sábado, 25 de fevereiro de 2012

[Livro] Destino Final - Capítulo 11: Kamikaze

- Vocês querem terror de verdade? – Perguntou um homem no parque – Atrás desta cortina está a mulher sereia, a criatura mais sombria que já habitou este planeta. É só pagar para vê-la, mas não se arrependam.

Jill observava aquilo tentando prestar atenção, mas não via nada além de um homem tentando arrancar dinheiro dos trouxas. As pessoas ao redor dele cochichavam, estavam muito curiosas, como se aquilo fosse interessante. Mas nada era interessante para Jill há dois dias, nada valia a pena sem ter Scott ao seu lado.

Do outro lado do parque havia algumas barracas, as pessoas atiravam em objetos para ganhar prêmios. E os brinquedos mais divertidos, porém perigosos, podiam ser vistos de longe, por serem tão grandes.

Jill olhou para a montanha russa, sentindo um calafrio. Talvez ela precisasse de medo para poder esquecer tudo aquilo.

Lá fora, Chad tinha acabado de estacionar seu carro. As pessoas começaram a olhar, pois a lataria estava amassada e Chad realmente parecia ter acabado de sair de um acidente. Ele correu por entre as pessoas, sem se preocupar em dar de encontro com elas, só queria saber de Jill.

Ele correu pelo parque gritando seu nome, mesmo com os olhares e os cochichos das pessoas que o chamavam de louco.

Ele girava, tentando encontrar qualquer coisa que lembrasse a garota. Um cabelo loiro, alguém chorando, qualquer coisa, mas só o que via era a normalidade de um parque de diversões, se é que tudo aquilo pudesse ser considerado normal.

Ele podia ver o homem que cuspia fogo, estava há poucos metros dele. Ele podia ver os carros da enorme montanha russa em alta velocidade, a roda gigante que parecia estar girando bem mais devagar que o normal. Crianças corriam por lá enquanto alguns adolescentes se divertiam mais comendo as coisas da lanchonete.

Aquele parque estava tão lotado que pareceu um milagre ele encontrar Jill. De longe, viu uma loirinha com franja de casaco marrom e blusa rosa na fila pra a montanha russa.

- Jill... – Ele sussurrou, aliviado, mas com a respiração ofegante.

Correu até ela, derrubando algumas pessoas pelo caminho, que lhe xingaram com palavrões.

- Jill! Achei você!

- Chad? – Ela estava surpresa.

- Jill, você precisa vir comigo! Agora! – Ele mal conseguia controlar a respiração.

- O que? Não, eu vou andar de montanha russa – Mais um da fila havia andando, Jill deu um passo a frente.

- Não, me escuta, você está em perigo, todos nós estamos em perigo!

- Cala a boca, Chad! – Jill olhou para as outras pessoas, estavam olhando para eles, que chamavam a atenção por causa dos gritos de Chad – Por que você está aqui?

- Jill, você é a próxima! Você vai morrer! Vem comigo, a gente precisa salvar você! – Ele puxou o braço dela.

- Chad, me deixa em paz! – Ela gritou, ele estava apertando seu braço com força.

- Ow amigo, solta ela – Ordenou um homem da fila, dando tempo para Jill acertar um soco entre as pernas de Chad e empurrá-lo pra frente.

Ele acabou caindo no chão. Ela saiu correndo, queria ficar o mais longe dele possível.

Enquanto isso, na entrada, era a vez de Rachel de chegar recém saída de um acidente. Ela entrou a pé e começou a correr mancando por entre as pessoas, tinha sangue pelo seu corpo, ela estava chamando mais atenção que Chad. Ela parou no meio da multidão para escolher o lado em que deveria seguir. Olhou pra cima e notou a enorme roda gigante. Ao lado dela estava o kamikaze, ela podia ouvir os gritos das pessoas ali dentro, aquilo estava deixando ela louca. E o kamikaze era o brinquedo que a deixou com arrepios, foi quase mortal observá-lo.

Ela correu para o lado dos brinquedos grandes e depois parou.

Foi só se concentrar que ela pôde ver Chad correndo entre a multidão. Mais lá na frente estava Jill, que tinha acabado de entrar na casa dos horrores.

- Chad! – ela gritou o mais alto que pôde e correu até lá.

