segunda-feira, 28 de outubro de 2013

[Crítica] Se Beber, Não Case!


Direção: Todd Phillips
Ano: 2009
País: EUA
Duração: 100 minutos
Título original: The Hangover

Crítica:

Alguns caras piram em Las Vegas.

Vocês alguma vez já tomaram um porre e, no dia seguinte, não conseguiram lembrar de nada? Já? Ah, seus bêbados. Isso nunca aconteceu comigo! É sério, parem de duvidar. E porque eu estou perguntando isso? Porque estou prestes a criticar Se Beber, Não Case! E para quem já ouviu falar, sabe que toda a história se foca em bebida e perda de memória. É melhor vocês maneirarem na dose e acompanharem de perto o texto, ou vocês podem acabar igual os personagens... E ninguém quer isso, certo?

A história gira em torno de quatro amigos, que vão para Las Vegas, para curtir uma emocionante despedida de solteiro, de um deles. O problema é que eles acordam no outro dia, sem lembrar que nada o que aconteceu na noite anterior. Mas seus problemas não se resumem apenas a isto. Um dos amigos, o noivo, sumiu. Agora, os três bêbados terão que refazer seus passos e tentar descobrir o que aconteceu com ele, para chegarem a tempo ao casamento. Mas parece que nada vai dar certo, já que o caminho envolve um carro de polícia roubado, um tigre e um outro casamento inesperado...

Primeiramente, acho que o maior ponto positivo deste filme, é sair do lugar comum. Ele quebra vários clichês de diversas outras comédias. Por este motivo, o espectador nunca sabe o que esperar da trama, que insiste em mudar de destino a cada problema que o trio de protagonistas encontra. Nem preciso dizer que esta é uma daquelas comédias vale-tudo, onde qualquer tipo de piada é válida. Temos bastantes cenas fortes! Para se ter uma idéia, tem até uma nudez frontal de um chinês e, até nisso, o filme zoa, já que o espectador não consegue ver o pinto dele nem de perto.

Eu juro que tiveram dezenas de momentos em que eu quase tive um infarto de tanto rir. Eu lembro que a cena do eletro choque foi a que eu mais me descontrolei. Vocês têm noção de como eu fiquei dentro da sala de cinema? Parecia a garota do exorcista, me contorcendo e rindo satanicamente. E mais, eu ria tanto que não conseguia respirar. Então, eu posso dizer que esta cena quase me matou, literalmente.

Este também é um dos poucos filmes em que os coadjuvantes são tão importantes e engraçados que os protagonistas. E tigre e o bebê trazem cenas hilárias, como quando um deles finge que o bebê está se masturbando. E tigre traz a participação de Mike Tyson, disparando socos, em outra cena impagável. Ainda nesta confusão, encontra-se uma prostituta, que o Stu acaba casando. E um chinês, que eu já comentei acima, que é uma das figuras mais bizarras que eu já vi em uma comédia.

E o mais legal é que o espectador pode acompanhar os personagens pela busca da "verdade". Já que eles não conseguem lembrar, eles têm que ficar seguindo algumas pistas, que vão surgindo ocasionalmente. É interessante como tudo começa a se juntar como em um quebra-cabeças. Está mais do que recomendado. Uma comédia eletrizante e afiada, que não tem medo da reprovação e se joga de cabeça. Tenho certeza que a maioria do público irá adorar.

Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário