terça-feira, 31 de janeiro de 2012

[Crítica] Uma Noite Alucinante 3


Direção: Sam Raimi
Ano: 1992
País: EUA
Duração: 81 minutos
Título Nacional: Uma Noite Alucinante 3
Título Alternativo: Army of Darkness / Evil Dead 3: Army of Darkness

Crítica:

Como destruir um exército que já está morto?

Certo, como fazer outra sequência se o desfecho do último filme havia sido o mais sem noção possível? Simples! Siga a cena e incremente o roteiro com situações ainda mais bizarras, encha de efeitos visuais risíveis, esqueça o terror, coloque bastantes cenas palhaças e pronto; Ninguém mais irá perceber o quão idiota é esta idéia. Até porque, com tantas situações “inusitadas” pipocando em nossa cara, quem irá ligar com o fato do protagonista ter viajado na dimensão do tempo e se teletransportado pro passado?

A história, MAIS UMA VEZ, o imortal Ash. Desta vez, ele foi enviado para o passado, depois que um portal dimensional abriu no final do segundo filme. Em outra época, ele é feito refém de um grupo de cavaleiros medievais e é jogado dentro de um poço onde criaturas demoníacas estão a espera de carne fresca, uma espécie de sacrifício. Depois de sair intacto da armadilha, o povo do local o confunde com o salvador de uma profecia e o envia em uma jornada atrás do lendário Livro dos Mortos. Mas, ao recitar de uma forma errada as palavras, Ash ressuscita o exército dos mortos. Agora, como matar um exército que já está morto?

Sentiram a emoção da idéia? Eu não. Se eu já estava reclamando das cenas exageradas do segundo filme, neste, eu sofri, porque foi tudo multiplicado. Esqueçam o terror! Não existe nenhuma cena, nada, que possa dar sequer um susto. Aliás, parece que nem o diretor, nem o roteiro, tentam. Acho que eles perceberam a palhaçada que estavam envolvidos e simplesmente resolveram tirar piada com todas as situações ridículas do roteiro.

Lembram a minha reclamação à cena da mão possuída? Pois nada poderia me preparar para uma cena onde o protagonista luta contra várias outras cópias mirins de si mesmo. Eu nem sei explicar isso direito e duvido que alguém vá entender porque aquilo aconteceu. É simplesmente uma daquelas coisas que “simplesmente acontecem”. Neste momento, eu já estava achando o Ash completamente insuportável, porque o personagem foi levado à beira da loucura e idiotice (fãs descontrolados tacaram o Livro dos Mortos na minha cabeça em 5...4...3...).

E, acreditem em mim quando eu digo, não há espaço para coadjuvantes nesta franquia. São todos sempre dispensáveis e, na minha opinião, as mais azaradas são as pretendentes do protagonista. Toda mulher que gosta dele, e pode formar um possível par, é mandada direto para a profundeza dos infernos. Pelo menos eu gostei da protagonista feminina do filme anterior, foi a mais interessante e forte de todas. A deste filme é apenas mais uma, mas tem um certo destaque como demônia.

Enfim, achei esta sequência dispensável e o final ácido e sarcástico fechou a franquia de uma vez por todas. Não seria possível que eles colocariam mais demônios em outra época, não é verdade? Além disso, tudo estava perdido e não teria jeito dos produtores recuperarem aquele clima legal de “terror na cabana” que os dois primeiros tinham. Bem, espero ansioso pelo remake e tenho certeza que será ótimo. Principalmente porque não terá mais Ash! Nota 6,5.

Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
10 Comentários

Comentário(s)

10 comentários:

  1. Fala sério,eles extragaram totalmente a franquia,só espero que isso não aconteça no remake(o Bruce Campbell estava melhor na Xena).

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Não será tolerado desrespeito. Se discorda, apenas dê sua opinião.

    ResponderExcluir
  4. Esse filme é especial na franquia desde os efeitos simples ate o roteiro clichê, porém um grande clássico do cinema , que ate o proprio bruce campbell considera o seu ponto alto na série.

