sábado, 26 de novembro de 2011

[Crítica] Caçadores de Bruxas


Direção: Pearry Reginald Teo
Ano: 2010
País: EUA
Duração: 89 minutos
Título original: Witchville

Crítica:

Que a caçada comece!

Estão prontos para mais uma jornada perigosa pelas prateleiras de lançamentos nas mais remotas e desoladas locadoras? Pois, é! Depois de enfrentar terríveis batalhas com os péssimos A Era dos Dragões, Goblin – O Sacrifício, A Raiz do Mal e muitos outros, temos uma nova missão. Desta vez, temos que enfrentar um grupo de bruxas que soltam fumaças toscas em CGI (efeitos computadorizados). Vocês aguentam ou eu estou pedindo demais?

A história gira em torno de um homem, Malaquai (fugiu da Colheita Maldita, foi?), que após a morte de seu pai, retorna para o seu castelo e se torna rei. Mas seu reino está em perigo e passa por uma época difícil, onde as plantações morreram misteriosamente. Logo, um maluco chega para ele e diz que tudo isso é culpa das bruxas e que elas jogaram uma maldição sobre suas terras. Agora, ele e um grupo de caçadores terão que correr contra o tempo, antes que a malvada Rainha Vermelha leve todos à morte.

A grande bruxa do mal sugava a energia vital das plantações para fazer maldade? Oi? Ela é uma bruxa ou um gafanhoto? Bruxa que eu conheço se alimenta de almas. Sinceramente, no começo eu pensei que tudo era uma maldição, para desestabilizar o reino, mas quando descobri que ela usava a plantação para colher energia, eu juro que morri de rir. Ela acha o quê? Que estava no núcleo rural Daquele-que-caminha-por-trás-das-fileiras? Espero que leve um milho na cara.

Enfim, os efeitos visuais são bem ruins. Não chegam a ser péssimos, mas nem medianos eles conseguem ser. O que são aquelas fumaças vermelhas ridículas que saem da boca dos possuídos? Pelo amor de Deus, né? E aquela parte dos lobos possuídos? Os efeitos foram tão ruins que eu me lembrei do ridículo Hyenas. Sem contar que essa cena parece ter sido chupada diretamente de Caças às Bruxas, não é verdade? Aliás, Caçadores de Bruxas não tem nada de original ou bom.

Para não dizer que eu detestei cada segundo do filme, eu achei acima da média o romance entre a bruxa-filha e o guerreiro-loirinho. Achei que essa subtrama rendeu bons momentos e uma história envolvendo isso pode render um ótimo filme. É claro que nem isso o roteiro explora, preferindo dar destaque ao personagem de Luke Goss, mas sinceramente, ele já esteve em tempos melhores, como o ótimo Corrida Mortal 2. Mais um ator cuja carreira está indo por água abaixo. Trágico!

Enfim, eu diria para vocês não embarcarem nesta aventura, porque o caminho é sofrido. Mas eu sei que sempre tem aqueles guerreiros corajosos que gostam de um desafio. Então, fiquem à vontade, nos encontramos na próxima missão suicida. Mas já vou avisando, tempos medievais já era. Agora é hora de ir até o Afeganistão, porque é lá que estão as verdadeiras bombas. Agora ninguém se atreve a me seguir, não é verdade? OBS: Porque a magia da Rainha Vermelha é verde? Nota 4,0.

Trailer:


Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
4 Comentários

Comentário(s)

4 comentários:

  1. kkkkkkkk,gostei dos cometarios...

    ResponderExcluir
  2. esse filme é tão ruin é olha que eu gosto de muita coisa tosca mais esse alen de tosco não diverte nada.

    ResponderExcluir
  3. Sofrível. Também assito muito coisa tosca, mas esse filme já é o pior que assistir em 2012. Outra coisa que se alguém notou é q cada personagem tem um troço em um ombro. Para q aquilo? rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  4. Meu Deus... só parei na beleza da bruxa-filha... lindíssima... o abençoado seja o botão forward (>>)

    rsrsrsrs

    ResponderExcluir