terça-feira, 14 de junho de 2011

[Crítica] Deadgirl


Direção: Marcel Sarmiento & Gadi Harel
Ano: 2008
País: EUA
Duração: 101 minutos
Título original: Deadgirl

Crítica:

Você nunca esquece sua primeira vez.

Quando você pensa em um filme de mortos-vivos, logo vem a sua cabeça um mundo tomado por zumbis, em um universo pós-apocalíptico, com um pequeno grupo de humanos lutando por suas vidas. A maioria é assim mesmo, mas existem alguns casos diferentes, como o terrir Fido - O Mascote. Agora tiver o prazer de assistir Deadgirl, que é ainda mais sutil, sem esquecer o que os fãs do gore querem.

A história gira em torno de dois jovens que, depois de matar aula, resolvem ir até um manicômio abandonado e acabam encontrando o corpo de uma garota. As coisas ficam ainda mais bizarras quando eles descobrem que ela não está realmente morta. Depois de vários testes, eles percebem que ela é uma espécie de zumbi. Sendo assim, um deles decide usar os "benefícios" de ter uma garota amarrada em seu poder sem ter que lidar com as consequências do mundo exterior. Mas não é fácil manter uma situação destas e as coisas tendem a se complicar. No decorrer do filme, o segredo dos jovens é testado, pessoas erradas descobrem o que não deviam e um amor platônico parece estar ainda mais distante...

Acho que a primeira coisa que eu sinto ao terminar de assistir este filme é tristeza. Logo de cara, quando somos apresentados aos personagens, percebemos que eles são deslocados. O sentimento de isolamento e depressão consome toda a tela a medida que o filme vai avançando. Não consigo pensar quem é o pior. Ou o protagonista, que nutre uma paixão por uma garota popular, ou o seu amigo necrófilo, que parece se apaixonar e perder a noção do real com a garota morta.

Como eu disse anteriormente, é triste. Mas não fiquem pensando que a tristeza é apenas a única coisa presente. As duas primeiras partes do filme são bem paradas, com os personagens quebrando as barreiras do que é permitido. E devo confessar, o diretor é corajoso. Ele não polpa o espectador de várias cenas envolvendo a necrofilia. Dou ainda mais pontos por ele fazer o público se importar com a garota-zumbi. O sofrimento que ela sente é quase palpável.

O ato final é, de longe, o mais movimentado. Praticamente todas as tramas se amarram e todos os personagens importantes se concentram em apenas um lugar. É realmente emocionante. Você sabe o que vai acontecer até um certo ponto, mas quando fica todo mundo cara a cara, tudo passa a ser imprevisível. É claro que o roteiro escolhe o desfecho mais inteligente. Que apesar de não ser ruim, é o mais triste e irônico possível, ou seja, fica perfeito no contexto do filme.

Apesar de ter algumas cenas bem nojentas e todo o sexo com uma garota morta (que é realmente perturbador algumas vezes), não pense que o filme é feito apenas de correria. Se você quiser ver por causa disso, vai se dar mal. Deadgirl é um suspense dramático, um romance triste. Destaque para Shiloh Fernandez (A Garota da Capa Vermelha) e Candice Accola (The Vampire Diaries). OBS: Há boatos de que uma sequência pode vir futuramente. Quem curte? Nota 9,0.

Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
3 Comentários

Comentário(s)

3 comentários:

  1. Otimo comentario, é uma pena o filme ser tão pouco conhecido.

    ResponderExcluir
  2. :( eu quero ver esse filme so que nao acho um site pra baixar alguem me indica um?

    ResponderExcluir
  3. Realmente, o filme me surpreendeu bastante.
    Confesso que fiquei com uma certa "angústia" ao final... adoraria ver uma sequência.

    ResponderExcluir