quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

[Crítica] Contágio

Direção: Steven Soderbergh
Ano: 2011
País: EUA
Duração: 105 Minutos
Título original: Contagion

Crítica:

Nada se espalha como o medo. 

Quem aí lembra da gripe suína? Matou muita gente e fez os sobreviventes ficarem com aversão a carne de porco. E a gripe espanhola? Outra epidemia bizarra que quase levou a Terra pro buraco negro. Mas e se as coisas fossem piores? Não estou falando de zumbis sedentos por cérebro ou Jesus descendo pra chamar seus escolhidos, estou falando do tema do nosso filme inútil sobre apocalipse do ano. Uma gripe mortal. Tcharan! Quem aí acha que a Gwyneth Paltrow já foi melhor?

E o pior é ter que enrolar uma sinopse pra poder fazer um parágrafo inteiro valer a pena nisso aqui. Porque o filme, minha gente, não passa da versão política e cientifica sobre um vírus letal com sintomas parecidos com o da Ebola que devasta o mundo inteiro pouco a pouco. E é apenas isso. Nada de uma família que sai por aí em busca de sobrevivência, que eu acho que era exatamente o que o publico queria ver.

E eu até hoje não entendo como alguém pensou em fazer sucesso com um filme desses. Eles preferiram não mostrar as pessoas morrendo, vomitando umas nas outras e caindo aos pedaços pra mostrar os políticos e cientistas preocupados com o que o mundo iria se tornar. Ou seja, preferiam dizer quantas pessoas já haviam morrido do que mostrá-las morrendo, como se fosse interessante ver um quase apocalipse pelo lado de quem usa jalecos e está imune só porque tem mais dinheiro.

Outro problema grave na produção foi o elenco. Quando ele é grandioso, como neste filme, eles acabam embaralhando as coisas só pra todos aparecerem e não ficarem esquecidos. Grande erro, já que muita gente estava lá só pra causar. O personagem do Jude Law? Bitch, please, aquele sujeito não existe, é tão inútil quando a personagem da Paltrow que já começa o filme doente.

Não tem aquele clima que o filme Epidemia tinha, por ter tanto nome conhecido as cenas eram bem divididas e acabamos não conhecendo muito os personagens. Não choramos pelas mortes, perdas, situações, nada do que o trailer mostrou. Quer dizer, as pessoas já estão doentes desde quando a tela ainda estava preta, e isso rendeu uma das piores cenas de abertura que eu já vi na vida.

A sorte é que o final salva tudo. Ah, eu fico em êxtase. Repeti umas três vezes, porque foi a melhor parte do filme. Acho até que deveriam pegar os últimos 50 segundos, lançá-los solo por aí que ficaria tudo bem melhor. Porque eu odeio filmes que não servem pra nada. A não ser que alguém aqui tenha visto uma lição no meio de toda essa baderna, né? Mas qual lição? Nunca tente cruzar um porco com um morcego que você pode destruir o mundo ou nunca entre em contato com Gwyneth Paltrow? Nota 4,0.

Trailer Legendado:
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
6 Comentários

Comentário(s)

6 comentários:

  1. Sinceramente,sua critica foi horrível.
    Filmes de sobrevivencia é uma coisa,filmes didaticos e que informam é outra,esse é um filme mostrando o outro lado,o das autoridades,os dos que são benefeciados com a cura,deixando q claro que tem mais grana vai receber antes da população,é simples é um filme ótimo e coeso,é só ter a mente aberta e não esperar apenas diversão =)

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não assisti esse filme,já até baixei para assistir,fiquei até desanimada com a sua crítica mais vou assistir assim mesmo para ter a minha opnião,aí depois colocarei meu comentário aqui. Espero q eu não venha perder meu tempo assistindo,vamos ver o que vai dar!!! Abraços.

    ResponderExcluir
  3. CUIDADO SPOILER !!!CUIDADO SPOILER !!!CUIDADO SPOILER !!!

    Não entedi uma coisa o Jude Law era pilantra ou aquela palnta curava mesmo??

    Quanto a critica concordo plenamente assisti esperando um epidemia moderno..mas este dá até sono.

    ResponderExcluir
  4. CUIDADO SPOILER !!!CUIDADO SPOILER !!!CUIDADO SPOILER !!!

    O Jude Law era pilantra mesmo!

    ResponderExcluir
  5. VANESSA VASCONCELOS11 de janeiro de 2012 19:40

    CONCORDO COM VC JOÃO,ESSE FILME FOI DECEPCIONANTE,MAS PRA MIM NEM O FINAL SALVOU,DO QUE ADIANTA UM ELENCO MARAVILHOSO DESSE PRUM FILMINHO TÃO MEIA BOCA,EU ATÉ DEI UMA COCHILADA ASSISTINDO ESSA PORRA,ENFIM SÓ MAIS UM DRAMA POLITICO E CHATO.ADOREI VC TER CITADO A EPIDEMIA(THE CRAZIES) QUE É MUITO LEGAL,ESSE SIM É UM FILME DE CONTAMINAÇAO QUE MERECE SER VISTO E APRECIADO,PENA QUE AS PESSOAS DERAM MAIS VALOR A ESSE CONTÁGIO AÍ.

    ResponderExcluir
  6. Concordo com a Bianca.

    Este é um filme com outro ponto de vista!! E trabalha muito bem este lado.
    Quem quer só diversão, que veja os filmes da "moda". Na minha opinião, é uma história bem consistente e que mostra que nem sempre as coisas acontecem por causa de uma grande trama, mas sim pela simples coincidência do destino.
    Além é claro, de frisar bem a questão do "colarinho branco", os que detêm maior poder, consequentemente terão as maiores chances de se salvaram.

    Um filme pra ser interessante, não necessita necessariamente, ter que mostrar sangue.

    ResponderExcluir