    É o meu filme favorito da trilogia e obviamente discordei totalmente dessa resenha superficial e pobre sobre o filme, sem falar que gosta da ideia de um evil dead sem a marca registrada da série , ASH.

    Lamentável...

    ResponderExcluir
  5. Não acredito que perdi meu tempo lendo essa resenha até o final.

    ResponderExcluir
  6. Vc não sabe mesmo oq um filme bom né?
    A trilogia é otima, o Ash é super foda
    Sem Ash, não tem Evil Dead
    nunca tinha visto crítica pior, ja tinha me decepcionado com sua opinião sobre Evil Dead 2..

    ResponderExcluir
  7. Na primeira crítica da franquia tu alegou usar o título original (em inglês) para não criar confusão, pois, por aqui, sempre criam. E tu estava certo, pois tu conseguiu criar. É Evil Dead, Evil Dead 2 e Army of Darkness... e não Evil Dead 1, 2 e 3!
    Por que isso é importante? Para saber que Army of Darkness tem outra abordagem, ou seja, não é mais Evil Dead.

    Evil Dead é o marco maior do cinema trash e na minha opinião uma das melhores expressões do terror. Dentre as várias formas de contar histórias de terror, esta foi feita com maestria e jamais deveriam cogitar um remake (um remake a tiraria do trash! Por isso vá e veja o original e não espere um trash moderno com orçamento milionário).

    Army of Darkness é uma história de aventura que faz mix de terror e fantasia. Outra abordagem. Até porque recontar a história da cabana seria perigoso. Mas neste filme temos ainda a figura sensacional de Ash e toda a nóia e insanidade que a série carrega. Outra obra-prima.

    ResponderExcluir
  8. amigo posso apostar com voce que esse novo remake vai ser uma droga,nunca mais vão conseguir pegar o espirito do filme,sam raimi é unico e nem ele conseguiria isso,os idos anos 80 deixaram suas marcas ,e este é uma de suas crias,voce disse tudo deste filme mas nunca pode falar que este ou aquele pedaço foi copiado de algum outro,este filme é unico,e sera copiado eternamente,estes filmes que voce da nota 8,estes dim , tem varias partes que chuparam do uma noite alucinante

    ResponderExcluir
  9. O autor das critica podia ficar sem essas, cara tipo, qual seu problema? ta certa o filme tem lá suas maluquices, mas é um marco para o cinema trash e sinceramente adorei, os efeitos que tanto fala era ótimos e muito bem trabalhados para época e não preciso dizer que não foram gastos grandes quantias no primeiro e segundo né? sendo que o primeiro saiu tudo do bolço do Sam Raimi!

    ResponderExcluir
  10. Concodo que no terceiro filme tiraram a parte de terror mesmo isso nao da pra negarem mas discordo que seja um pessimo filme mt pelo contrario mesmo sem terror sam raimi sabe o que faz tanto que essa resenha besta nao tem o menor sentido ja que bruce campbell é um excelente ator mesmo o diretor amenizando o roteiro isso é notável. Quanto ao remaker eu fiquei com muito receio quando soube que ia ser lançado um remaker de evil dead putz isso ê pra deixar qualquer um com raiva e medo de estragarem o filme mas assistindo o trailler eu vi que eu estava sendo preconseituoso ao jugar sem antes conferir muitos dos elementos incluindo o som e a camera se movendo rapidamente em direçao a cabana assim como no original isso me imprecionou ate que fui checar e soube que o diretor é o propio sam raimi e se tem alguem que merceça fazer um remaker de evil dead tem que ser ele o criador do original porque ele sabe oque faz sam raimi é o maximo e confiu sem medo de estragos nos filmes que ele faz e comprovei isso em apenas um unico trailler do remaker ate as passagens recitadas no propio necronomikon sao originais confiram antes de julgarem pessoal depois que assistirem ai sim poderao dizer que nao presta etc.. Etc.. Mas ate la sugiro que assistam eu garanto que intenderao oque estou dizendo! Vlw!

    ResponderExcluir