Mal ela sabia que o kamikaze estava com defeito e a cada volta ele ia se soltando mais. O liquido que corria por entre os cabos estava vazando e nenhum maquinista ainda tinha percebido. Era só uma questão de tempo até o brinquedo causar sérios danos.

Dentro da casa dos espelhos, Jill corria em várias direções diferentes, estava fugindo de Chad. Havia algumas pessoas ali dentro, em quem Jill acabava tropeçando.

- Jill, por favor! – Gritava Chad, sem saber para que lado daquele labirinto ir.

Ele estava numa sala azul clara, com vários espelhos de vidro no teto e algumas passagens escuras ao lado. Aquilo era realmente um labirinto, sem algum auxílio, seria difícil encontrar uma saída dali.

Jill já estava começando a ficar apavorada. Por onde passava, via corpos falsos jogados, bonecos que pulavam encima dela com gritos apavorantes e aquela fumaça toda não cessava. As luzes encima dela piscavam, como se fosse numa boate, e ela não sabia para onde ir, tinha se arrependido de não ter ouvido Chad.

- Alguém me ajude!

Lá fora, o kamikaze estava prestes a se soltar, as pessoas que estavam lá dentro já podiam ouvir os ruídos estridentes da falha.

Rachel olhou pela pequena janela de um quarto que encontrara no terceiro andar, logo percebeu que tinha alguma coisa errada. Ela olhou pelas brechas falsas do chão que pisava, Jill estava correndo por lá, desesperada. Ela desceu as escadas rapidamente e deu de encontro com a garota, que começou a gritar.

- Jill! Jill! – Ela balançou a garota segurando em seus ombros – A gente tem que sair daqui!

- Por que?

- Jill! – Gritou Chad, vendo as duas.

Os cabos não conseguiram aguentar um dos lados do kamikaze e ele se soltou. As pessoas do parque começaram a gritar desesperadas, mas não teve jeito, o kamikaze acertou a casa dos horrores. Iria acertar Jill e Rachel se Chad não tivesse empurrado elas no ultimo segundo.

A ponta do kamikaze acertou a roda gigante do outro lado da casa dos horrores, fazendo-a desabar também. As pessoas que estavam lá foram obrigadas a ficar penduradas no brinquedo, algumas não tiveram essa sorte e caíram no chão, morrendo instantaneamente.

No chão, Jill começava a chorar. Havia uma enorme destruição bem a sua frente, ela tinha acabado de sentir a morte. Se levantou e correu na direção da janela, iria se jogar dali. Rachel correu para salvá-la e chegou a tempo, antes que uma das cabines da roda gigante caíssem encima dela. As duas pularam pro lado, Rachel tinha acabado de salvar Jill da sua morte.

Rachel caiu dentro do crazy dance, mas Jill continuou dentro da casa dos horrores, desmaiada. Rachel levantou a cabeça e olhou ao redor, as cabines do crazy dance estavam girando  rápido demais, deixando-a tonta e enjoada. Era um show de velocidade e gritos sem fim, até ela ser acertada por uma das cabines. Ela sabia que seria a próxima e poderia morrer ali mesmo, aquele parque estava todo comprometido, se a roda gigante caísse, todos eles morreriam.

Ela foi acertada novamente por outra cabine do crazy dance e foi jogada pra fora do brinquedo, sangrando na cabeça.

Chad correu para fora da casa dos horrores pela janela e acabou sendo atropelado pelas pessoas que corriam dali. Ele viu Rachel jogada no chão, não estava mais desmaiada, estava sendo pisoteada pelas pessoas que corriam. Ela estava morrendo, os saltos das mulheres cravavam em sua costa e ela gritava de dor, mas não podia se mexer.

Chad correu até ela e sem dó empurrava as pessoas que pisoteavam sua amiga, era a vez dela. Ele juntou ela do chão, empurrando as pessoas pro lado. Ela estava toda machucada, o mais grave era um furo nas costas feito por um salto alto.

- Vamos sair daqui! – Ele gritou e saiu puxando ela pela mão – Você é a próxima!

Rachel, apesar de tudo, teve tempo pra pensar. Não, ela não era a próxima, ele era o próximo, porque na visão ele morria primeiro. Agora ela lembrou, foi por isso que ele acordou primeiro da visão, porque morria primeiro, ela só despertou quando morreu.

