quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

[Crítica] Glee - 3x08: Hold On To Sixteen

Nada como uma boa dose de música boa.

Crítica:
(Spoilers Abaixo)

Porque né... Pra quem começou cantando as musicas favoritas de idosos solitários, a série está se saindo muito bem no repertório. Este episódio que o diga, já que foi uma diversão só, além dos momentos emocionantes que não podem faltar. É isso que acontece quando o episódio foca nas Regionais ou nas Nacionais, eles sempre nos dão um banho de criatividade. Pena que ainda tem gente louca da pussy falando em línguas Alá Santana só pra reclamar da série.

E ele já começa com o que todos esperavam: O retorno de Sam. Ainda não entendi porque ele teve que sair, e fiquei bem feliz quando ele voltou. Afinal, a gente já tinha se acostumado com ele e o tiraram quando o personagem estava ficando bom. E adivinhem só? O cara tinha saído de Ohio pra virar stripper e sustentar toda a família assim. É claro que os pais não sabiam, os iludidos ficavam se perguntando porque a sorveteria obrigava o Sam a passar glitter no corpo.

Acho que aproveitaram muito bem a trama pra fazer o personagem voltar. Eu pensei que ele simplesmente voltaria com uma desculpa esfarrapada, mas não, o cara voltou pra ajudar o Glee Club a ganhar as Regionais, já que sem as garotas e com um perna de pau igual o Finn, o grupo não ia longe. Só achei que o grupo não mereceu a vitória. A apresentação deles não chegou nem perto do outro grupo e a das Troubletones. Que Mash Up foi aquele, Jesus? Pelo amor de Deus, uma das melhores performances de toda a série.

O drama ficou por conta de duas histórias importantíssimas na temporada, isso excluindo, é claro, o fato do Blaine ter dado aloka quando o Sam sugeriu uma apresentação mais sexy. O cara reluta em manter aquela aparência de ‘virgem por opção’ como se combinasse com aquela vestimenta infame e fizesse dele uma pessoa culta. Mas enfim, não é disso que eu quero falar, acho que o drama de Mike foi bem mais importante, considerando o fato de que, ao contrário dos membros daquele grupo, os pais dele não aprovam seu estilo de vida. Quem ler esta frase sem ver a série, vai imaginar uma coisa gay, eu sei.

Acho que, apesar da cena de reconciliação entre ele e o papai após a apresentação, as coisas poderiam ter sido melhores. Como um clichê ambulante, o garoto decidiu seguir o sonho de papai só porque sentia falta dele. Pelo amor de Deus, sei que você é oriental, mas abra o olho, Mike, as pessoas devem seguir seus sonhos independente do que seus pais querem. Tenho certeza que se o Senhor Chang não tivesse amolecido, Mike teria feito medicina como ele quis, e ainda teria terminado com Tina só porque ela quis ajudar.

Pra finalizar o ótimo episódio, tivemos mais do ‘triângulo’ Puck + Shelby + Quinn revoltada. Sério, gostei muito de como as coisas aconteceram. Quinn estava decidida a dizer pro diretor que Shelby teve um caso com Puck, mas desistiu por causa dos conselhos de Rachel. Elas duas formam uma boa dupla desde a primeira temporada, não é? Mesmo Rachel sendo humilhada todo dia, porque apesar disso, ainda sobrava espaço dentro dela pra sentir compaixão pela inimiga.

Quando Quinn percebeu que iria arruinar a carreira de Shelby e a vida de sua filha, ela desistiu. Baixou um santo da bondade na garota que ela começou até a agir de uma maneira simpática. Até fez as Troubletones voltarem pro Glee Club depois que perderam as Regionais. Acho que depois dessa, a personagem só vai melhorar. Agora só falta o Finn aprender a ser natural e o Kurt parar de ser diva dos anos 60 pra todo mundo ficar feliz.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
7 Comentários

Comentário(s)

7 comentários:

  1. Eu tenho acompanhado o Blog, que é fantástico, a algumas semanas e tenho adorado, principalmente as suas postagens, mas sinto falta de mais criticas de livros, eu sei que se gasta mais tempo lendo um livro do que assistindo uma série ou filme, mas está faltando também. E, um pedido pessoal, poderiam fazer uma critica completa da série "Percy Jackson e os Olimpianos", só os cinco livros, claro. Bom só isso, parabéns pelo Blog, as criticas sobre Glee são ótimas.

    ResponderExcluir
  2. Para onde vai a Shelby agora? Não quero que a personagem saia da série, não nessa temporada... dia 13 de dezembro saberemos... saberemos...

    ResponderExcluir
  3. Texto Razoável...
    Não acho que Reviews/Críticas devam ter opiniões unilaterais (individualistas). A pessoa que está escrevendo a crítica deve fazê-la de forma imparcial, e não colocando seus próprios gostos em um texto na qual outras pessoas lêem e podem discordar, do contrário, não será um texo crítico e sim sua opinião sobre a série. Fora isso, é necessário um pouco mais de atenção em alguns pontos de seu texto como: ELES NÃO ESTÃO COMPETINDO NAS REGIONAIS E SIM SELETIVAS(SECTIONALS).

    ResponderExcluir
  4. Isso depende, senhor anônimo. Porque não dá pra criticar sem colocar nossa opinião. Não podemos falar bem de um filme, se não gostamos, assim como não podemos falar mal de um filme que gostamos apenas para ser imparcial. Não posso dizer que gostei das musicas, do jeito dos personagens se eu não gostei e se achei isso irritante na série. Isso aqui é uma review, eu tento ressaltar as coisas boas e ruins que acontecem na série de acordo com o jeito que eu vejo as coisas. Outras pessoas podem discordar, como você, mas isso sempre vai acontecer. Quanto eles não estarem competindo nas Regionais, me desculpe, é que eu baixo quando sai com a legenda de fãs pra criticar mais rápido e no arquivo que eu baixei, eles falavam Regionais. =)

    ResponderExcluir
  5. Não tem como ele criticar com a opinião de todos.
    é óbvio que as críticas estão do ponto de vista do autor.
    Ele não é mãe diná!

    ResponderExcluir
  6. adoro o sam, ainda bem que ele voltou pro glee

    ResponderExcluir