quinta-feira, 29 de março de 2012

[Crítica] Once Upon A Time - 1x17: Hat Trick


Não há como viver em um mundo sem magia.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Eu sei que a crítica está super atrasada, mas eu sei que vocês perceberam que está tudo engarrafado desde as séries da semana passada. Estou correndo contra o tempo para poder acertar isso e, talvez, eu consiga colocar tudo nos eixos até o final de semana, para que, na próxima semana, tudo se desenrole naturalmente. Agora, sem mais desculpas, devo dizer que estou adorando o ritmo que a série vem ganhando nas últimas semanas. Pensei que este seria uma espécie de capítulo separado, mas foi fundamental para o andamento da trama, mesmo que centrando em um personagem que nunca tínhamos visto antes e, provavelmente, não veremos tão cedo.

Vocês sabem que eu detesto estes episódios soltos, sem ligação com a trama central. Aconteceu muito no começo da temporada, inclusive aquele episódio com João e Maria (é o único que me vem à cabeça neste momento). Mas acontece que estamos na reta final e seria realmente um pecado congelar o andamento da trama para contar uma história isolada. Por este motivo, acho que está sendo brilhante a idéia dos roteiristas de colocarem personagens novos, mas sem se desviar do desenvolvimento central. Como eu já disse no parágrafo anterior, esta semana, tivemos alguns momentos SUPER importantes.

Então vamos começar pelo grande desenvolvimento da Emma. Ela estava um pouco esquecida de lado. Só ela pode quebrar a maldição, mas, enquanto testemunhávamos o desenvolvimento dos personagens em Far far away, ela ficou moscando pelas ruas de Storybrooke, com aquela opinião de "não acredito em magia". E eu sei que vocês também esperavam por aquele momento em que ela começaria a se questionar "E se...". Pensei que a temporada iria terminar sem que esta mulher se perguntasse porque tantas coisas nas histórias batem com a vida real. Até hoje não entendo como ela não pegou a citação da Malvadona ter uma árvore de maçãs em casa. Hello, aquilo nem é uma árvore, é uma máquina de veneno instantâneo.

A história do Chapeleiro Maluco foi bem interessante também. É engraçado como os personagens começam felizes, mas, sempre com o dedinho podre da Malvadona, tudo vai pro água abaixo e, no final de todos os episódios, eles acabam afogados na miséria. Então não foi novidade ver que o destino do personagem seria algo bem ruim. Ainda mais ao julgar o estado psicótico que ele se encontrava, prendendo Mary e Emma. E quando ele frisou que só poderiam retornar duas pessoas no chapéu, já que sabia que a Malvadona iria fazer brotar do inferno um terceiro elemento e deixar o Chapeleiro no mundo das maravilhas. Dito e feito!

Mas, a parte mais legal do episódio, foi ver que o Chapeleiro conseguiu abalar as estruturas da Emma. Mesmo com a pressão de estar com uma arma na mão, ela teve que refletir sobre as estranhas coincidências entre as histórias do livro e o seu mundo real. Mesmo assim, quando ela começou aquele discurso sobre abrir sua mente e acreditar, eu sabia que ela estava de fingimento. Talvez eu tenha pego o poder dela de descobrir quando alguém está mentindo. Explicaria porque ela não o tem mais, até porque, parece que todo mundo está disposto a mentir na cara dela e a Emma nem percebe. Na verdade, ela nem suspeita. Sim, todos sambam na cara da Emma. Vem, gente! Peguem seus sapatos duros e vamos sambar na cara dela também.

Mesmo com esse pequeno deslize da falha do "captor de mentiras", Emma voltou a se posicionar como a protagonista da série, porque estava muito apagada nos últimos episódios. No final, ainda testemunhamos uma conversa interessante e venenosa entre a Malvadona e o Rumpels. É engraçado que essa é uma luta de gente grande. Do mesmo modo que o Rumpels diz como acabar com a Mary, ele mesmo está do outro lado, defendendo-a. Eu já tinha previsto que eles protagonizariam a verdadeira briga final e, cada vez mais, eu sinto que estou certo. Enfim, semana que vem veremos a origem de um ódio desconhecido. Cuidado que pode causar câncer!
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
3 Comentários

Comentário(s)

3 comentários:

  1. Gostei muito do episódio,o Sebastian Stan interpretou muito bem o Chapeleiro Maluco(além de ser lindo,claro),não sei se mais alguém reparou mais quando o Jefferson lutou com a Emma e tomou a arma dela deu pra ver a marca da cabeça cortada,Nefferson não era uma e sim várias árvores de maçãs,coitado do Jefferson de todos os personagens ele foi o que mais sofreu por que não teve o seu final feliz nos dois mundo,fiquei com muita pena dele quando a Malvadona o deixou no País das Maravilhas,e pra terminar a cena final acho que a nossa querida protagonista vai começar a acreditar no Henry.

    ResponderExcluir
  2. Esse episódio foi muitooooo bom! Será que o Rumpels tá do lado de quem???

    ResponderExcluir
  3. O Rumpels esta do lado dele !

    ResponderExcluir