sábado, 19 de novembro de 2011

[Crítica] Crepúsculo

Direção: Catherine Hardwicke
Ano: 2008
País: EUA
Duração: 122 minutos
Título original: Twilight

Crítica:

Quem é fã desde o começo sabe muito bem que Crepúsculo não é apenas um filme sobre vampiros que dominou uma geração. Ele chegou como quem não queria nada e conquistou uma legião de fãs no mundo inteiro, mas foi atacado sem piedade pela crítica. Afinal, como críticos podem gostar de um romance quase adolescente que não tenha morte trágica? Ou de um filme sobre uma garota sonsa que se apaixona pelo vampirão mais bonito do colégio? Mas enquanto os críticos querem uma coisa, o mundo inteiro quer outra, por isso que o Brasil já vendeu mais de 370 mil ingressos pro quarto filme, que chega dia 18 em mais de 1.200 salas em todo país.

No primeiro filme, a jovem Isabella Swan acaba tendo que se mudar para morar com seu pai numa cidadezinha chuvosa chamada Forks, e lá ela conhece o misterioso Edward Cullen. Eles se apaixonam após algumas tentativas frustradas de ficarem longe, mas Edward sabe que quanto mais avançam nesse relacionamento, mais ele está colocando Bella e todos a sua volta em perigo. Quando Bella descobre que ele, na verdade, é um vampiro, ela age contra todas as expectativas e impõe uma barreira contra o medo da sede de sangue de seu amado, mesmo sabendo que ele pode matá-la a qualquer momento.

Confesso que antes, quando li esta sinopse, achei que estavam prestes a lançar um filme do qual eu deveria manter distância. Naquela época os romances sobrenaturais ainda eram originais, mas ainda assim duvidosos. Sempre achei que vampiros eram criaturas superiores que desprezavam a existência humana, pensei que seria estranho ver um deles amando e protegendo um ser tão frágil que deveria lhe servir de alimento. Pensei que não fazia sentido, mas o tema depois me conquistou. Se a regra ‘Toda forma de amor é válida’, então ela deve se aplicar aos romances no cinema também, e no filme acabamos vendo um casal improvável tentando superar suas existências medíocres e tentando dar um sentido a suas vidas vazias, porque os protagonista são de fato os reis da depressão. Deve ser por isso que combinam tanto.

E apesar do romance chiclete no começo, o filme se saiu muito bem na ação quando começou o terceiro ato. E é claro que isso tinha que acontecer, já que todos os vampiros mostrados até então eram bonzinhos, faziam de tudo para não provar sangue humano e estavam mais preocupados com a mocinha descobrir tudo do que com seu estilo de vida. Pelo menos o resto do elenco, já que o vampiro Edward tentava ficar longe da Bella ficando perto dela ao mesmo tempo. Deve ser igual um ‘pare de fumar fumando’, que tentação, hein?

Mas como todo filme tem defeitos, também tenho minhas reclamações. Fora o fato de Edward brilhar, eu me incomodei com a ligação que o filme tinha com o livro. Ta certo que muita coisa mudou – como a cena em que Bella enfrenta Edward e ele confessa que é um vampiro -, mas no fim se pode perceber que aquela história antes era um livro. As falas por exemplo, são bastante complexas, são coisas que ficam bonitas apenas no livro, mas ficam improváveis na telona. A célebre frase ‘E o leão se apaixonou pela ovelha’ não combinou com a cena, não deu naturalidade, parece que os personagens seguiam um script de uma peça shakespeariana. Mas confesso que alguns diálogos realmente valeram a pena e surpreenderam, isso porque fez exatamente como está no livro. Vai entender.

Bom, eu recomendo. Quem gosta de romance e ação com certeza vai adorar, ou seja, vai ser difícil ver um garoto falando bem do filme sem envolver as partes onde há lutas. E diz a lenda que depois do primeiro a saga começou a ter mais coragem e mostrou algo muito além do romance shakespeariano entre Bella e Edward, o que eu aprovo, já que existe um mundo vampiresco enorme de acordo com a autora dos livros Stephenie Meyer. E prestem atenção na cena em que Edward fica exposto ao sol, ele brilha. Me desculpe tia Steph, mas você tava pedindo pra chamarem ele de fada, né? Nota 8,0.

Trailer Legendado:
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. muitas pessoas julgam este filme uma porcaria apenas por ser uma modinha mais no geral e um bom filme muito longe do nivel dos melhores filmes de vampiro mas um bom filme

    ResponderExcluir