domingo, 8 de janeiro de 2012

[Crítica] Matador em Perigo


Direção: Jonathan Lynn
Ano: 2010
País: UK / França
Duração: 98 minutos
Título original: Wild Target

Crítica:

A ordem era matá-la, mas ele achou uma péssima idéia.

Este tema de assassinos profissionais já renderam ótimas tramas, não é verdade? Não consigo pensar em nada agora, para dar exemplos - e isso me frustra -, mas tenho certezas que temos alguns belos exemplares. Por conta disso, temos que dar os créditos de que a idéia é antiga e foi muito explorada nos cinemas e filmes direto em vídeo. Então, a questão que nos fazemos é: será que, atualmente, podemos conferir uma obra com um tema batido e pensar "Putz, foi original"? Matador em Perigo nos mostra que sim.

A história gira em torno de um assassino profissional solitário, porém, muito bom em matar. Victor é todo organizado, mas sua vida vira de cabeça para baixo quando ele tem a missão de matar Rose, uma ladra maluca que enganou um ricaço poderoso. Depois de não conseguir matá-la e ainda matar os outros profissionais que vieram atrás dela, Victor e um outro garoto - que ele encontra aleatoriamente - se vêem em uma luta hilariamente para salvar a vida da garota, que parece que o mundo inteiro quer morta. Agora, eles têm que mantê-la viva, enquanto o velho assassino encontra um conflito: seguir o legado de sua família ou o seu coração?

Eu morri de rir com este filme. Começou como quem não quer nada, mas quando chegou na parte do papagaio chantagista que ama a todos, eu simplesmente não consegui mais tirar os olhos da tela. Voltando ao papagaio, eu acho que ele merecia mais destaque na tela, porque, aparecendo em duas cenas, se tornou um dos melhores personagens do filme. Mas não fiquem pensando que é apenas de animais cretinos que este filme sobrevive. Para falar a verdade, a entrada do papagaio é apenas o começo de uma aventura hilária e totalmente anti-clichê.

A gatinha e oscarizada Emily Blunt (O Lobisomem) está maravilhosa em seu papel. Aquela mulher só pode ter um distúrbio. Nunca vi alguém roubar tantas coisas em tão pouco tempo. A sequência onde o assassino protagonista a persegue é muito engraçado, justamente por causa da "mão leve" da moça, que insiste em roubar tudo o que vê pela frente. Não é difícil imaginar o porque do protagonista tê-la poupado. Depois de acompanhar o seu dia inteiro, não é brincadeira quando podemos dizer que ela é "especial". E se ela separada já é ótimo, as coisas melhoram ainda mais quando ela interage com o protagonista.

No meio de tudo isso, está Rupert Grint (o eterno Ron da franquia Harry Potter). É impressionante como o trio protagonista tem carisma. Eles são perfeitos um para o outro. E não podemos esquecer da mamãe temperamental do protagonista, que rende ótimas cenas e uma reviravolta importante no final. A cena em que ela aparece como uma psicopata maluca com uma faca é simplesmente impagável. Grint também tem seus bons momentos com seu "talento" para a arte da matança.

Se vocês gostam de comédia, com um humor clássico, negro, mas, sem ser certinho, está na hora de assistir. O protagonista é simplesmente adorável e ele não faz absolutamente nada para ser assim, acho que é carisma natural. Enfim, muitos rostos conhecidos te esperam nesta produção maravilhosa e cheia de graça. OBS: Vocês sabiam que este filme é um remake? É, as pessoas só gostam de falar mal dos remakes de terror, não é verdade? Parem de preconceito! Nota 9,5.

Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. PARABÉNS PELO BLOG... DEPOIS Q DESCOBRI SEU BLOG SÓ BAIXO FILMES DEPOIS Q VEJO SEUS COMENTARIOS E A NOTAS Q VC DÁ GRANDE ABRAÇO AMIGO... Q VC CONTINUE COM ESSE BLOG MARAVILHO POR MUITOS E MUITOS ANOS!

    ResponderExcluir