Especial

Foto:

[Crítica] Skins - 6x01: Everyone (Season Premiere)

Oggy! Oggy! Oggy!

Crítica:
(Spoilers abaixo)

Pois é, outro ano, mas felizmente, os mesmo personagens. Não é uma coisa que vamos poder dizer ano que vem, não é? Quem acompanha a série sabe que são apenas dois anos para cada grupo de personagens e depois temos que dizer adeus. É difícil, mas temos que aceitar, porque a série é uma das melhores sobre adolescentes dos últimos anos.

E talvez vocês nem lembrem dos personagens desta geração. Eu, por exemplo, me perdi em alguns nomes, lembrei bem pouco, porque e, apenas algumas semanas fará um ano que a temporada anterior estreou. Bom, mas vamos ao que interessa? Como é a primeira crítica sobre a série aqui no Meu Mundo Alternativo, o texto será mais técnico.

Primeiro, pra quem não sabe, Skins é uma séria que tem no máximo onze episódios por temporada, sendo cada um deles dedicado a certo personagem, ou seja, cada um tem um pouco mais de quarenta minutos na semana pra mostrar um pouco de seu drama. Mas, existem episódios, como este, em que a história se foca em todos. Ele geralmente vem no começo e/ou no fim das temporadas, onde todo mundo precisa fazer alguma coisa.

Como este primeiro episódio foi de todo mundo, tivemos diversas coisas. A turma foi passar férias no Marrocos depois dos acontecimentos da temporada passada. Nossa andrógena Franky, que eu chamo de protagonista, não só mudou mais pro lado feminino como começou a se descobrir. Afinal, pra que namorar se ficar é melhor? Foi por isso que ela e seu (agora) namorado Matty ficaram se estranhando o tempo inteiro.

Já Mini, a patricinha – Minha personagem preferida, aliás – teve um rolo com o patinho feio da história. O nome da criatura é Alo, mas eu adoro ele. É o tipo de cara virgem que só pensa em sexo, mereceu dar umas escapadinhas com a garota mais popular do colégio. Fora eles dois, tinha o casal da série, Rich e Grace, completamente feitos um para o outro. E pra quem pensou que cortando aquele cabelo de metaleiro ele finalmente ficaria com cara de varão, ficou com a cara na poeira, porque aquele cabelinho de Justin Bieber o deixou com cara de lésbica masculina.

Ainda tem o Nick e a Liv, que ao fizeram muita coisa, mas fazem parte da turma né? Pena que não são mais um casal, acabou. Na verdade, bastante coisa mudou em off. Porque a temporada passada terminou com um quase triângulo entre e Franky, o Matt y e a Liv, mas de repente Franky e Matty já apareceram como um casal, tendo problemas de casais e terminando a história como duas pessoas que se amam, mas precisam ficar longe.

E é claro, a parte forte do episódio foi ter conhecido um traficante que os usou num plano diabólico que resultou num acidente grave, deixando Grace no hospital. Tudo por culpa da Franky, é claro, foi logo se interessar pelo cara malvado. Mas pelo menos ela sabe que a culpa de terem acusado o Matty de tráfico e da Grace estar no hospital é dela mesmo.

E o que esperar dos próximos episódios? O óbvio, é claro. Sexo, drogas, lágrimas, palavrões, tudo o que uma série adolescente esquece de ter. Porque lá em UK só censuram as coisas de fora, sabem? Preconceito ou não, a série recomeçou muito bem. E pela prévia do próximo episódio, o primeiro a ganhar uma trama só para si vai ser o Rich, com o drama da namorada inconsciente no hospital. Até lá, mothafuckers.
Comentário(s)
3 Comentário(s)

3 comentários:

  1. Skins britanico é melhor que o americano, na verdade as series inglesas são todas otimas, Misfits, Doctor Who, Sherlock (essa eu enrolei pra ver a 2 temporada e a SOPA ea PIPA me fuderam) e Shameless, essa eu confesso que prefiro a americana.

    ResponderExcluir
  2. Skins está muito bom, mas está perdendo a essência.1ª e 2ª temporada, eu, adolescente, me idêntificava muito mais, e não apenas com um ou dois personagens e sim com a maioria!

    ResponderExcluir
  3. Assiste as primeiras temporadas são otimas ,a terceira começa chato mais depois fica legal, a quarta tambem é otima .

    ResponderExcluir