sábado, 25 de fevereiro de 2012

[Crítica] Skins - 6x05: Mini

O que esperar quando você está esperando.

Crítica:
(Spoilers abaixo)

Mini é aquele tipo de garota que você trocaria o braço pra ter, e quando tivesse, ela faria você cortar seus pulsos. Isso é comum, afinal, as garotas aprendem a ser fúteis quando percebem que gostam da imagem que veem no espelho. Foi pensando neste tipo de comportamento que o criador da série desenvolveu a personagem. Fútil, mimada e gostosa pra cacete, Mini ainda combina traços de orgulho, solidão e extrema carência que podem ser justificados completamente pela ausência do pai e o desleixo da mãe.

Mini, desde a season 5, foi uma vilã com sentimentos reprimidos que fazia da vida dos outros um inferno só porque achava que estava superior a alguns tipos de pessoas, como Franky e sua androgenia.  E parece que quase nada mudou. Seu comportamento continuou agressivo, principalmente com as pessoas que mais se importavam com ela. Sua mãe, Liv, e Alo, pra ser mais exato. Era como se tudo o que eles fizessem por ela não fosse o suficiente e ela sempre precisasse de mais. Ou pelo menos, de alguém que cedesse a seus caprichos, como seu pai. E mesmo sabendo que ele só estava ajudando por uma obrigação biológica, ela fez de tudo para que ele voltasse pra sua vida e tentasse tirá-la da bagunça em que estava se metendo.

Gravidez realmente não é fácil. E considerando as proezas e a reputação do pai, era realmente de se desesperar. Ela manteve um relacionamento com Alo as escondidas desde o começo da temporada, porque era vergonhoso admitir que ela, sendo tão superior quanto achava, pudesse gostar de um garoto que foi praticamente rejeitado pelos bons modos e educação. Por isso ela se sentiu no direito de pisar em todo mundo que só estava tentando ajudar pra ir morar com um cara que não sabia nem o seu nome.

Mas, as coisas não saíram como ela planejou. Aliás, elas nunca saem, principalmente quando as pessoas começam a dar valor nos seres humanos errados e acabam ignorando aqueles que se importam de verdade. Ela teve um quase romance com um empregado de seu pai, mas ele era de longe aquele que lhe fazia feliz. Até tentou acreditar que o homem que lhe abandonou quando tinha 12 anos poderia lhe dar um futuro melhor do que ser a esposa grávida de um caipira, e isso também não aconteceu. Depois de saber que a filha estava grávida, ele saiu do país, lhe deixou abandonada e se sentindo um lixo pelo próprio pai não ter conseguido gostar dela.

A conclusão de tudo isso se deu na perda do relacionamento que tinha com Alo. E foi muito bem feito, já que quem ama aguenta muita coisa, mas tudo tem limite. Como ele mesmo disse “É cansativo demais amar você, eu não acho que você sabe amar alguma coisa”. Foi Cult, foi dramático, e foi perfeito. Espero que no episódio dele, ela corra atrás e perceba a besteira que fez, porque ela não pode ficar pra sempre ignorando o fato de que o único momento em que não se sentia como um lixo era quando estava ao lado dele. 
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. O que esperar quando você está esperando é o nome de um filme.

    ResponderExcluir
  2. Gostei do episódio, achei o pai da Mini digno, até o final, quando largou ela, mas também ela pediu, acabou se fudendo no geral =S
    Rich finalmente deu as caras, e eu morri com a cena da professora enchendo de beijos nele.
    Alex também apareceu de novo, ele é um ótimo personagem, tem que aparecer mas vezes.
    Próximo episódio é do Nick, será que ele beija o Alex nesse episódio?! Enfim... Matty vai voltar, nem queria, odeio ele!
    Uma personagem que eu odiava, estou gostando pra caralho, Liv! Ela ta muito boa kkk
    Enfim... Skins melhorou muito da 5ª pra 6ª temporada, quero um final sem deixar muitas perguntas como foi o da 2ª geração

    ResponderExcluir