quinta-feira, 10 de novembro de 2011

[Crítica] Glee - 3x05: The First Time

Vamos virar adultinhos?

Crítica:
(Spoilers Abaixo)

Sexo é sempre um problema né? Porque dois ou três minutos de prazer sempre vê com duvidas, sensações estranhas e até mesmo gravidez. Deve ser por isso que Rachel e Kurt decidiram esperar, já que sexo é uma coisa séria e uma primeira vez desastrosa poderia lhes render algum tempo de terapia. Mas e quando passar pro lado dirty das coisas vai lhes dar a chance de interpretar melhor? Como isso? Bom, só neste quinto episódio da temporada mesmo.

O único problema com os protagonistas do musical é que eles não demonstram paixão, ou aquela tensão sexual que um casal sempre deve ter. Resumindo, eles parecem virgens de mais, e como o musical é sobre o despertar sexual, como daria certo tendo dois virgens cantando e atuando? Simples, é só mudar o quadro. Por isso Rachel e Blaine embarcaram numa jornada sem volta onde eles precisam dar a Elza na Big V. Enquanto Rachel apressou as coisas com Finn pelo motivo errado e acabou estragando tudo, o novo membro do antigo coral de Blaine acabou passando o episódio inteiro dando encima dele, e isso abalou a confiança de Kurt. E ele estava certo, já que o novato era bonito, vivido, divertido, alguém que não gosta de rotinas, qualquer um se sentiria ameaçado perto daquele cara.

Mas todo mundo sabe que o casal gay do ano não iria se separar por causa de um Brad Pitt Junior descartável, né? Ele só balançou um pouco as coisas, fez Blaine tentar algo com Kurt enquanto estava bêbado, mas no final deu tudo certo, tão certo que nossos mocinhos finalmente tiveram sua primeira vez. Rachel e Finn, Kurt e Blaine, os únicos que faltavam se entregar ao desejo da carne. E as cenas foram bem leves, nada que fizesse a atriz Lea Michelle sentir nojo como ela declarou semanas atrás a um site. Mas bem que poderia ser, não é?As séries teen são muito limitadas nessas cenas.

O clima podia ser de primeira vez a mil por hora, mas ainda teve tempo para romance, drama familiar a números musicais de tirar o fôlego. No romance, a treinadora Beiste finalmente fisgou um bonitão pra ela e se deu bem, mas é claro, após uma cena onde ela tenta fazer o cara fugir, já que não é uma mulher linda. E ela deve estar bem próxima da sua primeira vez, isso se no próximo episódio ela já não chegar falando que liberou o pote de ouro após o cara ter realizado três desejos, né? Vocês torcem por ela? Porque eu torço.

Enquanto isso, bem ao lado, estava um personagem que não ganhou um final feliz. Os problemas com o pai voltaram a atormentar Mike Chang, houve até uma cena dramática onde os dois discutiram e disseram que a partir dali não seriam mais pai e filho. Eu pensei que o velho ia voltar atas, já que é sempre assim, mas no fim apenas a mãe do garoto estava na platéia, ao lado de uma cadeira vazia. Ele ficou feliz, mas não foi uma vitória, foi exatamente o que iria acontecer se seu pai não tivesse descoberto que ele ainda estava no Glee Club e que sua mãe estava acobertando.

Depois disso tudo, só um espetáculo pra comemorar, não é? Não o fracasso da relação entre Mike e seu pai, mas sim a vitória de ter sua mãe aplaudindo de pé. Além disso, Rachel e Kurt finalmente tiveram sua primeira vez, com os garotos que amam e espero que o  drama do sexo termine aqui, já que não tem mais sentido. Se querem que sexo seja um problema, por que não usam a personalidade frenética de Rachel para mostrar sua versão assustadora ninfomaníaca? 
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. espero que o jesse volte e tome a rachel do finn, o romance deles dois é sem graça.

    ResponderExcluir
  2. mike chang é um otimo dançarino, espero que o pai dele aceite a escolha dele de ser um artista.

    ResponderExcluir