segunda-feira, 14 de novembro de 2011

[Crítica] Sonâmbulos


Direção: William Malone
Ano: 2008
País: EUA
Duração: 103 minutos
Título original: Parasomnia

Crítica:

Quando os sonhos terminam, os pesadelos começam.

O que é, o que é? É malvado e usa os sonhos dos outros para matar. Freddy Krueger! Bem, pelo menos não neste caso. Parece que finalmente encontramos um colega de classe do velho Freddy. Um que também usa dos sonhos para um pequeno banho de sangue, mas que é bem mais fraquinho que o Sr. Krueger. Deve ter repetido de ano. Apesar de Sonâmbulos ter um roteiro muito parecido com A Hora do Pesadelo 2 (Mate por mim? Alguém?), ele traz fortes elementos do enigmático A Cela. Tem como dar errado?

A história segue um rapaz, que ao passar em um hospital, fica incrivelmente obcecado por uma garota que tem uma misteriosa doença do sono. Quando ele descobre que cientistas audaciosos querem fazer testes nela, ele a sequestra do hospital. Agora, ele terá que lidar com as consequências e um serial killer, que também é apaixonado para garota. Mas olhar nos olhos no inimigo pode ser fatal, uma vez que ele consegue hipnotizar as pessoas...

Respondendo a pergunta do primeiro parágrafo, tem sim. O filme não chega a ser péssimo, mas é ruim que dói. Extremamente chato e mal-editado. As sequências de sonho, que deveriam ser as partes mais interessantes do filme, são ridículas. O roteiro é tão ruim que não consegue trabalhar neste mundo alternativo, onde tudo pode acontecer. Os pesadelos da protagonista acontecem num lugar bizarro, com péssimos efeitos visuais. É sério, pessoal! Dá para detectar o fundo falso de longe.

E não pensem que a realidade é melhor. Temos uma protagonista super retardada que, segundo sua doença, devia ficar dormindo e acordar poucas vezes. Mas acontece que a garota ficou mais acordada que eu (!!). O roteiro é o pior de todos os defeitos. Até que começa de forma mediana, mas depois joga uma sequência interminável de idiotices na cara do espectador. Porque uma pessoa normal vai querer seqüestrar uma garota que simplesmente não acorda? Eu até agora estou tentando entender seus motivos, mas não consigo.

Outra dúvida válida é como o mocinho conseguiu passar pela segurança com uma paciente? Tecnicamente, aquele hospital devia ser um dos mais seguros do local, não é verdade? Ele até abriga um super serial killer cheio do poder. Então não é surpresa alguma quando ele consegue fugir. Na verdade, a surpresa fica quando questionamos por ele demorou tanto. Se até um jovem universitário conseguiu, porque ele não?

O final até que tenta dar uma levantada na qualidade, onde a sequência de sonho realmente mostra algumas cenas bizarras. Tudo bem que algumas são muito ridículas, mas temos alguns detalhes realmente macabros. É claro que não chega nem aos pés de qualquer sequência de pesadelo do Freddy Krueger, mas se compararmos com os pesadelos do começo deste filme, onde aqueles vidros mal-feitos ficam flutuando, o final é maravilhoso.

É claro que eu não recomendo. Foi a maior perda de tempo, até porque, o filme tem quase duas horas (!!!!). Isso que eu chamo de sofrimento! Quem quiser se aventurar, não diga que eu não avisei. OBS: Estão se sentindo apaixonados? Então vamos roubar pacientes do hospital. É sério, nada me tira da cabeça que o protagonista era um psicopata. Pelo menos não tivemos uma gancho para uma sequência. Amém! Nota 4,0.

Trailer Legendado:


Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. vanessa vasconcelos15 de novembro de 2011 21:45

    começei a assistir isso aí e antes da metade parei,que filme hororroso. nao acredito que vc aguentou essa bomba,parabéns......

    ResponderExcluir