quinta-feira, 3 de novembro de 2011

[Crítica] Glee - 3x04: Pot O' Gold

Se os duendes existissem...

Crítica:
(Spoilers Abaixo)

Quem estava com saudade de Glee? Depois de um tempo desaparecida, a série finalmente voltou, mas não foi cheia de boas notícias. Cada vez mais o grupo desanda e as coisas dão errado, parece que o papel de Sue não é mais assim tão importante, já que os membros do grupo arrumaram de um jeito de acabar com eles por eles mesmos.

Tudo começou quando Brittany deixou um “duende” ficar em sua casa. Bom, ele não era duende algum, era apenas um irlandês que estava fingindo realizar os sonhos de Brittany, pois ela prometeu que lhe daria seu pote de ouro (MORRI) no final de tudo. O problema é que Santana se aproveitou do garoto e o fez ajudá-la a conseguir que Brittany saia do grupo do Senhor Schue para cantar junto a Mercedes e ela no grupo da professora Shelby. Bom, elas saíram e fizeram uma apresentação lendária com a musica ‘Candyman’ da cantora Christina Aguilera, provando que o grupo de garotas veio pra ficar. Mas ainda acho que o melhor de tudo foi a lição de moral que Santana deu na Sugar, como sempre, a melhor personagem para humilhar os outros.

E do outro lado, pra estragar mais ainda a bagunça em que o Glee Club, se encontra, Sue decidiu continuar sua campanha contra as artes e cancelar a verba. Sério, gente, a personagem parece que não tem mais o que fazer. Esse lance de acabar com o Glee Club é muito 2009, Sue deveria começar a fazer outra coisa além de provar a todos que é uma péssima pessoa. Só que dessa vez, ela vai ter um adversário a altura. O professor Schue convenceu o pai de Kurt a competir com Sue nas eleições e ele já começou no baphon, humilhando a candidata Sylvester na frente das câmeras. Quem mais gostou disso foi a repórter do jornal, seu sorriu demonstrava alívio por ter surgido alguém que possa parar Sue e suas loucuras. Quem será que ganha? Sue é bem capaz de fazer o pobre homem ir parar no hospital de novo, já que foi moleza empurrar a enfermeira idosa da escada.

Fora do Glee Club, Quinn finalmente deu continuidade ao seu plano de recuperar sua filha. Eu espero que ela consiga, mas se depender de Puck, parece que vai demorar. No começo, tudo parecia perfeito. Quinn queria acusar Shelby de ser uma péssima mãe e começou a implantar objetos que provam isso na casa da mulher. Puck não tinha concordado com isso, mas deixou Quinn fazer o que quisesse, pelo menos até ver que Shelby é ótima e voltar atrás. Foi engraçada a cena em que ele recuperou todos os objetos espalhados por Quinn na casa. Só que o mais importante ainda foi o beijo dele com Shelby, que talvez estrague os planos de Quinn completamente. Afinal, como ela pode conseguir a guarda da criança de volta sem a ajuda de Puck? Ninguém daria um bebê nas mãos de uma adolescente solteira e desempregada.

No fim, os dramas foram bons, mas não impressionaram. As músicas que dão emoção não estavam presentes no episódio também, e tudo não passou de uma tentativa frustrada de ser romântico. As musicas cantadas pelo novato não eram boas, e Puck também nunca foi muito bom com aquele sue violão. Espero que no próximo episódio a emoção retorne e eles cantem músicas que fazem sentido, afinal, ninguém quer ouvir o refrão de “É difícil ser verde” enquanto um garoto excluído caminha nos corredores de um colégio infernal, não é? Porque é isso que víamos toda semana na série, e um dos motivos de eu te dado graça a Deus que ela mudou pra melhor e ficou apenas com a parte boa de tudo.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. mas q merda de comentário..

    ResponderExcluir
  2. O "duende irlandês" é o Damian???
    Sinceramente não assisti Glee, comecei a ver a 1ª temporada, mas não gostei! Porém assisti "The Glee Project", e simplesmente cai de amores pelo Damian, aquele sotaque fofo rsrsrsrs. Quero ver o episódio em que ele vai aparecer e ponto.
    Acho a série muito exagerada, no quesito comédia e drama. Não gosto quando os roteiristas tentam por esse lado. Adoro musicais, e acho que se fosse escrita em um contexto mais "sério", essa série teria tudo pra ser beeeemmmm melhor!!
    Mas enfim, há quem goste...

    Adoro suas críticas e cheguei a comentar algumas, apesar de não concordar com todas, mas sua "visão" das histórias é bem interessante.
    Se quiser trocar algumas idéias aí vai meu msn: josyroos@terra.com.br.

    Bjos

    ResponderExcluir