terça-feira, 20 de março de 2012

[Crítica] Desperate Housewives - 8x17: Women And Death


I love you once. I love you twice. I love you more than beans and rice.

Crítica:
(Abaixo Spoilers)

O episódio mais triste na estória de DH.

Anos e anos Desperate produzindo episódios que mexem com seus fãs. Mas nunca um tão forte, em um grau de emoção tão pesado. A morte de Mike não teria um desfecho qualquer, afinal Mike desde a primeira temporada embalou o romance central da trama com Susan. Mesmo muitas vezes tentando ficar em segundo plano, eles foram o casal que nunca participaram de nenhum dos desastres. Somente da quinta temporada, claro. Mas que foi tão desastroso que nem conta. Em Bang os dois não estavam juntos. No tornado eles estavam seguros no hospital. No natal da sexta não lembro onde eles estavam RISOS, e na sétima Mike não estava também, então não conta porque ficou desfalcado. Mas mesmo assim, a gente sempre notou que Cherry nunca os deixou realmente em perigo. E agora no 16/17 parece que ele não teve como proteger o casal principal.

Triste? DEMAIS. Susan nunca mais terá brilho nos olhos? Susan vai ter alguma cena de humor de agora em diante? Restando quatro pro fim, o que me agonia é que Mike então, poderia ter morrido no penúltimo episódio. Seria melhor. A vida continuaria pra todos mas a gente saberia que tudo tem um fim MESMO. É difícil compreender essa situação, penso que Cherry cagou. Cagou com tudo.

Mas vamos aos acontecimentos do episódio. Que Deus o tenha em uma lanchonete Mc' Donalds. Amém?

Bom, o episódio em si foi muito triste. E apareceu muita gente morta e enterrada. A primeira surpresa da loucura foi nas cenas de Gaby. Anos atrás Carlos e Gaby recém-casados e Juanita fazendo a vida de Gaby um inferno. Nisso, ela quer um vestido caríssimo. E diamantes. E Juanita cuspindo fogo. Apesar de achar a atriz um pouco magra (mãe do Carlos) AMEI que ela tenha aparecido. Ninguém havia solto esse spoiler e realmente foi uma surpresa. Massa. Pra lembrar o morto, Gaby vai até a rehab e Carlos não quer recebê-la e eis que surge Mike e ajuda o casal. Porque ele já foi pra rehab e pra ajudar um amigo né? Gaby então se conformou com Carlos querer virar conselheiro. E tudo ficou bem no reino da dona-de-casa mais bitch da Alameda Lane.

Após, Lynnete se lembra de como era boa a vida com Tom. Do primeiro encontro. Da compra da casa na Alameda. Do dia que Mike a aconselhou lutar por Tom. Que ela JAMAIS deveria ter deixado ele partir. Quando questionado que ele e Susan viviam antes entre idas e vindas Mike disse que se arrependia amargamente por cada tempo perdido. E Lynn sabe como dói um tempo perdido. Espero que ela termine com Tom. Casais vão e vem, mas Lynn e Tom são aquele tipo de casal que você sabe que nasceu um para outro. E Mike que o diga.

Bree então foi a parte mais louca do episódio, pra variar. Descobrimos o porquê de Bree ser fria e calculista em relação a alguns sentimentos. Sua mãe era traída. E a mesma a ensinou a se comportar como uma Ladie e não deixar nenhum homem a diminuir. E Rex aparece. Curto demais esses flashbacks. Rex que na minha opinião sempre foi um cavalo e um grosso, realmente mereceu a morte que teve. Além de humilhar Bree, ele chamava pro nocaute, depois corria. Fez ela se abrir pra ele, de repente fugiu como um cão sem vergonha. Rex realmente é o tipo de homem que me dá nojo. Bree então na delegacia fez o jogo que ela não fazia há algumas temporadas. FINGIU. E fingiu muito bem, mas acho que ela não terá escape. Não deveriam ter encontrado o corpo. QUE ÓDIO. Espero eu que a polícia descubra quem matou Chuck e fique tudo nas costas do Orson. ESPERO MESMO viu, Marc?!

Por fim, Susan né. Quem acompanha a série há anos entende esse meu sentimento. A tristeza é demais. Parece que Susan é minha amiga há anos. Suas loucurinhas, suas bobagens, sua busca pelo grande amor. Seu grande amor, Mike. Ela perdeu o bem mais precioso após os filhos, o grande amor. Que luta foi pra ficar com Mike. Primeiro, demorou pra confiar. Aí ela descobre que Zach era filho dele. Aí nisso ele descobre que ela não ajudou a encontrar realmente seu filho. Depois disso, quando a gente achou que ia colar, Orson atropela e Mike perde a memória. Enfim, na terceira temporada o casamento mais lindo e fofo de séries foi o deles. Susan preparou algo bem familiar. Lembro que me emocionei muito na época do episódio. LINDO. Depois de uma quarta temporada bem sucedida e gravidíssima, na quinta os dois se separam. Mike fica com Katherine, Susan fica atirando pra todos os lados. Mas não dura muito e os dois voltam um pro outro. E tudo fica bem. E aí a morte aparece e né caga com tudo. Susan pensando em resolver os problemas, o que Mike sempre fazia, e agora? Ela esta sozinha.

Quer dizer, suas amigas desesperadas JAMAIS vão deixá-la na mão. Posso dizer que foi o episódio mais triste de todos. O mais escuro. O mais pesado. Quem é fã entende o que eu resenho aqui. Não posso deixar de destacar aqui Vanessa Williams que cantou Amazing Grace e claro, arrancou lágrimas e mais lágrimas dos meus olhos.

Vamos aguardar agora os quatro últimos e esperar sempre que o final seja digno. Assim como foi toda a série, entre altos e baixos Desperate se supera. Não só por tantas mortes, mas porque o dramalhão é envolvente. E Marc sabe como dosar loucura com humor negro. Amor com ódio. Tudo com tudo.

E que venha, o fim :(
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
3 Comentários

Comentário(s)

3 comentários:

  1. CHOREI HORRORES NESSE EPISÓDIO. ://////////
    É TRISTE SENTIR A CHEGADA DO FIM DA SÉRIE :(

    ResponderExcluir
  2. Acho que só eu não quero a volta da Lynnete com o Tom. HAHA'

    ResponderExcluir
  3. Gente infelizmente só agora pude ver o episódio final da série (faz muito tempo neh),porém amei a série mas odiei o desfecho da Grace Sanchez, gostaria muito que houvesse a troca das garotas, ou que as famílias voltassem a se reencontrar.

    ResponderExcluir