domingo, 11 de março de 2012

[Crítica] GCB - 1x01: Pilot (Series Premiere)


Querido Senhor, o tema de hoje é SERIES PREMIERE.

Crítica:
(Spoilers Abaixo)

Estou atrasado, eu sei mas é que demorou pra sair o dowload e não tenho que ficar dando satisfação não é?

Bom, vamos ao episódio. Pra uma première achei que faltou alguma coisa ali. Não me prendeu durante todo o episódio, houveram momentos que eu bocejei e quase desliguei. Mas aí começou a loucura e eu me apaixonei. Me apaixonei de cara pela protagonista que era uma menina muito má na adolescência e se deu literalmente mal na vida. A única coisa boa são seus filhos, e sua mãe ser riquíssima! O marido dela era um vigarista, roubou montes e fugiu com a amante. Que era a melhor amiga de Amanda. Nisso ela foi pagar um baita BO*****. Mas o cara se empolgou e quando viu o precipício estava logo ali. CLICHÊ. Mas engraçado.

Amanda então volta para o antigo bairro. Um bairro de classe média alta e onde todos os seus colegas de escola também habitam. E suas “amigas” Carlene, Sharon, Cricket, e Heather. Que eu AMO desde The Gates. Bom, vamos as bitches. Carlene é a vaca mor do grupo. Prega o que não vive. O tipo de crente que existe em todo o canto. Ela, fica cuidando da vida da vizinha/dos vizinhos. Com direito a binóculo e escadinha. Sua inimiga desde a escola. Sharon é a baleia do grupo. A Adele do grupo. Ela é manipulada por Carlene, e seu marido Zach é apaixonado por Amanda. Que obviamente não dá moral. Cricket com esse nome estranho e ridículo, tem o marido mais gostoso de todas. E claro, tinha que ter um defeitinho né? Ele é gay pra alegria geral da nação viadistica! Sim, eu me incluo nessa bebê! Foi isso que me motivou a acompanhar a loucura. Eu tava sentindo falta de um gay. Não a la Crô, mas sim a la Andrew de Desperate. Dois caras civilizados, e claro a protagonista linda que sacou tudo quando por debaixo da mesa viu os dois pegando na mão um do outro. Mas voltando a falar na “Crica”, é outra manipuladora que faz que Amanda não consiga empregos. Fazendo ela ir trabalhar num restaurante onde as mulheres expõe seus atributos.

E Heather é a mais gente boa. No começo se deu ao desfrute de manipular mas depois de uma conversa franca com Amanda elas se tornaram novamente amigas. Amanda mudou. Quem não mudou foram as outras donas-de-casa babacas. Porque sinceramente? Achei escroto elas depois de praticamente “velhas” ainda lembrarem de Amanda como a “vadia do colegial”. E com esse fanatismo tenso com a igreja é mais feio ainda.

Com toda certeza Good Christian Belles ou Bitches vai pegar sim. Teremos muitos ganchos para a temporada. No final do episódio Amanda levantou e agradeceu a Deus e aos “amigos” por mais uma oportunidade. De recomeçar. E claro, constrangeu Carlene em numero, gênero e grau ao contar que quem a emprega é a empresa do maridão da Carlene. E eu me apaixonei mais ainda por ela. E claro, as bitches ficaram doidas. Com mais raiva da rainha do baile do colegial.

Amei ver novamente Kristin Chenoweth na tv. E claro, ela fechou o episódio com sua voz deliciosa. Recomendo você assistir o piloto. Principalmente se você for assim como eu que adora a rotina das donas-de-casa americanas. Essas são um pouco mais luxuosas que as de Wisteria Lane mas creio que vou me apegar. Se eu não me apegar, eu aviso.

Beijo na buchecha.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
3 Comentários

Comentário(s)

3 comentários:

  1. Também tava precisando de um personagem gay

    ResponderExcluir
  2. Também comecei a ver. Achei o episódio razoável, vamos ver como ficam os próximos (:

    ResponderExcluir
  3. Parece legal, até, mas achei que só começassem séries novas quando a maioria já tava praticamente no fim.

    ResponderExcluir