Na visão, eles caíam do casco do navio para as chamas. Rachel caia primeiro, mas não morrera queimada. Ela sentiu seu corpo tocar a água, ela morreu afogada, agora lembrava, ele era o próximo, por isso teve uma sensação de que estava sendo afogada dias atrás enquanto falava com Naomi ao telefone.

Ela parou de correr e olhou pra cima. A torre da casa dos horrores estava prestes a cair.

- O que foi, Rachel? Corre!

- Você é o próximo!

A torre desabou na direção de Chad, que apenas olhou para cima. Rachel correu até ele e o empurrou, eles caíram direto na barraca de churrasco, de onde fugia gás. Mas quando Chad percebeu, não teve ação. Rachel agarrou ele e rapidamente eles saíram dali, bem no momento em que a barraca explodiu.

Num grande pulo, eles caíram na grama, estavam quase desistindo.

- Vamos sair daqui! – Rachel se levantou e carregou Chad, colocando o braço dele em volta do seu ombro.

- Jill, Jill... - Ele sussurrava.

Rachel olhou para trás, bem ao fundo, atrás da parede de fogo feita pela barraca em chamas.

- Vamos embora... – Disse ele.

- O que? – Rachel olhou pra ela.

- Vamos embora daqui...

- Não – Rachel olhou para casa dos horrores – Ninguém mais vai morrer...

Ela olhou para a roda gigante, ainda estava desabando encima da casa dos horrores, ela não aguentava mais ouvir aqueles gritos. Largou Chad com queimaduras na grama e correu para ajudar Jill, sem nem pensar, mesmo vendo que aquilo tudo estava pegando fogo. Entrou na casa dos horrores com cuidado. Jill estava jogada perto a um buraco na parede que uma cabine caída da roda gigante fez. Ela correu até ela e tentou acordá-la.

- Jill! Responde! – Ela deu tapas em seu rosto, tentando ignorar a fumaça.

- Rachel! – Ela gritou assim que acordou. A abraçou bem forte.

- Vem, a gente tem que sair daqui! – Ela segurou na mão dela e elas correram, por debaixo da sala onde ficavam os espelhos.

A roda gigante desabou mais ainda e uma parte dela bateu no teto da casa dos horrores, fazendo os vidros que estavam lá encima quebrarem em pedaços grandes.

Rachel e Jill correram antes que os cacos os acertassem, mas ainda assim tentando desviar das chamas que ali foram formadas. Elas chegaram até uma sala onde parecia não haver saída, estavam cercadas.

Jill olhava pra tudo com desespero, não queria morrer queimada, era a pior morte que poderia imaginar para si. Mas Rachel não via mais saída. Se era a hora delas, a morte não iria poupá-las, elas nem mereciam estar ali lutando por suas vidas, precisavam ter tido seu fim no Perry180 pras coisas terem sido como deveriam ser.

- Nós não vamos morrer aqui... – Assegurou Rachel.

Ela olhou pra trás, a parede parecia ser frágil. Começou a bater nela, sairia pelo outro lado. Jill a ajudou até que a parede foi totalmente quebrada. Elas passaram pelos destroços pelo pouco fogo que havia naquela sala e saíram da casa dos horrores, abraçadas.

Jill se sustentava em Rachel ou então poderia cair, mas a ajuda já estava chegando. A policia estava lá, alguns homens de fardas corriam na direção das duas enquanto o restante circulava pelo parque pra ajudar as outras pessoas.

Jill conseguiu sorrir ao perceber que a ajuda estava chegando, apesar dos machucados, então tudo acabaria naquela noite. Elas só não contavam que a parte destruída do kamikaze ao lado delas explodisse, fazendo-as voar pelos ares cheias de cacos de vidro pelo corpo.

Os policiais que estavam correndo em suas direções se espantaram com aquilo, tinha sido completamente inesperado. As duas foram parar perto de uma barraca de tiros, Rachel tinha cacos de vidro no rosto, na barriga e no peito enquanto Jill possuía no rosto, nas pernas e no pescoço.

Parecia até épico. Elas estavam caídas lado a lado, de olhos fechados, as mãos uma perto da outra, como nenhuma delas imaginou que poderia ser quando chegasse este momento.

