domingo, 22 de janeiro de 2012

[Crítica] Além da Escuridão


Direção: Martin Guigui
Ano: 2011
País: EUA
Duração: 96 minutos
Título original: Beneath the Darkness

Crítica:

Agora eu me deito para dormir.

Não tem nem um mês que este filme teve uma estréia limitada nos EUA. Agora, ele já chegou em território nacional, direto às locadoras. Acho que a Califórnia Filmes fez um belo trabalho, até porque, temos um filme acima da média, que foi lançado no nosso país com pouquíssimo tempo de diferença que nos EUA. Enquanto outras distribuidoras, levam mais de um semestre para lançar um AGUARDADO filme nos cinemas (qualquer semelhança com a Playarte e o atrasado lançamento de Premonição 4, não é mera coincidência).

A história gira em torno de quatro adolescentes que, depois de desconfiarem de um dos moradores da cidade, vão até a casa dele, para espionar, em busca de aventura. Quando eles entram na casa, descobrem que o homem guarda o corpo de sua mulher sobre sua cama e como consequência desta revelação, um deles acaba morto. Depois de irem para a polícia, ninguém acredita na história deles, sendo a morte, considerada um acidente. Agora, os outros jovens terão que provar sua versão, antes que o assassino frio venha atrás deles, a fim de calá-los... para sempre.

Não posso dizer que este é um suspense de tirar o fôlego e que é simplesmente genial. Mas, para falar a verdade, devo confessar que é acima da média e supera a maioria dos outros lixos jogados diretamente nas prateleiras empoeiradas das nossas locadoras todo mês. Ainda assim, temos alguns bons momentos, que garantem uma diversão passageira e sem grandes expectativas.

Não espere um filme super sangrento, com mortes gráficas e muita correria. Nada disso existe aqui. Acho que este é um dos principais pontos negativos, já que este filme não se enquadra como um "suspense psicológico". Para falar a verdade, quase não existem mortes aqui e, apesar do fato do roteiro não sair matando todo o elenco ser um ponto positivo, eu acabei sentindo a necessidade de ver mais corpos. Custava ter tirado a vida de mais um ou dois? Acho que não.

Outro problema é o ritmo do filme. Demora bastante tempo para acontecer alguma coisa, mas, quando finalmente acontece, volta a esfriar. Isso ainda acontece mais uma vez, e, novamente, esfria. Isso nos leva para o terceiro ato, onde já estamos requentados e de saco cheio de sermos esfriados novamente. Mesmo assim, o final é bem interessante, com um confronto com os sobreviventes e o vilão. Teve até uma vibe Sexta-Feira 13 - Parte 2.

A maior qualidade deste filme é o Dennis Quaid, que interpreta o vilão. Acho que deveriam ter dado mais frases de efeito para o personagem. Mas acho que ele realmente brilhou no terceiro ato, mostrando toda a sua loucura. O filme também fechou com chave de ouro, com uma frase hilária. Concordo com o personagem, realmente sucks! Enfim, se não tiver nada melhor para ver, assista. Tem uns momentos eles, apesar de ter diversas quebras de tensão. Mesmo assim, acho que vale a pena uma conferida. OBS: A capa do DVD nacional é sofrida. Nota 7,0.

Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários: