecer, porque a Thurman ficou grávida e não poderá estender sua participação da série. Chato, né? Uma pena!

E se o papel da Marilyn ficou vago mais uma vez, está na hora de lutar por ele. E eu diria que esta semana foi selvagem para as nossas duas musas. Eu já tinha previsto que a Ivy iria fazer a vida da Karen um inferno. Não chegou a ser tão tenso, mas ela foi realmente diabólica. Ficou tirando a minha Karen dos ensaios, só porque a garota era mais animada do que ela. A menina tem culpa se está feliz só por estar no coro e a Ivy, mesmo estando com o papel principal, não é grata? E o bullying musical se ampliou também para os dançarinos, que são tudo amigos pessoais da Ivy. Então já sabe, né? Voltamos para o tempo de escola.

E, como eu também suspeitava, Karen deu a volta por cima. Bem, pelo menos com sua relação delicada com os outros dançarinos do coro. Depois de ser expulsa de mais um ensaio, a garota foi puta da vida para fora da sala, ficar sozinhas com os seus demônios internos. Gostei da conversa dela com a outra bailarina e da amizade que ela adquiriu em apenas um episódio com vários deles. E... Adivinhem? Rolou mais uma apresentação imperdível do karaokê. Não estou reclamando, sei que esta série não é igual a Glee, que coloca números musicais do nada. Tem que ter algum tipo de coerência e colocar karaokê em todos os episódios para a série ficar mais... musical, é um ótimo argumento.

Ivy é mesmo uma prostituta, não é verdade? Depois de fazer uma apresentação bem legal com a Julia (foto acima) e o resto do grupo, ela ficou toda trabalha no ciúme psicótico, só porque o Derek estava passando a mão da bunda de uma figurante-investidora. Isso foi ótimo para a Ivy perder um pouco da crista dela, porque viu que é apenas um brinquedinho na mão do Derek. Ela teve que aprender, do jeito mais difícil, o que acontece com as mulheres fáceis. E foi muito bem feito. Pior ainda foi quando ela teve que se submeter a ele, mesmo sabendo que era apenas mais uma. Quanto tempo será que ela aguentará isso?

Enquanto isso, no núcleo da Julia, está ficando cada vez mais difícil disfarçar sua atração pelo seu ex-amante. Confesso que senti falta da Poderosa da série jogando uma taça de sua bebida na cara do ex. Além disso, foi muito engraçado vê-la tentando vender o seu quadro, mas parece que o seu marido botou o nome dele por todos os pertences que ela possa ter. Lamentável! Mas isso é perfeito para nós, que queremos ver mais diálogos e encontros cretinos. Além disso, destaco a presença de Nick Jonas, que fez um papel de Safadinho e tirou a Poderosa da miséria. O espetáculo pode continuar?
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. Nefferson,e a review de Ringer???

    ResponderExcluir
  2. Eu adoro a Ivy, acho ela perfeita para o papel de Marilyn. Tbm acho que a Karen tem potencial de estrela mas não acho que ela seja boa para esse papel. Discordo com vc sobre a Ivy ter sido diabólica, ela só se sentiu ameaçada, ela não é nenhuma vilã como ficam dizendo e muito menos prostituta. Enfim, sou Team Ivy *-*

    ResponderExcluir