--

Chad fitava o nada de dentro da ambulância, mal conseguia sentir suas mãos quentes com o café que tinha em suas mãos. Havia um cobertor cinza por cima de seus ombros e todo aquele barulho não fazia sentido para ele.

Uma correria foi feita depois do acidente. As ruas próximas ao parque de diversões encheram de carros de policia, ambulâncias e vans de reportagem, todos queriam saber o que tinha acontecido ali.  Era um completo desastre, literalmente.

E apesar de Chad saber que tinha acabado, ele não sentia alívio algum, era como se as coisas só tivessem piorado. Ele não queria terminar sozinho, este era seu grande medo, mas parecia que ele tinha que agradecer por não ter morrido em toda aquela confusão.

- Pronto pra ir pra casa? – Perguntou o detetive Norton, bem a frente dele.

- Estou...

- Você precisa descansar, passou por maus bocados hoje a noite – Norton ficou esperando uma resposta, mas Chad parecia estar hipnotizado – Me desculpe por tudo, Chad. Não foi sua culpa.

- Morreram... Todos eles...

- Eu sinto muito...

- Estou sozinho agora...

- Não – Norton se abaixou e ficou da altura dele – Você não está. Sei que não demonstrei, mas você pode contar comigo.

Lágrimas caíram dos olhos de Chad. Ele lembrou de tudo, desde o momento em que entrara no Perry180 até a morte de seus amigos. Ele sentia que podia olhá-lo nos olhos, estava lembrando de seus sorrisos, as coisas que diziam, tudo o que fizeram por ele, não mereciam ter tido aquele destino.

- Chad Barclay, você pode nos dizer o que aconteceu? – Perguntou uma repórter, ela estava sendo seguida por um câmera man e por vários outros repórteres.

- Hey, sem imprensa – Disse Norton, numa voz firme.

- Só queremos saber o que aconteceu! – Insistiu a repórter, colocando seu microfone perto de Chad.

- Vão embora! – Norton empurrou eles – Wilson, tirem-nos daqui.

Wilson começou a empurrar todos os repórteres, eles precisavam sair dali, ninguém podia interrogar uma testemunha antes da polícia.

- Norton, temos uma sobrevivente aqui! – Gritou um dos paramédicos.

Norton olhou para ele, mas foi Chad quem deu um pulo. Não importa quem fosse, Jill ou Rachel, ele ficaria feliz se pudesse ver qualquer uma de novo com vida.



A Punhalada 2
Estreia dia 15 de Março.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
8 Comentários

Comentário(s)

8 comentários:

  1. Tem que ser a RACHEL eu quero muito que ela fique com o Chad no final...E que capitulo foi esse? meu Deus pude ver tudo na minha mente,essa historia e perfeita,parabens adoro esse blog

    ResponderExcluir
  2. Cara você é muito bom escritor
    João dê algum spoiler do capítulo final,por favor?????

    ResponderExcluir
  3. Jesus! Como sempre, um desastre no final, adorei demais, + ainda acho que vai ter outro desastre no último capítulo. Vai ser muito foda... Adorei demais

    ResponderExcluir
  4. Como diria aquela tal de Narcisa,"Ai que Loucura".Eu pude imaginar a cena também.
    Eu acho que quem sobreviveu foi a Jill,porque a Rachel salvou a Jill então a morte "pulou" e foi pro Chad a Rachel salvou ele,então a morte "pulou" pra Rachel.A não ser que a Jill tenha salvo a Rachel,então a morte voltou pra Jill.

    - Se isso acontecer,mals pelo spoilers gente -

    ResponderExcluir
  5. -Mamma Mia que bom! Como sempre fazem esse suspence no final . A punhalada 2 anciosaa

    ResponderExcluir
  6. Muito bom esse cap.nem acredito que já vai acabar,espero que a sobrevivente seja a Rachel,eu tbm quero ela com o Chad no final.Esperando Apunhalada 2 :D

    ResponderExcluir
  7. Amei o episodio oque foi isso eu pensei que ia ser a mesma coisa de PREMONIÇÃO 3 mais você aprimorou deixou tudo melhor
    amei o acidente
    a Rachel tem que sobreviver eu gostava mais da Jill no começo mais a Rachel ganhou minha confiança
    dia 3 chegue logo


    ansiosíssimo por apunhalada 2

    PS:Megan e Aaron tem que está namorando

    ResponderExcluir