quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

[Crítica] Panic Button


Direção: Chris Crow
Ano: 2011
País: UK
Duração: 96 minutos
Título original: Panic Button

Crítica:

Você já leu as regras?

Mergulhando profundamente neste gênero aterrorizante, posso dizer que adoro estes filmes que exploram realit shows. Existem tantos exemplos, que, se pesquisarmos, podemos encontrar diversas ramificações. Temos aqueles em que o Realit Show acaba dando errado por uma força maior (Floresta do Mal). Temos aqueles explícitos, onde a intenção, é um competidor matar o outro (Aprisionados, O Olho que Tudo Vê). E temos aqueles parecidos com o anterior, tendo apenas a diferença de que suas mortes são exibidas em rede nacional (Corrida Mortal, Os Condenados). Em qual deles Panic Button se encaixará?

A história gira em torno de quatro pessoas que foram sorteadas de um site de relacionamento e ganharam um vôo de graça para Nova York. Logo que entram no avião, são convidados para uma rodada de jogos, a fim de se conhecerem melhor. Mas não demora muito para que as perguntas se tornem invasivas e revelem segredos ocultos dos jogadores. Uma vez tendo seus segredos mais doentios revelados para desconhecidos, um por um, vai ganhando uma tarefa especial, que pode acabar tirando a vida de uns para salvar outros. Em um jogo mortal, só joga tem consegue matar. E num jogo de sobrevivência, os assassinos ganham.

Já pela sinopse, dá para perceber que este filme se encaixa da segunda opção, onde os jogadores terão que matar uns aos outros para poder sobreviver. Mas existem vários elementos que fazem este filme ser original, fugindo do lugar comum das outras produções parecidas. O cenário onde o filme se passa, já é um diferencial. Não é como se não tivéssemos filmes tensos que se passam em um avião (Vôo Noturno, Altitude), mas certamente não tivemos um Realit Show mortal nas alturas, não é verdade?

Além disso, não temos aquele grande número de participantes (vítimas), comuns neste tipo de filme. Geralmente, temos um número elevado de personagens para que o sangue corra solto e o espectador não consiga adivinhar quem ficará em pé ao final dos créditos finais. Mas, em Panic Button, as coisas são bem diferentes. Primeiro, temos apenas quatro personagens. E ninguém morre, realmente, até os trinta minutos finais de filme. E o melhor, o roteiro consegue segurar uma grande tensão apenas com diálogos, expondo os personagens e mostrando-lhes que não são apenas eles quem estão em perigo, mas também, seus entes queridos.

Além disso, o avatar do Crocodilo, que fala sobre as regras do jogo e dá as missões para os participantes, foi uma escolha interessante. Apesar de infantil, o avatar passa uma imagem tétrica, ao falar coisas horríveis de uma forma doce, como um demônio sorrateiro. O roteiro ainda trata de dar uma explicação que conecta todos os personagens e o verdadeiro objetivo do jogo. Muitos podem falar que tem vários furos de roteiro, mas eu simplesmente aceitei ser surpreendido e eu fui. Não esperava nada e gostei bastante do que vi. Faz sentido e nos faz pensar que devemos ter cuidado com o que fazemos na internet.

Esta é uma das maiores sacadas do filme. Trazer este mundo online para o contexto do filme. Nós trocamos milhares de informações todos os dias. Informações estas, que podem nos destruir. Então, queridos, pensem bem antes de entrar naquele site suspeito. Enfim, eu recomendo e espero que todos tenham a oportunidade de assistir e comentar. Um ótimo suspense psicológico! OBS: Achei que o desfecho poderia ter sido melhor, fiquei esperando por mais uma reviravolta... E não aconteceu. OBS 2: A atriz, Scarlett Alice Johnson, que interpreta a protagonista do filme, Jo, não é a cara da Ellen Page?

Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
4 Comentários

Comentário(s)

4 comentários:

  1. Adoro filmes assim,vou assistir concerteza.

    ResponderExcluir
  2. vanessa vasconcelos19 de janeiro de 2012 22:30

    parece legal,depois eu assisto.

    ResponderExcluir
  3. esse filme é muito chato, com final idiota. mas seu post ta bacana veiu... aconselho a todos a assistirem os clássicos dos filmes de terror como o iluminado(umas das melhores trilhas sonoras q eu ja vi,p esse género), psicose, poltergeist, 7 pecados capit. e assim por diante. vlw tudo de bom :p

    ResponderExcluir
  4. N curti muito o filme pq o filme n mostro se a Jô morre no final ou n.

    ResponderExcluir