sábado, 11 de fevereiro de 2012

[Crítica] 90210 - 4x16: No Good Deed

Minha mãe me disse quando eu era mais novo, que nem todos nascemos super-estrelas.

Crítica:
(Spoilers Abaixo)

O que se passa na cabeça desses personagens? Às vezes fico me perguntando, sabe? Não é possível que existam pessoas tão estranhas como os personagens dessa série. Uma hora estão amando, depois seguiram em frente, daí descobrem de repente que o amigo de anos pode ser mais que um amigo pra deixar ele no final por um novo personagem. Oi? Isso é rodízio? Todo mundo tem que se pegar e viver uma história de amor? Porque eu me sinto perdido nesse jogo de namoro e amizade. 

Por exemplo, a Silver. Ela pegou a maioria do elenco masculino da série e ainda namorou o personagem gay. E todos esses namoros foram grandes histórias. Assim como Dixon, pegou a própria Silver, a Ivy e agora ta com a Ade, e todos os romances pareceram duradouros. Fico impressionado com a habilidade deles de seguir em frente, de misturar amizade com namoro, é por isso que vivem indo e vindo e nunca chegam a lugar nenhum.

Por isso achei meio chata a parte romântica do episódio. Dixon e Ade brigam praticamente toda semana e depois rola uma ceninha fofa do tipo que já vimos umas trilhões de vezes. Mesma coisa Silver e Navid. Ele decidiu ir pra uma universidade fora da cidade, mas a garota era orgulhosa demais pra pedir pra ele ficar. Nem ligo, daqui a pouco ela pega o Liam e eles vivem um romance ardente que vai acabar no primeiro problema que encontrarem.

Porque o Liam já está praticamente solteiro. Sua namoradinha continuou mostrando suas garras e acabou pagando uma garota pra fingir estar se afogando só pro Liam ficar mais famoso. Isso mesmo, é aniversário das casas Bahia, mas quem ganha presente é você! Porque né... Quem acha que ela não vai lucrar com toda essa fama dele, só pode ser muito inocente. Ela ainda colocou ele num programa de culinária pra passar vergonha porque a má reputação também é um tipo de reputação. A foto acima mostra claramente o momento ‘vergonha alheia’ do episódio.

Dentre os outros destaques, tinha Ivy. Hey, vamos celebrar? Ela finalmente fez alguma coisa além de cenas curtas que faziam parte da sua cota de aparecimento. Sabe? Só pra não esquecer o personagem. Seu evento foi estragado por um skatista fã de Avril Lavigne que se achava o Picaso do grafite. Segundo ele, queria apenas mostrar o que era arte de verdade porque as fotografias de Ivy estavam mortas. Claro que estavam, ela é casada com um cara que tem câncer, pedir pra ela fotografar a banda restart seria um insulto. Mas, como o resto das pessoas odiaram, ela percebeu que arte realmente precisa dizer algo além de ‘sou infeliz’. Quem aí acha que na próxima semana ela e o skatista vão grafitar juntos?

Pra fechar tudo, é claro, temos Naomi Clark. Ela não pode faltar, né? Já que é com certeza a protagonista e um exemplo de bitchismo de berço. Ela aproveitou a semana pra se dedicar a sua carreira de planejadora de festas, mas no fim acabou fazendo um bêbado e sua filha fã de crepúsculo se acertarem. E por causa disso, agora, emprego ela tem, mas o que vai faltar é paciência porque a Jen voltou de mala, cuia e seu pequeno filho nos braços. É isso aí tia Naomi, o fim da melhor época de sua vida acabou de passar pela sua porta. Oremos. 
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário